Novo formato e foco no trabalho de Isaki Lacuesta são as primeiras novidades do Curtas

6 Agosto 2020
Share on Facebook Share on Twitter

Cineasta, produtor, cenógrafo, ensaísta, escritor e curador, Isaki Lacuesta é um dos mais interessantes e destacados artistas espanhóis da atualidade. Com um corpo de trabalho que faz disparar o diálogo entre o cinema e as mais diferentes áreas artísticas, tem na versatilidade um dos mais importantes traços de uma obra que derrete as fronteiras entre a cultura académica e a cultura popular. Tendo ocupado um lugar na crítica de cinema muito antes de se tornar realizador, não é de espantar que o discurso artístico de Lacuesta se construa em cima de um convite constante para a multiplicação dos pontos de vista e formas de olhar, uma premissa que se espalha para lá da tela na várias experimentações e incursões artísticas que pautam o seu percurso. Da dança, à música, da pintura, à literatura ou arquitectura, é longa e multiversa a lista de áreas em que o espanhol tem vindo a intervir. Com mais de uma mão cheia de filmes e documentários para TV, a sua obra tem vindo a ser mostrada um pouco por todo o mundo, em espaços tão referenciais como o MOMA, a National Gallery em Washington ou o Centro Pompidou em Paris.

O programa seleccionado para a secção InFocus do Curtas de Vila do Conde incluirá curtas e longas metragens, assim como a primeira exposição do autor em Portugal. A ter lugar na Solar – Galeria de Arte Cinemática a mesma versará sobre a dimensão expositiva do trabalho de Lacuesta, que estará presente em Vila do Conde para apresentar os seus filmes e participar de uma conferência aberta a jornalistas e público. Isaki Lacuesta será acompanhado por Isa Campo, parceira inquestionável de criação, quer na escrita da maioria dos argumentos dos seus filmes, quer na partilha da sua realização. O Curtas Vila do Conde decorre, este ano, entre 3 e 11 de outubro apresentando um novo formato, adaptado à nova realidade e hábitos de consumo. A par da edição em sala que volta a ter como espaços centrais o Teatro Municipal de Vila do Conde, o Auditório Municipal e a Solar, o evento promoverá um conjunto de iniciativas em formato online, alargando assim a sua área de acção e permitindo que o encontro entre o público e os cineastas possa acontecer de forma segura e próxima. Previstas estão então a calendarização de sessões em formato VoD, numa parceria com a Shift72, assim como a realização de debates, entrevistas e masterclasses em ambiente virtual.

A programação do festival será revelada no decurso dos próximos meses, assim como os detalhes sobre a compra de bilhetes.

O 28º Curtas Vila do Conde tem o apoio do programa MEDIA/Europa Criativa, da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Ministério da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual e de vários parceiros imprescindíveis à realização do festival.

ETIQUETAS