Rubber (2010)

QUENTIN DUPIEUX

 

O cinema francês sempre foi entendido como um dos últimos bastiões da cinefilia e do cinema moderno. Ainda que essa tradição seja decisiva para entender o cinema europeu, a verdade é que, na última década, lhe podemos reconhecer uma grande variedade de géneros e estilos. Um dos expoentes dessa possível subversão do cinema francês “clássico” é o cineasta Quentin Dupieux. .

 

Mais conhecido pela sua faceta de DJ – através do alter-ego Mr. Oizo – Dupieux tem uma assinalável filmografia nos últimos quinze anos, que inclui 6 longas-metragens, várias curtas-metragens e vídeos musicais. Foi, aliás, através dos vídeos musicais que o cineasta iniciou o seu trabalho audiovisual, realizando e participando nas equipas do realizador Michael Gondry. Com “Nonfilm”, de 2001, inicia uma carreira cinematográfica, que se torna mais relevante a partir de “Steak”, de 2007. .

 

Desde então, realizou mais quatro filmes, atingindo o estatuto de autor no cinema francês: “Rubber” (2010), “Wrong” (2012), “Wrong Cops” (2014) e o mais recente “Réalité” (2014), estreado no Festival de Veneza. Em todos os seus filmes, Dupieux realiza, escreve, faz a montagem e a direção de fotografia, para além de ser autor da maior parte das bandas sonoras.

 

Na edição de 2015, o Curtas Vila do Conde dedicou uma retrospetiva a Quentin Dupieux exibindo “Réalité”, “Wrong” e “Wrong Cops”, em estreia nacional, e “Rubber”.