Todd Solondz é o realizador em foco da 27.ª edição Curtas Vila do Conde

20 Março 2019
Share on Facebook Share on Twitter

O cineasta Todd Solondz é o realizador em foco na 27.ª edição do Curtas Vila do Conde - Festival Internacional de Cinema, que este ano irá decorrer de 6 a 14 de julho.

Todd Solondz é uma das maiores referências do cinema independente norte americano e estará presente no festival para apresentar uma retrospectiva da sua filmografia, desde os filmes que contribuíram para a sua descoberta pela crítica nos anos 1990, como “Welcome To the Dollhouse” (1995) e “Happiness” (1998), passando pelas suas obras mais recentes, como “Dark Horse” (2011) ou "Wiener Dog” (2016). Esta apresentação irá decorrer de 6 a 10 de julho no Teatro Municipal de Vila do Conde.
Conhecido pela sua ironia, Solondz desafia os espectadores a superar os preconceitos através do seu olhar, mesmo que pessimista tem o dom de nos ensinar a encarar a vida através da ternura das suas personagens. Retrata o lado mais negro do ser humano, mas com uma boa dose de humor, numa análise visceral explorada através de uma visão tragicómica.
Todd Solondz estará em Vila do Conde para apresentar o seu trabalho, mas também para uma sessão de encontro com o público do festival, a decorrer no dia 10 de julho, no Teatro Municipal de Vila do Conde.
A sua vinda a Portugal também passará pela Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa onde irá participar na Summer School daquela instituição e apresentar um dos seus filmes na cidade do Porto, no dia 5 de julho, sessão que dará início à retrospectiva do Curtas.  

Inauguração da Exposição ANIMAR 14

13 Fevereiro 2019
Share on Facebook Share on Twitter

A Solar – Galeria de Arte Cinemática, em Vila do Conde, acolhe a 14ª edição da ANIMAR, projeto educativo que integra uma exposição coletiva para toda as idades, destacando os melhores filmes de animação de produção recente. A inauguração acontece sábado, dia 16 de fevereiro, pelas 15:00, com entrada gratuita.

A inaugurar no próximo dia 16 de fevereiro, a ANIMAR 14 explora o cruzamento entre as várias áreas do cinema, como a ficção e o documentário,  com a do cinema de animação, propondo uma programação que passa por exposições, visitas-oficina na Solar — Galeria de Arte Cinemática, sessões de cinema no Teatro Municipal de Vila do Conde e nas escolas, oficinas de ‘stop-motion’, pixilação e brinquedos óticos, para além de workshops, sobre de animação, caracterização para cinema e banda-desenhada, entre outros. 
A ANIMAR propõe novas ferramentas, meios e metodologias que introduzem o princípio de aprender através de uma experiência lúdica e participada. Consiste, assim, numa proposta inovadora de sensibilização para a arte, através da descodificação da imagem em movimento e da mobilização de saberes transversais, estimulando a imaginação através do princípio de aprender a brincar.
A exposição tem como pano de fundo os filmes ENTRE SOMBRAS, de Mónica Santos, Alice Guimarães, RIDE, Paul Bush, AGOURO, de David Doutel e Vasco Sá e 4 ESTADOS DA MATÉRIA, de Miguel Filipe Pires de Matos. São filmes que vão saltar da tela de cinema para a galeria, onde estarão também patentes diversos objetos relacionados com o processo de produção dos filmes, como adereços cenários, figurinos, entre outros.
A par da exposição, irá decorrer a oficina de memórias “As Caras do Bacalhau”, desenvolvida em parceria com a associação Bind’Ó Peixe. Esta oficina abordará a memória e o impacto da pesca do bacalhau na região, a partir de entrevistas dos netos aos seus avós pescadores, registando histórias sob a forma de minidocumentários.
                   
Paralelamente à exposição na Solar — Galeria de Arte Cinemática, que poderá ser visitada diariamente entre as 14:00h e as 18:00h, a ANIMAR 14 apresenta, até maio, uma programação complementar que inclui sessões de cinema para escolas e famílias, visitas guiadas à exposição, workshops e oficinas.
                                   
De cariz vincadamente educativo, a ANIMAR promove todos os anos oficinas de iniciação ao cinema através da construção de brinquedos óticos como o caleidoscópio, zootrópio, entre outros, e workshops de ‘stop-motion’ e pixilação. Estas oficinas são destinadas à comunidade escolar do norte do país e, sobretudo, às escolas do concelho de Vila do Conde.  
A oferta formativa será complementada com oficinas de banda desenhada, sob a orientação de Hugo Maciel, nas quais apresentará o livro “Paris-Texas”  e a oficina de caracterização para famílias com Francisca Sobral (MUA), a partir do filme “Entre-Sombras” na Solar.
                                       
A 14a edição da ANIMAR conta com vários apoios, destacando-se os da Direção Geral das Artes e da Câmara Municipal de Vila do Conde. É uma iniciativa da equipa da Curtas Metragens CRL que organiza o Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema.

Agência inicia a celebração dos 20 anos em Clermont

31 Janeiro 2019
Share on Facebook Share on Twitter

Agência da Curta Metragem inicia a celebração dos 20 anos no maior festival de curtas-metragens da Europa, que terá lugar entre 1 e 9 de fevereiro de 2019, em França

A Agência da Curta Metragem inicia a celebração dos 20 anos no maior festival de curtas-metragens da Europa, que terá lugar entre 1 e 9 de fevereiro de 2019, em França.

A 41ª edição do Festival de Cinema de Clermont-Ferrand arranca no próximo dia 1 de fevereiro, com a curta “Como Fernando Pessoa Salvou Portugal” em competição, esta que é a primeira  iniciativa que assinala a celebração dos 20 anos da Agência da Curta Metragem. À semelhança dos anos anteriores, a agência voltará a marcar presença no Mercado, a decorrer em paralelo, para assegurar a promoção e divulgação da produção portuguesa naquele que é o maior e mais prestigiado festival de curtas-metragens da Europa.

O filme “Como Fernando Pessoa Salvou Portugal” de Eugène Green com d’ O Som e a Fúria integra a competição francesa. A curta-metragem, protagonizada por Carloto Cotta, Manuel Mozos, Diogo Dória, Alexandro Pierroni Calado, Ricardo Gross, Mia Tomé e o próprio Eugène Green, é uma bem humorada viagem ao universo de Fernando Pessoa. A narrativa é baseada num dos episódios mais célebres da carreira publicista do heterónimo Álvaro de Campos, autor do célebre slogan “Primeiro estranha-se, depois entranha-se”, criado em 1927 para a entrada da Coca-Cola em território português.

A Agência da Curta Metragem voltará a marcar presença em Clermont-Ferrand através de um stand promocional no Mercado da Curta Metragem. O evento, a decorrer em paralelo ao festival, recebe, todos os anos, mais de 3300 profissionais do sector cinematográfico fazendo deste um espaço de extrema importância na divulgação do cinema português. Para além das ações de promoção e divulgação das mais de 400 obras representadas pela agência.

Em paralelo decorre também o fórum europeu “Euro Connection”, de coprodução cinematográfica, no qual estará presente a realizadora Mónica Santos, com o projeto da curta-metragem “The Pink Jacket”.

Para dar início à celebração dos 20 anos, a agência irá realizar uma festa com a presença dos dj’s Miguel Dias e Sérgio Gomes em formato Curtas Vila do Conde Soundsystem no dia 3 de fevereiro no Le Fotomat.

“Entre Sombras” entre os nomeados para os César 2019

31 Janeiro 2019
Share on Facebook Share on Twitter

“Entre Sombras”, de Alice Guimarães e Mónica Santos com produção da Animais AVPL, Vivement Lundi ! e Um Segundo Filmes, está nomeada para Melhor Curta Metragem de Animação nos Prémios César da Academia Francesa de Cinema.

A Académie des Arts et Techniques du Cinéma, em França, anunciou esta manhã os nomeados aos prémios César de 2019. A 44ª edição da cerimónia de atribuição dos César, a ter lugar no próximo dia 22 de fevereiro na Sala Pleyel (Paris) e com transmissão direta no Canal+, contará com a presença da mais recente curta metragem da dupla de realizadoras Mónica Santos e Alice Guimarães na categoria de Melhor Curta Metragem de Animação.

“Entre Sombras” é uma animação em stop motion, com recurso à técnica da pixilação, inspirada nos elementos dos filmes noir e tem como cenário a cidade do Porto, nos anos 40, envolvida em mistério e jogos de sombras. A história, narrada por Margarida Vila-Nova, acompanha a funcionária de um banco (Sara Costa), onde se depositam corações, numa aventura em busca de um coração roubado. Os vários perigos que enfrenta, na companhia de um homem misterioso (Gilberto Oliveira), conduzem-na a um dilema: dar o seu coração ou guardá-lo para si.

O filme foi co-produzido pela francesa Vivement Lundi! e pela portuguesa Um Segundo Filmes e é distribuído pela Agência da Curta Metragem. Teve estreia mundial em junho de 2018 no Festival Animafest Zagreb e, em julho em Portugal, no Curtas Vila do Conde, tendo sido distinguido em ambos com o Prémio do Público. Desde então foi também premiado em diversos festivais, um pouco por todo o mundo, com particular destaque para o Prémio Especial do Júri no Hiroshima International Animation Festival (Japão), a Menção Especial do Júri Jovem e o Prémio do Público no Curta Cinema (Brasil), o Prémio do Júri Jovem “Cidade de Montpellier” no Cinéma Méditerranéen Montpellier (França), o Prémio Melhor Animação e Menção Honrosa do Júri Imprensa CISION nos Caminhos do Cinema Português e Prémio do Público no âmbito do Prémio Nacional de Animação 2018 da Casa da Animação (em anexo listagem de presenças em festivais e prémios).

 

Carlos Conceição estreia “Serpentário” no Fórum do Festival de Berlim

31 Janeiro 2019
Share on Facebook Share on Twitter

O filme “Serpentário”, primeira longa-metragem de Carlos Conceição, vai ter a sua estreia mundial na secção Fórum do festival de Berlim que terá lugar de 7 a 17 de fevereiro naquela cidade alemã.

O filme “Serpentário”, primeira longa-metragem de Carlos Conceição, vai ter a sua estreia mundial na secção Fórum do festival de Berlim que terá lugar de 7 a 17 de fevereiro naquela cidade alemã. Este é também o primeiro filme assinado pela recém formada produtora Mirabilis de António Gonçalves e Carlos Conceição.

“Serpentário”, uma co-produção luso-angolana, segue um rapaz que vagueia por uma paisagem africana pós-catástrofe em busca do fantasma da sua mãe e é protagonizado por João Arrais, contando ainda com a participação de Isabel Abreu (voz). É um filme emocional e muito pessoal sobre a memória, uma jornada sensorial de redescoberta que se vai transmutando entre a incursão autobiográfica do realizador em África - onde nasceu e viveu até aos seus 21 anos - e episódios da própria história de África. A propósito do filme, Carlos Conceição revela: "Quando voltei para filmar o Serpentário, as memórias tinham se tornado filmes na minha cabeça. A guerra tinha sido um rito de passagem entre a ligação perdida com a História e a reinvenção das suas texturas e cores. O passado tornou-se uma aventura, um western, um filme-catástrofe, conforme observava o meu eu mais jovem a acertar contas com uma terra que o traiu de volta.”

Carlos Conceição (5 de Agosto de 1979, Angola) não é um estreante em festivais de renome: em 2014, o realizador viu a sua quarta curta-metragem "Boa Noite Cinderela" apresentada na Semana da Crítica do Festival de Cannes, e “Versailles” apresentado na competição de Locarno em 2013. Fabien Gaffez, ex-programador da Semana da Crítica de Cannes, referiu-se a ele como “um dos mais interessantes jovens realizadores, explorando os seus filmes num estilo elegante, romântico, barroco e subversivo”. Em 2017, Carlos Conceição voltou a Cannes para apresentar a curta-metragem “Coelho Mau”, uma co-produção luso-francesa.

A estreia de “Serpentário” confirma mais uma vez o talento do jovem realizador colocando-o novamente na rota dos mais importantes e influentes festivais de cinema.

A secção Forum da Berlinale defende uma reflexão sobre o cinema, sobre o discurso socio-artístico. A sua programação visa expandir a definição de filme, testar os limites da convenção e abrir novas perspectivas para a compreensão do cinema e da sua relação com o mundo.

Curtas no Animac

9 Janeiro 2019
Share on Facebook Share on Twitter

Os filmes "Água Mole" de Laura Gonçalves e Alexandra Ramires (Xá), "Ride" de Paul Bush e "Entre Sombras" de Mónica Santos e Alice Guimarães estão seleccionados para o Festival ANIMAC a decorrer em Espanha, entre 21 e 24 de fevereiro. 

O ANIMAC é uma mostra de animação internacional realizada em Lleida desde 1996, que se tornou um festival de referência na criação de novas técnicas cinematográficas e de animação. 

"Água Mole" será exibido na programação oficial do festival e "Ride" e "Entre Sombras" estão incluídos na sessão "MONOGRAPHIC SESSION STOP MOTION 1", uma selecção especial desta edição. 

←prev 1  I  2  I  3  I  4  I  5  I  6  I  7  I  8  I  9  I  10  I  11  I  12  I  13  I  14  I  15  I  16  I  17  I  18  I  19  I  20  I  21  I  22  I  23  I  24  I  25  I  26  I  27  I  28  I  29  I  30  I  31  I  32  I  33  I  34  I  35  I  36  I  37  I  38  I  39  I  40  I  41  I  42  I  43  I  44  I  45  I  46  I  47  I  48  I  49  I  50  I  51  I  52  I  53  I  54  I  55  I  56  I  57  I  58  I  59  I  60  I  61  I  62  I  63  I  64  I  65  I  66  I  67  I  68  I  69  I  70  I  71  I  72  I  73  I  74  I  75  I  76 next→
ETIQUETAS