Exposição "Onde o Coração se Esconde"

22 Outubro 2015
Share on Facebook Share on Twitter

De 14 de novembro a 10 de janeiro de 2016, a Solar – Galeria de Arte Cinemática apresenta, no Centro de Memória de Vila do Conde, a exposição “Onde o Coração se Esconde” do cineasta Miguel Clara Vasconcelos. A inauguração terá lugar no próximo sábado, às 17:30.


Depois de ter estreado em julho, perante uma sala cheia, “Vila do Conde Espraiada” no 23º Curtas Vila do Conde, Miguel Clara Vasconcelos prepara-se para apresentar uma exposição que tem como ponto de partida o filme.


Na curta-metragem, produzida pela Curtas Metragens CRL, Miguel Clara Vasconcelos parte do poema de José Régio para reviver as memórias da sua infância passada na cidade. “A memória de Vila do Conde é também a memória da minha mãe. Quando faleceu, tive uma vertigem. O tempo passado nessa vila-cidade parecia desaparecer bruscamente, escapar-me, morrer em mim. Na edição de 2014 do Curtas Vila do Conde, percebi que era urgente trabalhar essa matéria sensível, mágica, que é a infância e que foi para mim Vila do Conde”, explica o realizador.


A exposição, agora apresentada, está intimamente ligada ao filme explorando também a relação da infância com o lugar mas através da memória de três pessoas que, sendo de Vila do Conde, experienciaram vivências distintas na cidade.Dentro de uma estrutura construída para o efeito, Miguel Clara Vasconcelos apresenta três projeções que estabelecem uma relação íntima com os relatos que se escutam. As imagens provêm de filmes familiares, do Arquivo Municipal de Vila do Conde, de filmagens inéditas de realizadores locais e do próprio cineasta.


“Onde o Coração se Esconde” resulta de uma residência artística de Miguel Clara Vasconcelos na Solar – Galeria de Arte Cinemática e é apresentada no Centro de Memória no âmbito do projeto Cave.


Miguel Clara Vasconcelos é realizador, argumentista, formador, encenador de teatro e produtor independente. Mestrado em Estudos Cinematográficos pela Sorbonne Nouvelle, Paris, estudou Línguas e Literaturas Clássicas e Portuguesa nas Universidades de Lisboa e de Coimbra. Em 2005, produziu e realizou o seu primeiro filme, “Documento Boxe” e, em 2014, “O Triângulo Dourado”. Ambos venceram o prémio de Melhor Curta Metragem Portuguesa no Curtas Vila do Conde.


“Onde o Coração se Esconde” é a primeira exposição individual de Miguel Clara Vasconcelos.

Fotografia cedida gentilmente por Inês Amorim


"Objeto que esconde e guarda a memória, construído como um barco do estaleiro da minha infância. Criado em paralelo com o filme “Vila do Conde Espraiada”, esta câmara escura contém uma cidade projetada de modo diferente em três ecrãs por três pessoas que recordam Vila do Conde. As imagens originais e as histórias pertencem-lhes, comunicam com as suas memórias. O meu trabalho enquanto artista, é inverso ao de realizador. Em vez de me apropriar de vivências alheias para contar uma história pessoal, ouço as próprias pessoas, ‘devolvo-lhes’ a memória contida em bobines de película. Essas bobines estavam guardadas em caixas, fechadas em armários, esquecidas em sótãos. O processo de digitalização, foi também um processo de revelação de imagens de um passado comum geograficamente, mas diverso vivencialmente. Cada relato leva-nos por caminhos diferentes, cada voz transporta-nos por um corredor estreito e escuro, como é o processo de recordar um momento antigo, embora extremamente nítido do nosso passado. Participam nesta viagem José Manuel Sá, Inês Amorim e Carlos Santos."


Miguel Clara Vasconcelos

Novembro de 2015

 

ETIQUETAS