"A Glória de Fazer Cinema em Portugal” na exposição José Régio: [re]visitações à Torre de Marfim

10 Outubro 2019
Share on Facebook Share on Twitter

O filme “A Glória de Fazer Cinema em Portugal”, de Manuel Mozos, vai fazer parte da exposição José Régio: [re]visitações à Torre de Marfim, que inaugura a 12 de outubro e estará patente até 7 de dezembro, no Centro de Memória de Vila do Conde.

O filme, produzido pela Curtas Metragens CRL (entidade organizadora do Curtas Vila do Conde), encena material de arquivo numa intriga que revisita o desejo cinematográfico de Régio: a 18 de Setembro de 1929, José Régio escreveu uma carta a Alberto Serpa onde manifestou a vontade de fundar uma produtora para começar a fazer cinema. Para isso, pediu-lhe que contactasse um amigo seu, que teria uma câmara de filmar. Durante quase noventa anos, nada se soube sobre o desfecho deste pedido: nunca se encontrou qualquer resposta de Serpa à carta e Régio não terá voltado a mencionar o assunto. Porém, a descoberta de velhas bobines no espólio de um coleccionador, parece conter o desfecho desta história.


A exposição "José Régio: [re]visitações à Torre de Marfim" é uma proposta da Câmara Municipal de Vila do Conde, no âmbito da Evocação dos 50 anos da morte de José Régio – o mesmo mote que orientou o programa "José Régio - A Poésia Vísivel", apresentado na 27º edição do Curtas Vila do Conde. 

ETIQUETAS