O Ano dos Portugueses!

16 Julho 2012
Share on Facebook Share on Twitter

O Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema terminou no domingo e superou as melhores expetativas da organização. Mas apesar de ter caído o pano na 20ª edição, o Curtas ainda continua a dar que falar e ver!

Dado o sucesso alcançado com a estreia do filme «Obrigação» de João Canijo, com a sala completamente esgotada e com inúmeras pessoas que nem sequer conseguiram adquirir o bilhete atempadamente para assistir, a direção do Curtas Vila do Conde resolveu reexibir o filme, estando agora agendada uma nova sessão para o próximo sábado, pelas 17 horas, no Teatro Municipal de Vila do Conde.

Recordamos que o realizador João Canijo esteve nas Caxinas a filmar um documentário sobre as mulheres caxineiras. O filme chama-se «Obrigação» e o realizador pretende utilizar este material para fazer uma longa-metragem cuja estreia mundial irá acontecer na 21ª edição do Curtas Vila do Conde.

O filme «Obrigação» é uma das várias produções do Campus, uma secção do projeto Estaleiro desenvolvido pela Curtas Metragens CRL, que juntam realizadores portugueses experientes com equipas de produção constituídas por alunos ou recém-licenciados de cursos audiovisuais.

Quatro destes filmes foram apresentados no decorrer no 20º Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema que, em ano de festa, apostou forte no cinema português destacando as produções da Curtas Metragens CRL, assim reafirmando o seu importante papel na promoção, dinamização e incentivo ao cinema nacional.

Entretanto, o Curtas Vila do Conde será alvo de uma homenagem especial no 65º Festival Internacional de Cinema de Locarno que acontece no sul da Suíça entre os dias 1 e 11 de agosto. “Tribute to Curtas Vila do Conde” é o nome do programa especial dedicado ao festival e que inclui a projeção dos quatro filmes encomendados pelo Curtas a quatro realizadores relevantes no panorama contemporâneo e que têm uma forte relação com festival. Os quatro filmes são: LAND OF MY DREAMS de Yann Gonzalez, O CANTO DO ROCHA (The Song of Rocha) de Helvécio Marins Jr., O MILAGRE DE SANTO ANTÓNIO (The Miracle of Saint Anthony) de Sergei Loznitsa e RECONVERSÃO de Thom Andersen.

De acordo com Nuno Rodrigues, diretor do Curtas Vila do Conde, este programa especial em Locarno significa “o reconhecimento pelo trabalho desenvolvido pelo festival ao longo de 20 anos”. Ao mesmo tempo, “é uma aposta clara num conjunto de quatro filmes e quatro autores que já atingiram um patamar capaz de prestigiar o trabalho do festival de Vila do Conde e que chegam desta forma a Locarno, um dos maiores festivais internacionais de cinema de todo o mundo”, sublinha Nuno Rodrigues.       

A cerimónia de entrega de prémios do festival decorreu no sábado à noite. O Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema tem, este ano, um palmarés que muito honra o cinema português!

«Os vivos também choram», de Basil da Cunha, venceu o Prémio de Melhor Filme na Competição Nacional do 20º Curtas Vila do Conde e foi, de igual modo, um dos vencedores do Prémio RTP2 Onda Curta. Ainda na Competição Nacional foi atribuída uma Menção Honrosa a «A Cidade e o Sol», de Leonor Noivo. 

«A comunidade», de Salomé Lamas, venceu o Prémio para Melhor Documentário.

E «Manhã de Santo António», de João Pedro Rodrigues, foi distinguido com o prémio para melhor curta-metragem europeia (nomeação para os Prémios do Cinema Europeu, na categoria de curta-metragem, organizados anualmente pela European Film Academy).

O Júri oficial das competições, constituído por Margarida Cardoso, Graça Castanheira, Ed Lachman, Martin Pawley e Adrian Sitaru, atribuiu na Competição Internacional prémios nas 3 categorias apresentadas a concurso: Animação, Ficção e Documentário. 

Destaca-se o vencedor do Grande Prémio «Cidade de Vila do Conde», atribuído ao melhor filme em competição, no valor de 2.000 euros, patrocinado pela Câmara Municipal de Vila do Conde. O filme vencedor foi o documentário «Story of the Modlins», do espanhol Sergio Oksman.

Até à hora da cerimónia de entrega de prémios já havia sido ultrapassado em 10 por cento o número de espetadores registado no ano passado.

ETIQUETAS