Competições do Curtas Vila do Conde arrancam este domingo

10 Julho 2016
Share on Facebook Share on Twitter

Abriu ontem a 24ª edição do Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema. Até 17 de julho, o Teatro Municipal recebe sessões de cinema, retrospetivas, filmes-concerto, exposições e diversas abordagens à interseção entre o cinema e as restantes artes. Este domingo, o destaque vai para o arranque das competições e a exibição do filme “E do Mar Nasceu”, um documentário da década de 70 sobre a comunidade piscatória das Caxinas.


Núcleo central da programação do festival, as competições – Nacional, Internacional, Experimental, Curtinhas, Vídeos Musicais e Take One! – arrancam este domingo com uma seleção de filmes de autores consagrados mas também realizadores emergentes. Esta é a montra de luxo da produção recente em formato curto, com obras de grande diversidade temática e geográfica que apresentam olhares diferentes sobre o mundo contemporâneo.


De 12 a 26 de julho, a plataforma online Festival Scope vai disponibilizar, para visualização gratuita em todo o mundo, uma seleção de curtas-metragens que integram a competição do 24º Curtas Vila do Conde: “Fiesta Forever” de Jorge Jácome, “Une Tête Disparaît” de Franck Dion, “Decorado” de Alberto Vázquez, “When You Awake” de Jay Rosenblatt, “Há Terra!” de Ana Vaz, “Blind Vaysha” de Theodore Ushev e “I Was a Winner” de Jonas Odell. A visualização é gratuita mas limitada a 300 bilhetes por filme.

Fora de competição, o Panorama Nacional apresenta filmes relevantes do último ano, mas que já passaram por outros festivais portugueses como “A Balada de um Batráquio”, de Leonor Teles (Urso de Ouro no Festival de Berlim), ou “Ascensão”, de Pedro Peralta (Semana da Crítica do Festival de Cannes). Devido ao apuramento da seleção nacional para a final do Euro, a sessão Panorama Nacional continuará a ser exibida às 21:00, mas com repetição na terça-feira, 12 de julho, às 24:00, em substituição do filme surpresa da Borderline Films, cuja exibição foi cancelada por motivos alheios ao festival. A competição de Vídeos Musicais, no domingo, será atrasada para as 23:00.


Às 17:00, é apresentado “E do Mar Nasceu”, de Ricardo Costa, um documentário sobre a maior comunidade piscatória do país, as Caxinas, durante a década de 70. Em 35 minutos, o filme documenta a história e tradições desta região protagonizadas por dezenas de pessoas, algumas delas ainda vivas, e que estarão presentes na sessão.


“Simon Killer”, de Antonio Campos, dá continuidade à retrospetiva ao coletivo Borderline Films, às 23:30. Neste filme, Simon é um recém-licenciado americano de visita a Paris, em férias. Atormentando por uma relação anterior, percorre sozinho a cidade à procura de uma ligação com alguém até que o envolvimento com uma prostitua revela a ambiguidade da sua personalidade.

ETIQUETAS