Animar termina no domingo com cinema para toda a família

30 Maio 2016
Share on Facebook Share on Twitter

A 11ª edição do projeto educativo ANIMAR chega ao fim no próximo domingo, 5 de junho. Para assinalar a ocasião, o Teatro Municipal de Vila do Conde recebe a festa de encerramento, a partir das 14:00, com brincadeiras para os mais novos e a exibição do filme “Norm – O Herói do Ártico”, numa sessão que vai também apresentar um balanço do projeto e as curtas-metragens produzidas nas escolas durante os ateliês de cinema de animação.

 

“Norm – O Herói do Ártico”, de Trevor Wall, é uma divertida comédia para toda a família. Nesta história, Norm é um urso polar muito prolixo, que tem uma queixa bastante simples: não há espaço para turistas no Ártico. Mas quando um maníaco empreiteiro ameaça construir condomínios de luxo no seu próprio quintal, Norm faz o que todos os ursos polares normais fariam: viaja para Nova Iorque para impedir o negócio. Com um grupo de lemingues ao seu lado, Norm vai enfrentar a Big Apple ao mesmo tempo que terá de lidar com uma crise de identidade para conseguir o seu objetivo.

 

Durante a sessão de cinema, serão também apresentadas, pela primeira vez, as curtas-metragens realizadas, nos últimos meses, por alunos de três escolas do concelho de Vila do Conde sob a orientação dos realizadores Paulo D’Alva, Sandra Santos e Jorge Ribeiro. Todos os anos, durante a Animar, formadores e realizadores são convidados a realizar, com turmas de vários níveis de ensino, pequenas curtas-metragens. Alguns dos projetos realizados neste âmbito chegam mesmo a integrar o circuito internacional dos festivais de cinema.

 

Em simultâneo, também no Teatro Municipal, será apresentada uma mostra dos trabalhos originais realizados nas escolas durante as oficinas da Animar.

Com uma programação pensada especialmente para a comunidade escolar, a Animar 11 levou a cabo, nos últimos meses, um conjunto de atividades para alunos de vários níveis de ensino: visitas à exposição na Solar – Galeria de Arte Cinemática, sessões de cinema com filmes de animação premiados internacionalmente, ateliers de cinema, entre outras. 

 

Criado pela equipa que organiza o Curtas Vila do Conde - Festival Internacional de Cinema, a Animar é um projeto anual iniciado em 2005 que parte dos filmes de animação para a realização de uma série de atividades de carácter lúdico e educativo em torno do Cinema.

 

A 11ª edição da Animar tem como parceiros o Cineclube de Vila do Conde, a Casa da Animação e o Cartoon D’Or e conta com o apoio da Viarco, Science4you, Pintarolas e dos Chocolates Regina. 

Tindersticks, Jay-Jay Johanson, The Legendary Tigerman e The Greg Foat Group no Curtas Vila do Conde

25 Maio 2016
Share on Facebook Share on Twitter

Os ingleses Tindersticks vão apresentar, ao vivo no Curtas Vila do Conde, o novo álbum visual “The Waiting Room”. A secção Stereo do festival vai contar também com filmes-concerto de Jay-Jay Johanson, The Legendary Tigerman e The Greg Foat Group.

Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema regressa para a sua 24ª edição entre 9 e 17 de julho. À imagem dos anos anteriores, a programação arrojada do festival volta a dar destaque à intersecção entre o cinema e a música através da secção Stereo, onde as imagens em movimento são reinterpretadas por músicos e bandas em espetáculos ao vivo.

 


A 13 de julho, os ingleses Tindersticks apresentam, ao vivo no festival, “The Waiting Room”, num filme-concerto acompanhado por várias curtas-metragens que ilustram as faixas do novo álbum. Na segunda parte do espetáculo, a banda vai ainda revisitar alguns dos temas que marcaram os 25 anos de carreira dos Tindersticks. É uma estreia absoluta em Portugal.


Editado no início do ano, “The Waiting Room” é o décimo álbum de estúdio dos Tindersticks e conta com as participações especiais de Jehnny Beth, vocalista das Savages; um dueto virtual com Lhasa De Sela, cantora falecida em 2010; e arranjos de Julian Siegel. Este novo trabalho surge acompanhado de um ambicioso projeto audiovisual que explora a relação dos Tindersticks com o cinema: vários realizadores foram convidados a criar curtas-metragens que ilustram visualmente cada uma das 11 faixas do álbum. Estas interpretações ficaram a cargo de cineastas como Christoph Girardet, Joe King e Rosie Pedlow – que já passaram, inclusivamente, pelo Curtas Vila do Conde – Pierre Vinour, Claire Denis, Gregorio Graziosi, Richard Dumas e o brasileiro Gabriel Sanna, entre outros. Alguns dos vídeos são assinados pelo próprio Stuart A. Staples, vocalista da banda.


O projeto, produzido pela Blogotheque e pela editora discográfica Lucky Dog, é o resultado de uma parceria com o Festival Internacional de Curtas Metragens de Clermont-Ferrand, onde o espetáculo foi apresentado pela primeira vez.


A 16 de julho, o cantor e compositor de voz melancólica, Jay-Jay Johanson apresenta em Vila do Conde o seu mais recente álbum “Opium”, num espetáculo audiovisual onde os temas são acompanhados por imagens em movimento.


Assumidamente mais pop e rock, o décimo álbum de originais de Jay-Jay Johanson mantém toda a essência da sua música: uma facilidade inata para as melodias e uma voz e ritmos que elevam as suas canções do subtil ao sublime, numa abordagem intimista às questões que o atormentam.


Presença habitual no Curtas Vila do Conde, The Legendary Tigerman regressa ao festival a 15 de julho com “How To Become Nothing”, o projeto que juntou o músico, a fotógrafa Rita Lino e o realizador Pedro Maia numa road trip pelo deserto da Califórnia. O resultado, em estreia absoluta no Curtas Vila do Conde, é um road movie, em formato de filme-concerto, com banda sonora ao vivo de The Legendary Tigerman e imagens manipuladas em tempo real por Pedro Maia. “How To Become Nothing” é um falso diário, com registos em fotografia, Super 8mm e textos de Paulo Furtado, fruto de três visões sobre a viagem de um homem que, mais do que desaparecer, procura chegar a nada, ser nada.


Pela primeira vez em Portugal, The Greg Foat Group, o quinteto de jazz liderado pelo talentoso músico Greg Foat, sobe ao palco do festival a 14 de julho para apresentar um projeto em estreia absoluta. “Visual Music” é uma banda sonora original para clássicos do cinema experimental dos anos 20 realizados por Hans Richter, Marcel Duchamp, Ralph Steiner e Walter Ruttmann.


Com vários trabalhos editados pela Jazzman Records, The Greg Foat Group são aclamados pela crítica internacional desde a sua estreia. A sonoridade incomparável do grupo caracteriza-se pela atmosfera de experimentação, recorrendo a instrumentos como o cravo, o sintetizador, sinos tubulares e um coro que acompanha os registos, numa mistura de estilos e correntes musicais que primam pelo ambiente cinematográfico e o jazz psicadélico.



Os bilhetes para os filmes-concerto do Curtas Vila do Conde estão à venda na Bilheteira do Teatro Municipal de Vila do Conde e na rede da Bilheteira Online. Para o filme-concerto dos Tindersticks, os bilhetes custam 22 euros, com desconto de 50% para titulares do Free-Pass do Festival. Para os restantes espetáculos, os bilhetes variam entre os 7 e os 15 euros, com entrada gratuita com Free-Pass.


O Free-Pass para o 24º Curtas Vila do Conde, à venda no site do festival, pode ser adquirido até 31 de maio ao preço promocional de 35 euros. Depois dessa data, passa a custar 40 euros, aumentando para 50 euros a partir de 1 de julho. Este passe geral garante o acesso a todas as sessões de cinema, filmes-concerto (à exceção de Tindersticks), festas, Mercado da Curta Metragem e a um catálogo do festival.


Na sua 24ª edição, o Curtas Vila do Conde continuará a apresentar, no Teatro Municipal, o melhor do cinema contemporâneo através de uma vasta seleção de filmes inovadores para um público cada vez mais interessado e que vive a semana do festival de forma intensa.


O Curtas Vila do Conde tem o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Ministério da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual e de vários parceiros imprescindíveis à realização do festival. A secção Stereo conta com o patrocínio exclusivo da FNAC.

Queres fazer parte do júri Curtinhas?

19 Maio 2016
Share on Facebook Share on Twitter

Se tens entre 8 e 12 anos podes ajudar a escolher o melhor filme da competição infantil do próximo Curtas Vila do Conde! Na cerimónia de encerramento do festival, poderás ainda entregar o prémio Curtinhas MAR Shopping ao realizador vencedor.


Os elementos deste júri tão especial, composto por 15 crianças, receberão um free-pass para as sessões infantis do festival, um catálogo e ainda uma t-shirt Curtinhas.


Inscreve-te através do e-mail animar@curtas.pt

Sobre o Curtinhas....


O cinema e o audiovisual dominam o dia-a-dia das crianças. A educação para o cinema é, assim, fundamental para uma percepção correta do mundo e da manipulação das imagens. Para isso, surgiu o Curtinhas, a secção do festival onde as crianças e os adolescentes são o público mais exigente. A programação deste mini-festival é composta por uma secção competitiva - para maiores de 3, 6 e 9 anos, onde serão as próprias crianças a decidir os vencedores.


Entre diversos filmes divertidos, serão certamente sessões muito animadas. Para além da competição, o Curtinhas oferece o Espaço Infantil Brincar ao Cinema, onde os pais poderão deixar as crianças em tarefas educativas relacionadas com o cinema de animação, enquanto assistem a outras sessões do festival.

Filmes da Semaine de La Critique de Cannes para visualização gratuita no Festival Scope

19 Maio 2016
Share on Facebook Share on Twitter

De 20 a 27 de maio, o Festival Scope vai disponibilizar, para visualização gratuita em todo o mundo, uma seleção de curtas-metragens que integram a competição da 55ª edição da Semaine de La Critique do Festival de Cannes. 

Da lista de filmes fazem parte os portugueses “Ascensão” de Pedro Peralta e “Campo de Víboras” de  Cristèle Alves Meira; “En Moi” de Laetitia Casta; “Arnie” de Rina B. Tsou; “Delusion Is Redemption to Those in Distress” de Fellipe Fernandes; “Birth of Leader” de Antoine de Bary; “Limbo” de Konstantina Kotzamani; “Oh What a Wonderful Feeling” de François Jaros; “In The Year of Monkey” de Wregas Bhanuteja; “The Virgin Soldier” de Erwan Le Duc; “Superbia” de Luca Tóth; “From The Diary of a Wedding Photographer” de Nadav Lapid e “Water Steps” de César Augusto Acevedo.

 
A visualização é gratuita mas limitada a 200 bilhetes por filme.

Filmes da Animar premiados em Viana do Castelo

12 Maio 2016
Share on Facebook Share on Twitter

Os filmes "Remédio Marinho" e "Os Bravos do Mindelo", realizados em oficinas da Animar, foram premiados no Festival de Cinema de Vídeo Escolar -AÇÃO002! integrado nos XVI Encontros de Cinema de Viana do Castelo. 

"Remédio Marinho", realizado pelos alunos do 4ª ano da escola básica de Areia-Árvore sob a orientação da realizadora Alice Eça Guimarães, venceu o prémio de Melhor Filme de Animação do 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico. O filme é baseado no livro “ O beijo da palavrinha” de Mia Couto, construído a partir das ideias, desenhos e animações da turma. Conta a história de Maria Poeirinha, uma menina que está doente e precisa de ver o mar. Só a força da palavra, trazida pelo seu irmão, a pode ajudar…

Já "Os Bravos do Mindelo", realizado com alunos do Curso Vocacional de Expressões, Fotografia, Cinema de Animação e Vídeo da Escola EB 2, 3 D. Pedro IV - Mindelo de Vila do Conde, venceu o prémio Ação002! para o Melhor Filme de Animação do Ensino Secundário. A curta-metragem é um relato na primeira pessoa das vidas destes alunos que são bastante diferentes das vidas dos jovens da sua idade.

Também os filmes “Aconteceu entre Retorta e Tougues”, “Kinesis” e “Mar à Vila” , realizados no âmbito do mesmo projeto, integram a competição do festival. 

Criada pela mesma equipa que organiza o Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, a Animar desenvolve anualmente várias atividades em torno do cinema de animação destinadas a públicos de todas as idades, com destaque para a comunidade escolar da região. Neste momento, está a decorrer a 11ª edição que tem como atividade central a exposição na Solar – Galeria de Arte Cinemática, aberta ao público todos os dias entre as 14:00 e as 18:00. Até junho, decorrem nas escolas os ateliês de animação orientados por formadores convidados, ateliês de iniciação de cinema na sala de aula, visitas guiadas à exposição na Solar – Galeria de Arte Cinemática, sessões de cinema no Teatro Municipal de Vila do Conde e apresentações e mostras “Antes do Filme”. A festa de encerramento da Animar 11, aberta ao público em geral, terá lugar a 5 de junho, no Teatro Municipal de Vila do Conde. 

Curta de Lois Patiño premiada em São Francisco

10 Maio 2016
Share on Facebook Share on Twitter

“Noite Sem Distância”, de Lois Patiño, foi galardoada com o prémio para Melhor Curta-Metragem no 59º Festival Internacional de Cinema de São Francisco, que decorreu entre 21 de abril e 5 de maio nos EUA. O filme, rodado na fronteira entre Portugal e Espanha, é uma produção do Curtas Vila do Conde e integra o catálogo de filmes da Agência da Curta Metragem. 

“Noite Sem Distância” integrou a Competição Golden Gate Awards para curtas-metragens narrativas. Sobre a competição, o júri, composto pela programadora do festival Laura Thielen; pela Vice-Presidente de Aquisição de Filmes da Fandor, Amanda Salazar; e pelo jornalista e produtor Santhosh Daniel; considerou que “estas representações bem construídas conectaram-nos com o mundo e a nossa própria humanidade de uma forma inesperada”.

 

Organizado pela San Francisco Film Society, o San Francisco Film Festival é o mais antigo festival de cinema das Américas.

 

Produzido pela Curtas Metragens CRL no âmbito do projeto Campus, envolvendo uma equipa de estudantes de cinema e multimédia, “Noite Sem Distância” teve estreia em julho de 2015 no 23º Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema. Desde então, a curta-metragem integrou o circuito dos festivais internacionais de cinema, entre os quais os Festivais de Locarno, Toronto, Nova Iorque e Hong Kong.

 

O filme foca-se na fronteira entre Portugal e Galiza, desenvolvendo as histórias que habitam esses espaços, nomeadamente o papel do contrabando no desenvolvimento dos dois países.

 

“Decidi representar uma cena de contrabando na Serra do Gerês em estradas que os contrabandistas realmente usaram. E as pessoas da região participariam enquanto atores, muitos deles foram, inclusivamente, contrabandistas na juventude”, explica o galego Lois Patiño.

 

←prev 1  I  2  I  3  I  4  I  5  I  6  I  7  I  8  I  9  I  10  I  11  I  12  I  13  I  14  I  15  I  16  I  17  I  18  I  19  I  20  I  21  I  22  I  23  I  24  I  25  I  26  I  27  I  28  I  29  I  30  I  31  I  32  I  33  I  34  I  35  I  36  I  37  I  38  I  39  I  40  I  41  I  42  I  43  I  44  I  45  I  46  I  47  I  48  I  49  I  50  I  51  I  52  I  53  I  54  I  55  I  56  I  57  I  58  I  59  I  60  I  61  I  62 next→
ETIQUETAS