34 localidades assinalam em dezembro o Dia Mais Curto com sessões de curtas-metragens

28 Novembro 2016
Share on Facebook Share on Twitter

Inspirada no Solstício de Inverno, O Dia Mais Curto, a grande festa da curta-metragem, decorre durante todo o mês de dezembro, com incidência no dia 21, levando sessões de cinema a 34 localidades de norte a sul do país, passando também pelos arquipélagos.


Todos os anos, por volta do dia 21 de dezembro, o hemisfério norte entra na estação mais fria devido ao Solstício de Inverno, naquele que é o dia mais curto do ano. Este fenómeno astronómico inspirou a criação da festa que celebra o cinema no formato curto: O Dia Mais Curto. A ideia, que nasceu em França, rapidamente alcançou uma dimensão internacional sendo, atualmente, celebrada em simultâneo em dezenas de países. Em Portugal, o evento é organizado pelo quarto ano consecutivo pela Agência da Curta Metragem e vai percorrer novamente o país de norte a sul.


Abrantes, Albufeira, Almada, Amadora, Amarante, Barcelos, Braga, Cascais, Castro Verde, Coimbra, Constância, Elvas, Évora, Faro, Funchal, Guarda, Guimarães, Lajes do Pico, Leça da Palmeira, Leiria, Lisboa, Maia, Matosinhos, Oeiras, Ponta Delgada, Ponta do Sol, Porto, Sardoal, Setúbal, Vila do Conde, Vila Nova de Famalicão, Vila Nova de Gaia, Vila Real e Viseu vão receber uma seleção de curtas-metragens, nacionais e internacionais, para adultos e crianças, nos mais variados locais de projeção. Para além das salas de cinema, algumas sessões terão lugar em espaços inesperados como a piscina do Santana Hotel & SPA, em Vila do Conde, onde será possível assistir à sessão dentro de água, as carruagens e estações do Metro do Porto, as lojas Fnac, ou na Internet e televisão.

 

Os vários programadores associaram-se a esta iniciativa através de sessões próprias ou dos quatro programas propostos pela Agência da Curta Metragem. Elaborada em colaboração com a rede europeia Short Circuit, a sessão “Europa em Curtas” apresenta um conjunto de filmes europeus recentes que se destacaram nos principais festivais internacionais de cinema. É uma viagem pela Europa através de sete curtas-metragens com temas tão diversos como a poesia e a dependência, ou tão importantes quanto conceito de fronteira. O programa “Panorama Nacional” revela o melhor da produção portuguesa através das obras de jovens autores como Gabriel Abrantes, Simão Cayatte, Eduardo Brito e Ana Maria Gomes e das histórias que têm para contar. A pensar nas famílias, "Curtinhas em Dezembro" é uma proposta da Casa da Animação e inclui um conjunto de pequenas histórias repletas de aventura, peripécias e personagens únicas, mas também de reflexões sobre a solidão e o caminho certo a seguir. “Papel de Natal e Outras Histórias” celebra o espírito natalício através de pequenos contos para os mais novos sem esquecer a vertente pedagógica.


A Cinemateca Portuguesa e o Cineclube do Porto recebem sessões especiais do evento, no dia 21 e 22 de dezembro respetivamente, apresentando programas que destacam a produção nacional.


Este ano, O Dia Mais Curto também acontece na Internet. Entre os dias 14 e 21 de dezembro, a Agência da Curta Metragem disponibiliza cinco filmes portugueses, galardoados internacionalmente, para visualização gratuita online: “Abraço do Vento” de José Miguel Ribeiro, “Rapace” de João Nicolau, “Amélia & Duarte” de Alice Guimarães e Mónica Santos e “Vicky & Sam” de Nuno Rocha.


Na televisão, o Cinemax RTP e o Curtas Às Quartas dos Canais TVCine & Séries dedicam programas especiais ao evento.

O Dia Mais Curto será ainda assinalado nas escolas, por alunos de diferentes graus de ensino, e em instituições de solidariedade social como as Aldeias de Crianças SOS e a Santa Casa da Misericórdia.


O Dia Mais Curto é a festa do cinema, um momento de descoberta que vai iluminar as telas do país!


O programa completo da 4ª edição d’ O Dia Mais Curto será anunciado brevemente em www.odiamaiscurto.curtas.pt.

Lançamento do Livro "Laboratório Cinemático - Solar 10 anos" em Lisboa

31 Outubro 2016
Share on Facebook Share on Twitter

A Cinemateca Portuguesa recebe, na quinta-feira 10 de novembro, às 22:00, uma Sessão Comemorativa da Solar – Galeria de Arte Cinemática com a apresentação do livro “Laboratório Cinemático – Solar, 10 Anos” e a exibição de três filmes produzidos no âmbito da programação da galeria.

 

A Solar - Galeria de Arte Cinemática promove o lançamento, em Lisboa, do livro “Laboratório Cinemático – Solar, 10 Anos”, um obra que conjuga e adota o caráter puramente experimental da galeria Solar com a celebração de uma década de procura de novos territórios da arte cinemática. O livro reúne um conjunto de textos e entrevistas de e com alguns dos autores e artistas que contribuíram para história da Solar bem como um portefólio de exposições e intervenções que personificam o projeto Solar enquanto laboratório da arte cinemática.

 

A Sessão Comemorativa da Solar inclui a exibição de três curtas-metragens desenvolvidas no âmbito da programação da galeria Solar: “Exodus” de Nicolas Provost; “Vila do Conde Espraiada” de Miguel Clara Vasconcelos e “Dockworker’s Dream” de Bill Morrison.

 

O Dia Mais Curto regressa em Dezembro!

24 Outubro 2016
Share on Facebook Share on Twitter

Pelo quarto ano consecutivo, O Dia Mais Curto, a grande festa da curta-metragem, está de regresso a Portugal. A iniciativa decorrerá durante o mês de dezembro com sessões para toda a família em várias cidades do país. Se é programador e deseja associar-se a este evento, através dos programas propostos pela Agência da Curta Metragem ou de sessões próprias, contacte-nos até ao dia 15 de novembro!

 



Todos os anos, por volta do dia 21 de dezembro, o hemisfério norte entra na estação mais fria devido ao Solstício de Inverno, naquele que é o dia mais curto do ano. Este fenómeno astronómico inspirou a criação da festa que celebra o cinema no formato curto: O Dia Mais Curto. A ideia, que nasceu em França em 2011, rapidamente alcançou uma dimensão internacional sendo, atualmente, celebrada em simultâneo em dezenas de países. Em Portugal, o evento é organizado pela Agência da Curta Metragem e vai percorrer novamente o país de norte a sul, passando também pelos arquipélagos.


Durante todo o mês de dezembro, culminando no dia 21, serão programadas sessões em várias cidades do país com uma seleção de curtas-metragens com produções nacionais e internacionais, para adultos e crianças. Quer seja online, na televisão, em cinemas, bibliotecas, centros culturais, cineclubes, ou nos mais variados espaços públicos ou comunitários, a apresentação de curtas-metragens durante este curto, mas intenso, dia proporcionará ao público a oportunidade de descobrir um grande número de cineastas e as suas obras.


Os programadores poderão associar-se à iniciativa através de sessões próprias ou dos quatro programas propostos pela Agência da Curta Metragem: “Panorama Nacional”, “Europa em Curtas”, “Curtinhas em Dezembro” e “Papel de Natal e Outras Histórias”. As inscrições decorrem até ao dia 15 de novembro.


Na edição de 2015, O Dia Mais Curto contou com cerca de 6000 espectadores, 35 filmes e 60 sessões, destinadas ao público e as escolas, que tiveram lugar em 24 cidades portuguesas.



Informações e reservas:
jussara@curtas.pt
+351 252 646516 

Produção do Curtas Vila do Conde premiada no Festival Nouveau Cinema

12 Outubro 2016
Share on Facebook Share on Twitter

“Undisclosed Recipients”, de Sandro Aguilar, foi o grande vencedor da competição internacional de curtas-metragens do Festival Nouveau Cinema, cuja 45ª edição decorre até 16 de outubro no Canadá.


O prémio “Loup Argenté” foi atribuído ao realizador português por um júri composto por Mathieu Grondin, Valérie Mongrain and Marie-Élaine Riou e anunciado na noite de terça-feira numa cerimónia, pela primeira vez na história do festival, dedicada exclusivamente às curtas-metragens.


Rodado em 2015, “Undisclosed Recipients” tem como ponto de partida a energia e o ambiente vivido no festival Vodafone Paredes de Coura. “Interessou-me observar por uma vez os jovens, aqui num certo estado físico e mental, misto muito sugestivo de alheamento e alerta”, explica o realizador.


O filme, distribuído pela Agência da Curta Metragem, é uma produção da Curtas Metragens CRL.

Solar edita o livro "Laboratório Cinemático - Solar 10 anos"

30 Setembro 2016
Share on Facebook Share on Twitter

A Solar- Galeria de Arte Cinemática apresenta, no sábado, 8 de outubro, pelas 19:00, o livro "Laboratório Cinemático - Solar 10 anos", que inclui textos e entrevistas de autores que fizeram parte da história da galeria.

“Laboratório Cinemático – Solar, 10 Anos” é um livro que assume e adota o carácter puramente experimental da Solar. É uma obra que pretende guardar um passado, celebrar o presente, mas também projetar um futuro. Por isso mesmo, são incluídos trabalhos anteriores e posteriores aos dez anos, que rompem propositadamente as balizas cronológicas formais numa manifestação consciente de ação ininterrupta. Esse olhar para o futuro está bem presente com a inclusão de materiais da instalação 4.56.20, de João Tabarra ,a inaugurar em simultâneo com o lançamento deste livro, às 18:00 do dia 8 de outubro. Pretende-se, com isso, demonstrar como o projeto da Solar, enquanto laboratório, se projeta num futuro sempre instável, à procura dos novos territórios da arte cinemática.

No dia do lançamento do livro e da inauguração da exposição, entre as 18:00 e as 20:00, algumas publicações da Loja das Curtas, situada na Solar, estarão com descontos entre os 10% e os 50%.

Lançamento do DVD "João Pedro Rodrigues & João Rui Guerra da Mata: As Curtas-Metragens"

30 Setembro 2016
Share on Facebook Share on Twitter

Em parceria com a Fnac, o Curtas Vila do Conde editou em DVD todas as obras de curta-metragem realizadas por João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, em conjunto ou a solo. Esta compilação é um testemunho da intimidade e do cosmopolitismo cinéfilo da dupla que esteve recentemente em Vila do Conde para apresentar uma exposição na Solar - Galeria de Arte Cinemática e uma carta branca no 24º Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema. A propósito da edição deste volume, será ainda apresentada uma exposição itinerante com fotos de rodagem de alguns dos filmes da dupla que percorrerá as lojas Fnac do país.

 

“João Pedro Rodrigues & João Rui Guerra da Mata: As Curtas-Metragens” é o volume três de um conjunto de edições lançadas no âmbito desta parceria, depois de “Reconversão" de Thom Andersen e de “Miguel Gomes: As Curtas-Metragens”. Estas edições, legendadas em inglês, espanhol e português, podem ser adquiridas por 4 euros na Loja das Curtas, situada na Solar -Galeria de Arte Cinemática e nas lojas Fnac de todo o país.


Em paralelo ao lançamento deste DVD, os realizadores foram convidados a fazer uma seleção de fotografias de cena em pleno ato criativo, para uma exposição itinerante que irá percorrer as Fnacs do país. Esta exposição reúne vinte e duas imagens da rodagem do filme “Morrer Como um Homem”, e das curtas-metragens “O Corpo de Afonso”, “O que Arde Cura”, “Manhã de Santo António” e “Mahjong”, realizados por João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, tanto a solo como em dupla, e documenta aspetos específicos dos bastidores da produção, sobretudo momentos de preparação dos elementos da mise-en-scène, como cenários, decoração e de composição da luz.


As imagens aqui mostradas exibem igualmente artifícios de ilusionismo e revelam a atenção ao detalhe que é depositada pela dupla de realizadores em cada enquadramento, e a forma como preparam visualmente as suas composições. Elas são testemunho da diversidade temática e estética destas obras, evidenciando ambientes e atmosferas específicas, como é o caso inequívoco das fotografias de “Mahjong”, um filme produzido pela Curtas Metragens CRL, rodado na Varziela, em Vila do Conde, e que transformou uma vulgar zona industrial com grandes armazéns de retalho num misterioso filme de suspense.


As fotos de rodagem são sempre um testemunho documental de um processo de trabalho. As que esta exposição reúne são a evidência do trabalho meticuloso de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, dois dos mais talentosos cineastas portugueses. 


O lançamento desta edição coincide com a estreia em sala de “O Ornitólogo”, a longa-metragem que valeu a João Pedro Rodrigues o prémio de melhor realizador no prestigiado festival de Locarno.


João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata são uma das duplas mais criativas e singulares do cinema contemporâneo. Ambos têm construído uma carreira sólida repleta de cumplicidades, desde o iniciático Parabéns!, agora com quase duas décadas, realizado por Rodrigues e com Guerra da Mata como ator. A partir de então, juntos ou individualmente, as suas curtas-metragens abordam alguns dos seus temas obsessivos: a herança asiática na cultura portuguesa, o desafio aos géneros cinematográficos e uma constante reinvenção do cinema de ficção, através de retratos tão distantes como o do Martim Moniz, em Lisboa, ou o de uma rua anónima de Macau. Este DVD inclui todas as obras de curta-metragem realizadas pelos dois cineastas, em conjunto e a solo, e é um testemunho da intimidade e do cosmopolitismo cinéfilo da dupla.

 

João Pedro Rodrigues & João Rui Guerra da Mata: As Curtas-Metragens

Curtas Vila do Conde & FNAC

Volume 3 


Parabéns!

João Pedro Rodrigues

PT, 1997, 15’

Dois homens, dois corpos encerrados num apartamento. Duas idades: 30 e 19 anos, um arquiteto e um rapaz das noites. Um gato. A voz de Ana no atendedor de chamadas.

 

China, China

João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata

PT, 2007, 19’

China desce as escadas em direção ao Martim Moniz, em Lisboa. China vai voar. Fugir para longe ao amanhecer. Ela só quer ser feliz. Mas China bebe o seu próprio veneno. Bebe-o até ao fim.

 

Alvorada Vermelha

João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata

PT, 2001, 27’

Macau, Mercado Vermelho, Fevereiro de 2011. Dois realizadores, um olhar. Os gestos e as rotinas, entre a vida e a morte. In memoriam: Jane Russell.

 

O Que Arde Cura

João Rui Guerra da Mata

PT, 2012, 26’

Na madrugada de 25 de Agosto de 1988, Portugal acorda com o maior incêndio de que há memória desde o Grande Terramoto de 1755. Do outro lado da cidade, Francisco recebe um telefonema e as chamas do passado irrompem pelo seu quarto, sufocando a sua vida.

 

Manhã de Santo António

João Pedro Rodrigues

PT · FR, 2012, 25’

Manda a tradição que, no dia de Santo António, os namorados ofereçam vasos de manjericos enfeitados com cravos de papel e bandeirolas com quadras populares como prova do seu amor.

 

O Corpo de Afonso

João Pedro Rodrigues

PT, 2013, 32’

Como seria o corpo do primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques,

figura tutelar, alvo de mitificações sucessivas no decurso da nossa História

 

Mahjong

João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata

PT, 2013, 35’

Um homem de chapéu e uma mulher desaparecida. O confronto

entre o Vento Leste e o Dragão Vermelho; os pontos cardeais trocados como num derradeiro jogo de Mahjong.

 

Allegoria della Prudenza

João Pedro Rodrigues

PT, 2013, 1’30’’

Hécate, um corpo e três cabeças: Ticiano, Mizoguchi e Paulo Rocha. O vento leva-nos dos dois túmulos de Mizoguchi em Tóquio e Quioto até Ovar, onde repousam as cinzas de Rocha.

 

Iec Long

João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata

PT, 2014, 31’

Do chinês, “pan-tcheong” ou “pau- -tcheong”, consta nos dicionários como um regionalismo macaense também chamado “estalo da China” ou “foguete chinês”. Quem vive na antiga Fábrica de Panchões Iec Long?

←prev 1  I  2  I  3  I  4  I  5  I  6  I  7  I  8  I  9  I  10  I  11  I  12  I  13  I  14  I  15  I  16  I  17  I  18  I  19  I  20  I  21  I  22  I  23  I  24  I  25  I  26  I  27  I  28  I  29  I  30  I  31  I  32  I  33  I  34  I  35  I  36  I  37  I  38  I  39  I  40  I  41  I  42  I  43  I  44  I  45  I  46  I  47  I  48  I  49  I  50  I  51  I  52  I  53  I  54  I  55  I  56  I  57  I  58  I  59  I  60  I  61  I  62  I  63  I  64  I  65  I  66 next→
ETIQUETAS