Finalistas da FBAUP apresentam exposição coletiva na Solar Galeria de Arte Cinemática

6 Dezembro 2017
Share on Facebook Share on Twitter

A Solar Galeria de Arte Cinemática, em Vila do Conde, apresenta, entre 9 de dezembro e 6 de janeiro, Time-Lapse, uma exposição coletiva dos finalistas da Licenciatura em Artes Plásticas Multimédia da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. A inauguração terá lugar no próximo sábado, às 16:00, com a apresentação de uma performance. 


Tendo como ponto de partida a obsessão pelo tempo, Time-Lapse é o resultado de um trabalho experimental que apresenta as diferentes abordagens dos vários autores em torno do tema. As obras em exposição exploram as diferentes possibilidades da criação artística através do recurso a meios distintos, como a instalação de vídeo, de som, a fotografia ou as artes plásticas, para uma reflexão acerca do tempo e os vários modos de o capturar e manipular, extensiva e intensivamente. 

“Habituámo-nos a medir o espaço através do tempo que o demoramos a percorrer. No entanto, quanto mais depressa nos movemos no espaço mais pequeno este nos parece. Não se trata apenas de uma questão perceptiva mas de uma transformação radical em que o espaço encolhe por ação do tempo intensivo que nos é trazido pela velocidade. O nosso quotidiano é também o de uma intensificação do tempo. Uma obsessão pelo tempo parece ter tomado conta da nossa existência, individual e colectiva. Não admira assim que os processos da chamada globalização sejam antes de mais modos de captura do tempo, da produção ao consumo. Diz-se que já não há um tempo dentro e um tempo fora. Todo o tempo parece ter sido capturado pelos dispositivos do consumo, como se já não houvesse como separar o tempo do trabalho e o tempo do ócio, como se todo o tempo tivesse sido consumido nessa voragem. Neste quadro, as artes do tempo, aquelas que fazem do tempo o seu meio, ganham uma nova importância. Com efeito, ainda que há muito a arte contemporânea tenha sido tomada por uma particular obsessão pelo tempo e sua manipulação, nas artes esta captura faz-se muitas das vezes em contraciclo ou mesmo como contra-dispositivo ao consumo capitalista do tempo”, lê-se na nota de intenções do coordenador da exposição, Miguel Leal.

 

Time Lapse integra trabalhos da autoria de Afonso Menezes, Catarina Ferreira, Francisca Soares, Sofia Neves, Mariana Vilanova, Juliana Campos, Joana Pinto, Julie Dítetová, Agate Lielpētere, Laura Bértola, Márcia Correia, Maria Neto, Mário Afonso, Martin Hofmann, Matti Tanskanen, Mikelis Murnieks, Nuno Carvalhais, Rafael Cortés, Rita Castanheira, Marta Lopes, Alexandre Sousa, Rita Monteiro, Rita Pereira, Roberto Otero Goméz, Rui Silva, Sara Janeiro, Sérgio Rocha, Tereza Benešová e Teresa Neves.

 

Esta exposição é apresentada na Solar Galeria de Arte Cinemática, em parceria com a Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, no âmbito do CAVE. Este projeto, inserido na programação da Solar Galeria de Arte Cinemática, destina-se a incentivar o trabalho de jovens artistas emergentes, estudantes ou na fase inicial da sua carreira. Alguns dos artistas que apresentaram, em anos anteriores, as suas obras no âmbito deste projeto foram distinguidos com prémios e bolsas de investigação no campo da arte contemporânea. Foram os casos de Rita Lino (2012), Carla Andrade (Espanha, 2014), Laura Gonçalves (2014), João Gabriel Pereira (2016) e Igor Jesus (2016).

 

A Solar Galeria de Arte Cinemática é uma estrutura financiada pela Câmara Municipal de Vila do Conde, pela DGArtes – Direção Geral das Artes e pelo Governo de Portugal.

ETIQUETAS