MIKHAIL KOBAKHIDZÉ

 

O realizador georgiano Mikhäil Kobakhidzé é autor de uma pequena mas misteriosa filmografia, centrada à volta de cinco curtas-metragens realizadas durante a década de 60. A história deste autor começa na prestigiada VGIK, escola de cinema de Moscovo, onde aprende com vários mestres, como Sergueï Guerassimo. Depois de realizadas as suas primeiras curtas – algumas feitas em contexto escolar – Kobakhidzé abalança-se para um projeto maior, de que resulta “Os Músicos”, uma curta-metragem imediatamente acusada de ser demasiado formalista.

 

No contexto de uma feroz sociedade comunista, em que o modelo de cinema é o realismo social, Kobakhidzé vai ser neutralizado. Não terá mais nenhuma actividade até ao final do regime, em 1991. Fará apenas mais uma curta-metragem em 2003, “En chemin”. O Curtas Vila do Conde dedicou, em 1995, uma integral da sua obras de curta-metragem, durante o 3.º Festival.

 

Nas suas palavras inseridas no catálogo desse ano, Kobakhidzé diz-nos: “Uma curta-metragem autêntica é irresistível porque é plena de energia e porque nela algo se transforma a cada instante como na nossa vida terrestre que, ao passar, fugaz, não deixará nas consciência mais do que as suas ténues imagens”.