Agência da Curta Metragem em Clermont-Ferrand

25 Janeiro 2018
Share on Facebook Share on Twitter

A 40ª edição do Festival de Cinema de Clermont-Ferrand arranca no próximo dia 2 de fevereiro, com três curtas-metragens portuguesas em competição. A Agência da Curta Metragem voltará a marcar presença no Mercado do festival para promover e divulgar a produção portuguesa naquele que é o maior e mais prestigiado evento dedicado às curtas-metragens da Europa.


“Coelho Mau”, a mais recente curta-metragem de Carlos Conceição, foi selecionada para a Competição Nacional. O filme, uma coprodução luso-francesa (Primeira Idade e Epicentre Films), aborda a relação entre dois irmãos (João Arrais e Júlia Palha), uma mãe ausente (Carla Maciel) e o seu amante (Matthieu Charneau), que vacilam entre a iminência da morte e o assombro face aos seus desejos.


O filme de Leonor Noivo, “Tudo o que Imagino”, integrará a Competição Internacional. A curta-metragem, produzida pela Terratreme Filmes, acompanha um grupo de amigos no bairro de Alcoitão, “BDA”, no período do fim da adolescência, da escola e do último verão antes do mundo do trabalho.


Para além das obras de Carlos Conceição e Leonor Noivo, distribuídas pela Agência da Curta Metragem, o festival de Clermont Ferrand selecionou um terceiro filme português: “A Gis”, de Thiago Carvalhaes, que será apresentado na Competição Internacional.


No Euro Connection, o fórum europeu de coprodução cinematográfica que decorre todos os anos durante o festival de Clermont-Ferrand, Portugal será representado pela realizadora Xá (Alexandra Ramires) com o projeto “Elo”, produzido pela Bando à Parte. Esta é segunda curta-metragem da cineasta que realizou, com Laura Gonçalves, a animação “Água Mole” apresentada no Festival de Cannes.


Esta plataforma, que culmina no pitching dos projetos selecionados nos dias 6 e 7 de fevereiro, tem como objetivo o desenvolvimento de parcerias entre produtores, investidores, patrocinadores e televisões. O Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema e o IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema Independente são os festivais portugueses associados ao Euro Connection onde, em anos anteriores, foram apresentados projetos de Zepe (“O Ciclo”), João Vladimiro (“Do Berço Para a Cova”), João Salaviza (“Rafa”), Leonor Noivo (“Setembro”) e José Miguel Ribeiro (“Papel de Natal”), entre outros.


À semelhança dos anos anteriores, a Agência da Curta Metragem voltará a marcar presença em Clermont-Ferrand através de um stand promocional no Mercado da Curta Metragem. O evento, a decorrer em paralelo ao festival, recebe, todos os anos, mais de 3300 profissionais do sector cinematográfico fazendo deste um espaço de extrema importância na divulgação do cinema português. Para além das ações de promoção e divulgação das mais de 400 obras representadas pela Agência, esta será uma oportunidade para apresentar as novidades adicionadas, em 2018, ao catálogo de filmes distribuídos.


A presença da Agência da Curta Metragem em Clermont-Ferrand é apoiada pelo Instituto Camões, Embaixada de Portugal em Paris, ICA (Instituto do Cinema e Audiovisual), Governo de Portugal, Favaios e Douvicoisas.


 

Animação do real em destaque na ANIMAR 13

23 Janeiro 2018
Share on Facebook Share on Twitter

A Solar – Galeria de Arte Cinemática, em Vila do Conde, acolhe a 13ª edição da ANIMAR, projeto educativo que integra uma exposição coletiva para toda as idades. A inauguração acontece no dia 10 de fevereiro (sábado), às 15:00, e a entrada é gratuita.

A inaugurar no próximo dia 10 de fevereiro, a exposição ANIMAR 13 reúne trabalhos dos artistas Paulo Patrício, Pedro Neves e Marta Monteiro e das duplas Alexandra Ramires (Xá) e Laura Gonçalves e Joana Nogueira e Patrícia Rodrigues, destacando a contaminação entre o cinema de animação e o documentário no panorama cinematográfico nacional. Nesta edição, a Animar propõe assim um cruzamento entre os universos do real e do imaginado, quer através de animações baseadas em histórias e personagens reais, quer da ficcionalização de imagens documentais.


A exposição tem como pano de fundo os filmes "Água Mole", de Alexandra Ramires e Laura Gonçalves, "Pronto, Era Assim", de Joana Nogueira e Patrícia Rodrigues, "Surpresa", de Paulo Patrício e "A Praia", de Pedro Neves, que vão saltar da tela para a galeria, onde estarão também patentes diversos objetos relacionados com o processo de produção fílmica como adereços, cenários, figurinos, entre outros.


A proposta de curadoria passa pela expansão dos filmes do seu território tradicional, transpondo as atmosferas estéticas e narrativas para um espaço interativo, em forma de instalação, no qual o espectador é convidado a participar. Baseadas no imaginário destas obras, as ilustrações de Marta Monteiro darão cor e vida à sala destinada às atividades educativas.

Paralelamente à exposição na Solar - Galeria de Arte Cinemática – que poderá ser visitada de segunda-feira a sábado, entre as 14:00 e as 18:00 -, a ANIMAR 13 apresenta, até maio, uma programação complementar que inclui sessões de cinema para escolas e famílias, visitas guiadas à exposição, workshops e ateliês.

A abertura das sessões de cinema está marcada para 25 de fevereiro, com a projeção do mais recente filme de Thierry Frémaux, "Lumière!: A Aventura Começa", no Teatro Municipal, em parceria com o Cineclube de Vila do Conde. O documentário reúne vários excertos das cópias restauradas dos irmãos Lumière, afirmando-se como uma porta de entrada para a história do cinema e para a cinefilia, que é, aliás, um dos principais propósitos da Animar.  

De cariz vincadamente educativo, a Animar promove todos os anos oficinas de iniciação ao cinema, destinadas à comunidade escolar do norte do país, e ateliês de longa duração, dedicados em exclusivo às escolas do concelho de Vila do Conde.  Os ateliês vão decorrer sob a orientação dos realizadores Joana Nogueira e Patrícia Rodrigues, Paulo Patrício e Pedro Neves, e os filmes daí resultantes têm estreia marcada para a Festa de Encerramento da ANIMAR 13, a acontecer no dia 20 de maio.


A oferta formativa será complementada com workshops abertos de iniciação à banda desenhada, sob a orientação de Joana Estrela, e de técnicas de impressão, com a Oficina Arara.


A 13ª edição da Animar conta com o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Instituto do Cinema e do Audiovisual (programa Despertar), do Governo de Portugal (Cultura), da Argatintas, da Viarco e do Cineclube de Vila do Conde. É uma iniciativa da equipa do Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema.


Veja aqui a programação completa.

"Russa", de João Salaviza e Ricardo Alves Jr., e "Madness", de João Viana, em competição na Berlinale Shorts

10 Janeiro 2018
Share on Facebook Share on Twitter

“Russa”, de João Salaviza e Ricardo Alves Jr., “Madness”, de João Viana, e “Onde o Verão Vai (episódios da juventude)”, de David Pinheiro Vicente vão integrar a competição de curta-metragem da 68.ª Berlinale – Festival Internacional de Cinema de Berlim, que decorre de 15 a 25 de fevereiro de 2018.

O Festival Internacional de Cinema de Berlim, um dos mais prestigiados do mundo, revelou ontem a programação completa da Berlinale Shorts, secção dedicada em exclusivo á curta-metragem. “Russa” de João Salaviza e Ricardo Alves Jr., “Madness” de João Viana e “Onde o Verão Vai (episódios da juventude)” de David Pinheiro Vicente foram os três filmes portugueses selecionados para a competição internacional, que reúne, no total, 22 filmes oriundos de 18 países.


João Salaviza, que em 2012 arrecadou o Urso de Ouro com “Rafa”, junta-se a Ricardo Alves Jr. para apresentar o filme “Russa”, curta-metragem realizada a quatro mãos numa residência artística no Bairro do Aleixo, no Porto, promovida no âmbito do programa Cultura em Expansão. O filme narra a história de uma antiga habitante que ali regressa, marcando encontro com familiares e amigos mas também com a memória coletiva de um bairro, que conserva três de cinco torres originais.


A seleção de “Madness”, de João Viana, marca também o regresso do realizador angolano às telas da Berlinale, depois de ter apresentado “Tabatô” em 2013. Co-produzida pela Papaveronoir e pela Les Films de l’Aprés-Midi, a curta-metragem que leva agora a Berlim aborda a atual situação política e social em Moçambique através da história de Lucy, uma mulher internada num hospital psiquiátrico.


Para além das obras de Salaviza e Alves Jr. e de João Viana, distribuídas pela Agência da Curta Metragem, o festival de Berlim selecionou também outro filme português para a corrida aos Ursos de Ouro e de Prata: “Onde o Verão Vai (episódios da juventude)”, de David Pinheiro Vicente.


O cinema nacional marcará ainda presença na Berlinale com a participação do realizador Diogo Costa Amarante, vencedor do Urso de Ouro em 2017, no júri da competição internacional de curtas-metragens, lado a lado com Jiody Mistry e Mark Toscano.

Presentes de Natal na Loja das Curtas

14 Dezembro 2017
Share on Facebook Share on Twitter

Este Natal, os presentes mais cinéfilos estão na Loja das Curtas. Situada na Solar - Galeria de Arte Cinemática em Vila do Conde, e com alguns dos artigos disponíveis online, a Loja das Curtas disponibiliza artigos únicos relacionados com o Cinema, a Animação, a Ilustração, a Música, e outras formas de expressão, juntamente com os artigos produzidos pela Curtas Metragens CRL, no âmbito do Festival Curtas Vila do Conde, da própria galeria Solar bem como das outras atividades da Cooperativa. 

Um espçaço onde podem ser encontrados CDs, DVDs, livros e outros objetos com um forte cunho autoral e que sugerem novas abordagens ou tendências, para diferentes faixas etárias. A Loja apresenta também um conjunto de obras de escritores vilacondenses, bem como de outros autores intimamente ligados à história desta Cidade e da Galeria, que celebrou, em 2015, 10 anos de atividade permanente.

Horário: de segunda a sábado das 14:00 às 18:00
Morada: Rua do Lidador, 4480-791 Vila do Conde
Website: http://curtas.pt/loja

Finalistas da FBAUP apresentam exposição coletiva na Solar Galeria de Arte Cinemática

6 Dezembro 2017
Share on Facebook Share on Twitter

A Solar Galeria de Arte Cinemática, em Vila do Conde, apresenta, entre 9 de dezembro e 6 de janeiro, Time-Lapse, uma exposição coletiva dos finalistas da Licenciatura em Artes Plásticas Multimédia da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. A inauguração terá lugar no próximo sábado, às 16:00, com a apresentação de uma performance. 


Tendo como ponto de partida a obsessão pelo tempo, Time-Lapse é o resultado de um trabalho experimental que apresenta as diferentes abordagens dos vários autores em torno do tema. As obras em exposição exploram as diferentes possibilidades da criação artística através do recurso a meios distintos, como a instalação de vídeo, de som, a fotografia ou as artes plásticas, para uma reflexão acerca do tempo e os vários modos de o capturar e manipular, extensiva e intensivamente. 

“Habituámo-nos a medir o espaço através do tempo que o demoramos a percorrer. No entanto, quanto mais depressa nos movemos no espaço mais pequeno este nos parece. Não se trata apenas de uma questão perceptiva mas de uma transformação radical em que o espaço encolhe por ação do tempo intensivo que nos é trazido pela velocidade. O nosso quotidiano é também o de uma intensificação do tempo. Uma obsessão pelo tempo parece ter tomado conta da nossa existência, individual e colectiva. Não admira assim que os processos da chamada globalização sejam antes de mais modos de captura do tempo, da produção ao consumo. Diz-se que já não há um tempo dentro e um tempo fora. Todo o tempo parece ter sido capturado pelos dispositivos do consumo, como se já não houvesse como separar o tempo do trabalho e o tempo do ócio, como se todo o tempo tivesse sido consumido nessa voragem. Neste quadro, as artes do tempo, aquelas que fazem do tempo o seu meio, ganham uma nova importância. Com efeito, ainda que há muito a arte contemporânea tenha sido tomada por uma particular obsessão pelo tempo e sua manipulação, nas artes esta captura faz-se muitas das vezes em contraciclo ou mesmo como contra-dispositivo ao consumo capitalista do tempo”, lê-se na nota de intenções do coordenador da exposição, Miguel Leal.

 

Time Lapse integra trabalhos da autoria de Afonso Menezes, Catarina Ferreira, Francisca Soares, Sofia Neves, Mariana Vilanova, Juliana Campos, Joana Pinto, Julie Dítetová, Agate Lielpētere, Laura Bértola, Márcia Correia, Maria Neto, Mário Afonso, Martin Hofmann, Matti Tanskanen, Mikelis Murnieks, Nuno Carvalhais, Rafael Cortés, Rita Castanheira, Marta Lopes, Alexandre Sousa, Rita Monteiro, Rita Pereira, Roberto Otero Goméz, Rui Silva, Sara Janeiro, Sérgio Rocha, Tereza Benešová e Teresa Neves.

 

Esta exposição é apresentada na Solar Galeria de Arte Cinemática, em parceria com a Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, no âmbito do CAVE. Este projeto, inserido na programação da Solar Galeria de Arte Cinemática, destina-se a incentivar o trabalho de jovens artistas emergentes, estudantes ou na fase inicial da sua carreira. Alguns dos artistas que apresentaram, em anos anteriores, as suas obras no âmbito deste projeto foram distinguidos com prémios e bolsas de investigação no campo da arte contemporânea. Foram os casos de Rita Lino (2012), Carla Andrade (Espanha, 2014), Laura Gonçalves (2014), João Gabriel Pereira (2016) e Igor Jesus (2016).

 

A Solar Galeria de Arte Cinemática é uma estrutura financiada pela Câmara Municipal de Vila do Conde, pela DGArtes – Direção Geral das Artes e pelo Governo de Portugal.

Portugal selecionado para o Euro Connection 2018

5 Dezembro 2017
Share on Facebook Share on Twitter

Portugal está entre os países seleccionados para o Euro Connection 2018, o fórum de co-produção de curtas metragens que acontece entre 6 e 7 de Fevereiro, durante o Festival de Curtas Metragens de Clermont-Ferrand, em França. O projecto escolhido é o filme "Link", da realizadora Xá, com produção da Bando à Parte.

Para a próxima edição, foram seleccionados 15 dos 24 filmes finalistas nomeados pelos correspondentes europeus do Euro Connection, e que vão integrar as sessões de pitching:

Machines of Loving Grace, Viki Alexander (Horse&Fruits), Áustria

Dusk, Laura Vandewynckel (Walking the Dog), Bélgica

The Man in Two Minds, Mathias Broe (73collective), Dinamarca

Dark Side of the Earth, Urmas Reisberg (Exitfilm), Estónia

Baby With a Playlist, Juho Luukkainen (Kaiho Republic), Finlândia

Above The Law, Bryony Dunne (Kennedy Films Ltd.), Irlanda

Yashar’s Journey, Sébastien de Monbrison (Les films de l’autre cougar), França

What We Know So Far, Sylvain Cruiziat (eeproductions UG), Alemanha

Just a Map, András György Dési & Gábor Móray (Focus Fox), Hungria

The First Lessons, Beppe Leonetti (Incandenza Film), Itália

Perpetual Child, Stephanie Sant (Shadeena Entertainment), Malta

Whose Daughter Are You?, Astria Aakra (Big Spoon Animation AS), Noruega

Link, Xá (Bando à Parte), Portugal

Mountain Flood, Kristijan Krajncan (EnaBanda), Eslovénia

Bacha Posh, Bahar Pars (Nordisk Film Production), Suécia


O Euro Connection acontece anualmente durante o Festival Internacional de Curtas Metragens de Clermont-Ferrand  e tem como objectivo promover parcerias entre produtoras europeias, financiadores e distribuidores de curtas metragens. Em Portugal, os festivais associados são o Curtas Vila do Conde e o IndieLisboa. 

1  I  2  I  3  I  4  I  5  I  6  I  7  I  8  I  9  I  10  I  11  I  12  I  13  I  14  I  15  I  16  I  17  I  18  I  19  I  20  I  21  I  22  I  23  I  24  I  25  I  26  I  27  I  28  I  29  I  30  I  31  I  32  I  33  I  34  I  35  I  36  I  37  I  38  I  39  I  40  I  41  I  42  I  43  I  44  I  45  I  46  I  47  I  48  I  49  I  50  I  51  I  52  I  53  I  54  I  55  I  56  I  57  I  58  I  59  I  60  I  61  I  62  I  63  I  64 next→
ETIQUETAS