Abertura da Exposição RUINS / RITES / RUNES de Ben Rivers e Ben Russell

16 Junho 2015
Share on Facebook Share on Twitter

A Solar – Galeria de Arte Cinemática apresenta a exposição “Ruins / Rites / Runes”, de Ben Rivers e Ben Russell, que contará com um programa paralelo e a presença dos cineastas no 23º Curtas Vila do Conde. A exposição inaugura no próximo sábado, 20 de junho, às 18:30, com uma performance de Jonathan Saldanha às 19:00. 

A Solar – Galeria de Arte Cinemática, em Vila do Conde, volta a colocar o cinema em contexto de galeria através da exposição “Ruins / Rites / Runes”, dos cineastas Ben Rivers e Ben Russell. Esta exposição explora a relação criativa entre os dois artistas, que têm alcançado um lugar de destaque no cinema experimental. 

 Em “Ruins / Rites / Runes”, Ben Rivers e Ben Russell apresentam dois projetos individuais, “Ah, Liberty” (Ben Rivers) e “River Rites” (Ben Russell), e dois trabalhos colaborativos, que documentam as preocupações que ambos têm revelado nos seus filmes: “A Spell to Ward Off The Darkness” e “Call no Man Happy Until He is Dead”. 
 
Após a abertura da exposição, a 20 de junho, às 18:30, será apresentada, no pátio da Solar – Galeria de Arte Cinemática, às 19:00, uma performance do artista Jonathan Saldanha em parceria com o Circular – Festival de Artes Performativas. 

Jonathan Uliel Saldanha é construtor sonoro e cénico, que aborda no seu trabalho a pré-linguagem, os ritmos circulares, o animismo e as relações do som com os seus espectros. Tem vindo a desenvolver um trabalho sonoro que parte de reminiscências da música cerimonial, da dimensão bruta do som e da voz organizados por sistemas auto-generativos e da vibração das cavidades do corpo e seu gesto intuitivo.

Esta performance está integrada no ciclo de concertos do 10º aniversário da galeria, apoiado pela FNAC. 

“Ruins / Rites / Runes” será complementada com duas sessões no 23º Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, onde os artistas mostrarão o seu trabalho e discutirão as suas mútuas influências. Russell e Rivers têm realizado diversas curtas e longas, tanto individualmente como em conjunto. O seu foco de investigação, dentro do cinema experimental, atravessa a linha divisória entre documentário e ficção.

Apresentação da Programação do Curtas Vila do Conde

11 Junho 2015
Share on Facebook Share on Twitter

A programação integral do 23.º Curtas Vila do Conde será apresentada a 18 de junho, às 11:30, no Teatro Municipal de Vila do Conde com a presença dos diretores do Festival e de alguns realizadores em competição. A entrada é aberta, não só a jornalistas, mas também ao público em geral. 

Quentin Dupieux em retrospetiva com três filmes em estreia nacional

11 Junho 2015
Share on Facebook Share on Twitter

Para além das várias competições e de programas especiais, o Curtas Vila do Conde apresentará, à semelhança das edições anteriores, um realizador In Focus. Este ano, a retrospetiva é dedicada ao francês Quentin Dupieux, com a exibição de três filmes em estreia nacional: "Reality", "Wrong" e Wrong Cops". Nesta secção será ainda apresentado "Rubber", que estrou no Festival de Cannes em 2010.


Quentin Dupieux, também conhecido no meio musical por Mr. Oizo, é autor de uma assinalável filmografia nos últimos quinze anos, com um estilo muito particular, articulando a tradição do cinema de autor europeu com o cinema de géneros americano.

 

Recorrendo ao humor negro, Dupieux concentra-se em protagonistas inadaptados que procuram encaixar-se num mundo que não os aceita. A solidão terrível destas personagens, transforma o humor sofisticado do cineasta em tragédias absurdas.


Em “Rubber” (2010), um pneu solitário parece iniciar uma vingança contra a raça humana, deixando uma comunidade à beira de um ataque de nervos. “Wrong” (2012), apresenta Dolph Springer, homem da smalltown americana, que fica sem o seu cão através de um estranho rapto, que altera a sua vida. “Wrong Cops” (2013) retrata a história absurda do quotidiano de um grupo de policias com pouca ética. Em “Reality” (2014), seguimos um operador de câmara de televisão que quer ser cineasta, mas enreda-se numa vertigem de sonhos infindável.


O cinema de Quentin Dupieux é, assim, caracterizado por um absurdo que emerge de histórias aparentemente banais e quotidianas. O humor do cineasta, às vezes sofisticado, outras simplesmente absurdo, desenvolve uma certa iconoclastia pós-moderna, baralhando as expectativas dos espectadores. A grande virtude dos filmes de Dupieux é provocar o desespero ou o riso, mostrando como o mundo contemporâneo é, na maior parte das vezes, naturalmente incompreensível. Entrar neste labirinto narrativo é, por isso, um passo ousado, mas plenamente encantador como experiência de cinema.

Curtas Vila do Conde: Filmes em Competição

11 Junho 2015
Share on Facebook Share on Twitter

De 4 a 12 de julho, o Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema voltará a ser a montra privilegiada da mais recente produção em formato curto através das Competições Nacional, Internacional, Experimental, Vídeos Musicais, Take One! e Curtinhas.

O cinema português, apesar das suas naturais fragilidades económicas, tem dado sinais evidentes de uma grande pujança criativa, expressando uma liberdade notável dos seus cineastas. A Competição Nacional do Curtas Vila do Conde apresenta essa liberdade criativa através de um conjunto de filmes que voltam a colocar a curta-metragem portuguesa no radar dos festivais internacionais. 2015 será o ano de realizadores como Sandro Aguilar, Salomé Lamas, Filipa César, Jorge Quintela, João Rosas, Basil da Cunha ou Luís Alves de Matos, todos eles ligados à história do Curtas Vila do Conde.


O melhor filme da Competição Nacional será galardoado com o Prémio BPI, no valor de 2000 euros, e o Prémio Pixel Bunker, com 2500 euros em serviços. A SPA – Sociedade Portuguesa de Autores premiará, com 1500 euros, o filme nacional mais votado pelo público. O melhor realizador português será distinguido pela DigiMaster com um prémio no valor de 3000 euros em serviços.


Por sua vez, a Competição Internacional do Curtas Vila do Conde, apresenta uma assinalável diversidade temática e geográfica através de filmes de Virgil Widrich, Bill Plympton, Antonin Peretjatko, Kleber Mendonça Filho, Sergei Loznitsa, entre outros.


Ao melhor filme desta competição será atribuído o Grande Prémio Jameson, no valor de 2000 euros. Será também distinguida a melhor curta-metragem de cada categoria a concurso: Animação, Documentário e Ficção. Ao filme mais votado pelo público será atribuído o Prémio do Público Niepoort, no valor de 1000 euros. Ainda na Competição Internacional, será anunciado o prémio para Melhor Curta-Metragem Europeia, que inclui a nomeação para os Prémios do Cinema Europeu organizados anualmente pela EuropeanFilm Academy.  


Competição Experimental voltará a desafiar convenções apresentando artistas e cineastas que ousam olhar mais à frente. A seleção do Curtas Vila do Conde oferece uma oportunidade para redescobrir os grandes autores deste género, entre eles Volker Schreiner, Johan Grimonprez, Peter Tscherkassky, Ken Jacobs, Johan Lurf, Bill Morrison, Jennifer Reeves, Louise & Jane Wilson, Jay Rosenblatt e Deborah Stratman. Trata-se de um conjunto de luxo que fará destas sessões, à semelhança dos anos anteriores, salas esgotadas do Teatro Municipal. O melhor filme experimental será premiado com 750 euros.


Competição de Vídeos Musicais regressa ao Curtas Vila do Conde num formato dedicado à produção nacional através de artistas como Clã, X-Wife, PZ, Gala Drop e Linda Martini. Na tela grande do Teatro Municipal, estes filmes ganharão outra dimensão. O melhor vídeo em competição receberá um prémio no valor de 750 euros patrocinado pela FNAC.


Reservada a filmes de estudantes, a Competição Take One! apresentará uma nova geração de talentos saída das escolas de cinema e audiovisual. O melhor filme desta competição arrecadará três prémios: Prémio Smiling, no valor de 1500 em serviços de aluguer de equipamento com patrocínio Smiling/Nova Imagem, o Prémio Restart, que consiste num vale em formação e/ou utilização em meios de produção e pós-produção com equipamento ou espaços técnicos no valor de 500 euros na Restart - Escola de Criatividade e Novas Tecnologias, e o Prémio da Agência da Curta Metragem, que garantirá a inscrição do filme num circuito internacional de festivais de cinema.


Na Competição Curtinhas, o júri, composto por 15 crianças com idades entre os 6 e os 12 anos, votará no melhor filme ao qual será atribuído um prémio de 1000 euros patrocinado pelo Mar Shopping. Esta secção do Festival, conta também com um espaço infantil e várias oficinas, permitindo aos mais novos participarem numa semana de cinema em família.


Adicionalmente, será atribuído um prémio de aquisição Canal + Espanha, para um filme da Competição Nacional, e, ainda, haverá lugar a uma escolha de aquisições entre os filmes em competição, resultado de uma parceria com a TVCine & Séries.


As diferentes competições do Curtas Vila do Conde vão, assim, voltar a garantir as sessões mais diversificadas e concorridas do Festival, com filmes de inegável qualidade, grande parte em estreia nacional, que mostram o estado atual do mundo e o melhor da produção recente.

Animar 10 encerra com "Papel de Natal", de José Miguel Ribeiro

9 Junho 2015
Share on Facebook Share on Twitter

A 10ª edição do ANIMAR encerra no próximo domingo, 14 de junho, com a exibição da curta-metragem “Papel de Natal”, de José Miguel Ribeiro, às 16:00, no Teatro Municipal de Vila do Conde, numa sessão que vai também apresentar um balanço da edição e três filmes produzidos nas escolas no âmbito deste projeto educativo.

A curta-metragem “Papel de Natal”, de José Miguel Ribeiro, é uma adaptação especial para televisão da longa com o mesmo nome que estreou no final do ano passado nas salas de cinema. O filme pretende despertar, nos mais novos, uma consciência ambiental através de uma história protagonizada por Dodu, um rapaz de cartão, que foi construído a partir de desperdícios de papel por uma menina chamada Camila, que procura o pai. A missão de Dodu é salvar o pai de Camila e resgatá-lo do Monstro Desperdício, reciclando o papel de embrulho dos presentes de Natal.


As marionetas utilizadas na produção desta curta-metragem poderão ser vistas, de 9 a 14 de junho no foyer do Teatro Municipal, numa mostra que inclui também alguns dos trabalhos originais realizados nas escolas durante as oficinas ANIMAR.

 Com uma programação pensada especialmente para a comunidade escolar, o ANIMAR 10 levou a cabo, durante cinco meses, um conjunto de atividades para alunos de vários níveis de ensino: visitas à exposição “Estação ANIMAR”, na Solar – Galeria de Arte Cinemática, sessões de cinema com filmes de animação premiados internacionalmente, ateliers de brinquedos óticos e pixilação, entre outras.


À semelhança das edições anteriores deste projeto educativo, que tem como objetivo principal a aproximação do público jovem ao cinema, formadores convidados produziram pequenos filmes de animação durante ateliers nas escolas do concelho de Vila do Conde, que serão apresentados pela primeira vez na sessão de encerramento.


“Remédio Marinho”, realizado por alunos do 4º ano da Escola Básica da Areia Árvore (Agrupamento de Escolas D. Afonso Sanches de Vila do Conde), contou com Alice Guimarães, corealizadora de “Amélia e Duarte”, como formadora. O filme é inspirado no conto de Mia Couto, “O Beijo da Palavrinha”. Sob orientação de Jorge Ribeiro, os alunos do Curso Vocacional de Expressões, Fotografia, Cinema de Animação e Vídeo da Escola EB 2,3 D. Pedro IV- Mindelo (Agrupamento de Escolas D. Pedro IV de Vila do Conde) produziram uma curta-metragem sobre as suas próprias experiências e expetativas. Por sua vez, alguns alunos da Escola Secundária José Régio, orientados pelos formadores Tânia Duarte e Ícaro, filmaram na Solar – Galeria de Arte Cinemática uma curta-metragem sobre a exposição “Estação ANIMAR”, que tem como tema as viagens e a premiada curta-metragem “Fuligem”, de David Doutel e Vasco Sá.

Criado pela equipa do Curtas Vila do Conde, o ANIMAR é um projeto anual iniciado em 2005 que parte dos filmes de animação para a realização de uma série de atividades de carácter lúdico e educativo para escolas e o público em torno do Cinema.


 O trabalho desenvolvido pela ANIMAR prolonga-se, de 4 a 12 de julho, na secção Curtinhas do Curtas Vila do Conde destinada a crianças e jovens. Este mini-festival integra uma competição de filmes – onde o júri é composto por crianças – , um espaço infantil e várias oficinas.


A 10ª edição do ANIMAR conta com o apoio da Viarco, DanCake e da Arquivo Bens Culturais – Moleskine e de entidades como a Cinemateca Portuguesa, a Casa da Animação e a Fundação Museu Nacional Ferroviário.

Seleção oficial 2015

8 Junho 2015
Share on Facebook Share on Twitter

Os selecionados para as competições Internacional, Experimental e Curtinhas do 23.º Curtas Vila do Conde já foram divulgados. A selecção oficial pode ser consultada aqui.

Uma vez mais, o Festival será a montra priveligiada da mais recente produção nacional e internacional de curtas-metragens. As competições proporcionam as sessões mais diversificadas e concorridas do Festival com filmes de inegável qualidade que também nos monstram o estado atual do mundo.

←prev 1  I  2  I  3  I  4  I  5  I  6  I  7  I  8  I  9  I  10  I  11  I  12  I  13  I  14  I  15  I  16  I  17  I  18  I  19  I  20  I  21  I  22  I  23  I  24  I  25  I  26  I  27  I  28  I  29  I  30  I  31  I  32  I  33  I  34  I  35  I  36  I  37  I  38  I  39  I  40  I  41  I  42  I  43  I  44  I  45  I  46  I  47  I  48  I  49  I  50  I  51  I  52  I  53  I  54  I  55 next→
ETIQUETAS