Sensible Soccers e Laetitia Morais apresentam: “Paulo” em Vila do Conde

1 Junho 2015
Share on Facebook Share on Twitter

Depois de Lisboa e Braga, Vila do Conde prepara-se para receber o aguardado espetáculo "Paulo" com música da banda Sensible Soccers e imagens manipuladas ao vivo pela artista visual Laetitia Morais: a 30 de junho, às 22:00, no Teatro Municipal. Os bilhetes custam 7 euros e poderão ser adquiridos na rede da Bilheteira Online e no Teatro Municipal de Vila do Conde.

“Se tudo é Paulo e nada é Paulo também, a palavra deixa de ser chão e atalho e é abandonada. Cresce o mistério e a estranheza num mundo onde o silêncio entre as pessoas é permanente. Ou seja, deixa de existir.” Para este trabalho contam com a artista plástica Laetitia Morais, que trabalhará imagens do seu arquivo. Estas imagens, nas palavras da artista, “serão selecionadas, cortadas, reunidas e manipuladas ao vivo, para contar narrativas ou desfazer-se delas. Será um trabalho marcado pelo desvelamento, colocando a descoberto particularidades deste novo cenário. Um olhar que contempla a trivialidade e evidencia em simultâneo o mordaz e o decoroso”.

Este espetáculo de Cinema Expandido original é fruto de uma encomenda da Curtas Metragens, através do projeto CAMPUS, do Teatro Maria Matos (Lisboa) e do GNRation (Braga). 
 

Fotografia: © Alípio Padilha (apresentação no Teatro Maria Matos, 28/05/2015)

“As Mil e Uma Noites” de Miguel Gomes na abertura do Curtas Vila do Conde

28 Maio 2015
Share on Facebook Share on Twitter

“As Mil e Uma Noites”, de Miguel Gomes, será o filme de abertura da 23ª edição do Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema. O filme, composto por três volumes, somou elogios na estreia mundial durante o Festival de Cannes e será apresentado em Vila do Conde em antestreia nacional.

 

O Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema arranca a 4 de julho com o muito aguardado novo filme de Miguel Gomes, “As Mil e Uma Noites”, em antestreia nacional. O filme é um fresco sobre o Portugal contemporâneo e as contradições provocadas pela crise económica, através de uma estrutura épica que adapta a clássica história de Xerazade em três volumes independentes: “O Inquieto”, “O Desolado” e “O Encantado”, num total de seis horas de filme.

 

A primeira parte, “O Inquieto”, “dá conta das inquietantes maldições que se abatem sobre o país, em crise, habitado por ricos e pobres, poderosos e insignificantes, trabalhadores e desempregados, ladrões e homens honestos”. No segundo volume “Xerazade narra como a desolação invadiu os homens” e, na última parte, “O Encantado”, a narradora duvida que ainda consiga contar histórias que agradem ao rei”.

O elenco de “Mil e Uma Noites” conta com importantes nomes do cinema português como Crista Alfaiate, Luíza Cruz, Américo Silva, Adriano Luz, Gonçalo Waddington, Joana de Verona, Teresa Madruga, João Pedro Bénard, Carloto Cotta e Rogério Samora.

 

A obra teve estreia mundial na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes onde foi recebida com grande entusiasmo pela imprensa internacional. O filme ocupou a primeira página do  jornal francês “Liberátion”, onde foi descrito como "épico”. Já o “Le Monde” considerou a longa-metragem "uma epopeia fantástica, uma canção de amor aos derrotados da História, que são os portugueses de uma Europa em crise".

 

Numa votação, que é habitualmente realizada durante o Festival de Cannes,  os críticos consideraram “As Mil e Uma Noites o quarto melhor filme exibido na edição de 2015 daquele que é o maior festival de cinema do mundo.

 

A longa-metragem, rodada em película, é uma coprodução entre Portugal, França, Alemanha e Suiça, e deverá estrear nos cinemas portugueses entre agosto e setembro. Com produção de Luís Urbano e Sandro Aguilar, através da produtora O Som e a Fúria, “As Mil e Uma Noites” é um dos projetos cinematográficos mais ambiciosos do cinema português dos últimos tempos. 

Miguel Gomes é um dos nomes centrais na história do Curtas Vila do Conde, que exibiu grande parte da filmografia do cineasta. A sua primeira curta-metragem, “Entretanto”, foi apresentada na edição de 1999 do Festival, onde foi distinguida com os Prémios de Melhor Realizador e de Melhor Fotografia. Mais tarde, em 2002, Miguel Gomes recebeu uma menção honrosa em Vila do Conde com a curta “31”, tendo vencido, em 2006, a competição nacional com “Cântico das Criaturas”.


Pelo Curtas Vila do Conde passaram ainda os filmes o “O Inventário de Natal”, “Kalkitos”(resultado de uma encomenda do Festival ao realizador), “Aquele Querido Mês de Agosto” e, em 2014, “Pre-Evolution Soccer’s One Minute Dance After a Golden Goal in The Master League”.

 

Nascido em Lisboa, em 1972, Miguel Gomes estudou Cinema e trabalhou como crítico para a imprensa portuguesa até ao ano 2000. O cineasta faz parte, juntamente com outros realizadores portugueses, da denominada “Geração Curtas”, um momento central da história do cinema português contemporâneo, na transição de século, que abriu as portas a uma nova geração de cineastas muito jovens e que são a cara do cinema português de hoje. O realizador desde cedo mostrou a sua iconoclastia, reinventando-se a si mesmo em cada filme novo e forjando um método de trabalho coletivo, atento às imprevisibilidades da rodagem. Esse método foi apurado e é uma das mais visíveis características de “As Mil e Uma Noites”.

 

O Curtas Vila do Conde tem o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Secretário de Estado da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual, do programa MEDIA/Europa Criativa e de vários parceiros imprescindíveis à realização do Festival.

 

 

Curtas Vila do Conde premiado pela SPA

26 Maio 2015
Share on Facebook Share on Twitter

A Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) premiou o Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema com uma medalha Pró-Autor. Segundo a organização, estes prémios destinam-se “a instituições que têm contribuído para preservar o património cultural e a obra dos autores de diversas gerações e disciplinas”.


A cerimónia de entrega de prémios, comemorativa dos 90 anos SPA, decorreu no passado dia 22 de maio em Lisboa e contou com a presença de um membro da direção do Curtas Vila do Conde. 

 

Festa de encerramento da ANIMAR 10 com concerto de Manuela Azevedo e Hélder Gonçalves (CLÃ)

18 Maio 2015
Share on Facebook Share on Twitter

No sábado, 30 de maio, a ANIMAR celebra o fim da 10ª edição e antecipa O Dia Mundial da Criança com um concerto de Manuela Azevedo e Hélder Gonçalves (Clã) e jogos tradicionais para todas as idades na Solar – Galeria de Arte Cinemática, em Vila do Conde.

À semelhança dos anos anteriores, o projeto educativo ANIMAR, dedicado ao cinema de animação, celebra o fim de mais uma edição com uma festa de encerramento para toda a família. Este ano, a celebração antecipa o Dia da Criança com jogos tradicionais para todas as idades, a partir das 16:30, seguindo-se um concerto de Manuela Azevedo e Hélder Gonçalves, membros dos Clã, às 18:00, num espetáculo que promete agradar a miúdos e graúdos.

Em 2011, a convite do projeto Estaleiro, os Clã criaram um espetáculo original dirigido ao público infantil. O resultado superou as espectativas e, mais tarde, deu origem ao álbum “Disco Voador”, premiado com um Disco de Ouro, do qual se destacam os singles “Os Embeiçados” e “Asa Delta”.


Com letras de Regina Guimarães e Carlos Tê, “Disco Voador” apresenta aos mais novos sonoridades diferentes, com uma abordagem lírica apoiada em histórias com as quais se identifiquem. O disco foi recebido com grande entusiasmo por parte do público, esgotando salas por todo o país. Apesar de pensado para os mais novos, “Disco Voador” mantêm a imagem sonora característica dos Clã, captando também o interesse dos adultos e  destacando-se dos discos para crianças lançados habitualmente no mercado.

Este espetáculo de Manuela Azevedo e Hélder Gonçalves está integrado no ciclo de concertos, apoiado pela FNAC, a decorrer até ao final do ano no âmbito do 10º aniversário da Solar – Galeria de Arte Cinemática. Os bilhetes estão à venda na Loja das Curtas (situada no espaço da galeria): gratuito (até 4 anos inclusive) / 2.5€ (5-12 anos) / 5€ (maiores de 12) 


Até 1 de junho, também integrada na programação da ANIMAR 10, está patente na Solar a exposição “Estação ANIMAR”. A exposição coletiva de cinema de animação tem como temática as viagens, inspirando-se na premiada curta-metragem “Fuligem”, de David Doutel e Vasco Sá. A história, com banda sonora de The Legendary Tigerman e Rita Redshoes, tem como cenário uma viagem de comboio durante a qual a personagem principal revisita as memórias do passado num vaivém no tempo sob as linhas dos caminhos de ferro.  Explorando o imaginário e a imagética associada às viagens de comboio, a galeria Solar foi transformada numa grande estação de onde partem os comboios em direção aos diferentes destinos que os autores e as obras em exposição sugerem.

 

Criado pela equipa do Curtas Vila do Conde - Festival Internacional de Cinema, a ANIMAR é um projeto educativo anual que promove um conjunto de atividades, para as escolas e para o público em geral, com o objetivo de promover a aproximação do público jovem ao cinema de animação. A sessão de encerramento da 10ª edição terá lugar no dia 14 de junho, domingo, às 16:00, no Teatro Municipal de Vila do Conde, com a apresentação das curtas-metragens produzidas durante os ateliers nas escolas com formadores convidados e a exibição de um filme de animação, a anunciar brevemente.  

 

O trabalho desenvolvido pela ANIMAR prolonga-se, de 4 a 12 de julho, na secção Curtinhas do Curtas Vila do Conde destinada a crianças e jovens. Este mini-festival integra uma competição de filmes – onde o jurado é composto por crianças  – , um espaço infantil e várias oficinas. Na sua 23ª edição, o Festival apresentará, em estreia mundial, a curta-metragem de animação realizada por Abi Feijó durante uma residência artística desenvolvida no âmbito da ANIMAR 9.


A 10ª edição da ANIMAR conta com o apoio da Viarco, DanCake e da Arquivo Bens Culturais - Moleskine.

Inauguração de Exposição e Performance no Centro de Memória de Vila do Conde

8 Maio 2015
Share on Facebook Share on Twitter

Sábado, 16 de maio

21:30 – Inauguração da Exposição UNDERSTATEMENT(CAVE)

22:00 – Performance de Julio D’Escriván (CAMPUS)

 

Entrada livre
 

No próximo sábado, 16 de maio, às 21:30, inaugura no Centro de Memória de Vila do Conde a exposição UNDERSTATEMENT, com trabalhos de 14 alunos finalistas da Licenciatura em Artes Plásticas/Multimédia da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP).

 

Esta exposição, patente até 12 de julho, é apresentada pela Solar – Galeria de Arte Cinemática no âmbito do projeto CAVE, dedicado a artistas emergentes, e propõe, através das 15 obras apresentadas, uma reflexão sobre a percepção. 

 

“Há alturas em que nos fazem crer que aquilo que dizemos parece pouco, ou menos do que seria esperado. No entanto, dizemo-lo porque tem de ser dito de qualquer modo, porque temos uma urgência em dizê-lo. Podemos fazê-lo baixinho mas não deixamos de o dizer. E então, aquilo que dizemos transforma- se numa espécie de subtexto, transforma-se em qualquer coisa que ganha uma força imparável. Quer isto dizer que uma coisa que se diz como se não se pudesse dizê-lo se transforma, em potência, numa outra coisa. Se o que eu disse não é o que eu disse, é outra coisa portanto. E, nas nossas mãos, as coisas que não são o que são, ou que não são o que parecem, podem ter a força de se transformar e de transformar o mundo. Nunca devemos subestimar uma coisa que não parece ser  o que devia, nunca devemos subestimar uma coisa dita em surdina, no escuro…” reflete o professor Miguel Leal numa introdução a UNDERSTATEMENT.

 

Depois da abertura da exposição, será apresentada no jardim do Centro de Memória, às 22:00, uma performance preparada durante um workshop CAMPUS orientado por Julio D’Escriván, professor de música para a imagem em movimento na Universidade de Huddersfield (Inglaterra) e compositor, performer e vídeo-artista.

 

Durante os cinco dias de workshop, D’Escriván trabalhou com grupos de alunos na produção de imagens em movimento e sons que serão apresentados nesta performance recorrendo a diferentes técnicas de codificação ao vivo. Esta performance de cinema expandido do projeto CAMPUS será apresentado um dia antes, a 15 de maio, às 23:30, no Passos Manuel no Porto.

 

A performance de Julio D’Escriván integra o ciclo de concertos, apoiado pela FNAC, a decorrer no âmbito do 10º aniversário da Solar – Galeria de Arte Cinemática, que arrancou com um showcase de The Legendary Tigerman. 

Lambchop arrancam digressão europeia no Curtas Vila do Conde

7 Maio 2015
Share on Facebook Share on Twitter

Os norte-americanos Lambchop vão atuar em julho no Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema num filme-concerto que marca o arranque da tour europeia da banda. O grupo liderado por Kurt Wagner sobe ao palco no último dia do Festival, a 12 de julho às 22:00 no Teatro Municipal de Vila do Conde, numa das raras atuações dos Lambchop em solo nacional.  

 

A banda natural de Nashville, conhecida pelo seu som country-rock alternativo e tom melancólico, vai musicar ao vivo um filme de Bill Morrison produzido pela Curtas Metragens CRL. Utilizando a sua técnica de remontagem de material de arquivo, Morrison faz uma viagem pelo cinema mudo português, entre os anos 10 e 30 do século XX, aproveitando o abundante arquivo da Cinemateca Portuguesa, numa surpreendente obra do cineasta que será apresentada em estreia mundial.

 

Na segunda parte do espetáculo, os fãs dos Lambchop terão a oportunidade de ouvir alguns dos temas da banda. Com mais de duas décadas de carreira e 11 álbuns de estúdio, os Lambchop destacam-se internacionalmente por desafiarem as convenções numa mistura de ritmos e experiências que resultam em apresentações únicas e de rara beleza. 

 

Os bilhetes já estão à venda na Bilheteira Online e no Teatro Municipal de Vila do Conde.

O concerto dos Lambchop está integrado na secção Stereo do Curtas Vila do Conde, apoiada pela FNAC, onde, através de filmes-concerto, bandas são convidadas a musicar ao vivo filmes numa fusão entre o cinema e a música. Para esta 23ª edição do Festival estão confirmados vários espetáculos que vão juntar diferentes estilos através de artistas como You Can’t Win Charlie Brown, Frankie Chavez, Garcia da Selva (com Norberto Lobo como convidado) e Bruno Pernadas Quinteto. 

 

Os portugueses You Can’t Win Charlie Brown vão musicar um filme mudo de 1914, “Maudite soit la guerre”, realizado por Alfred Machin. O filme, uma cópia singular pintada à mão, conta a história incrível da rivalidade da guerra e de um amor impossível. Frankie Chavez continuará o passeio pela história do cinema musicando “The Good Bad Man”, de Allan Dwan, de 1916. A obra, protagonizada por Douglas Fairbanks, percorre a história do Oeste americano e conta com a participação técnica de D.W. Griffith. Por sua vez, Bruno Pernadas atuará sobre um filme clássico de Buster Keaton, “Steamboat Bill, Jr.”, de 1928. Estes três espetáculos são também uma homenagem do Curtas à história da sétima arte.

Garcia da Selva, juntamente com Norberto Lobo, fará uma interpretação de uma seleção de excertos fílmicos denominada “Framed by a Second”, construída a partir de material de autores como Cláudia Varejão, Gabriel Abrantes, João Nicolau, João Onofre, Julião Sarmento, Miguel Soares, Natcho Xeca, Salomé Lamas, Sandro Aguilar e André Trindade.

 

Ainda neste contexto, destaque para a  Competição de Vídeos Musicais, centrada agora na produção portuguesa, que atribuirá o prémio FNAC de Melhor Vídeo Musical no valor de 750 euros. Procurando sempre acompanhar a evolução dos géneros e a forma de fazer cinema, o Curtas Vila do Conde tem vindo a integrar na sua programação sessões de vídeos musicais de alguns dos artistas nacionais que mais se destacam nesta área.

 

Na sua 23ª edição, o Curtas Vila do Conde continuará a apresentar o melhor do cinema contemporâneo através de sessões especiais, a anunciar brevemente. As diversas competições continuarão a proporcionar as sessões mais diversificadas do Festival, demonstrando o estado atual do mundo através da curta-metragem.

 

O Curtas Vila do Conde decorre entre 4 e 12 de julho no Teatro Municipal de Vila do Conde. O free pass para o Festival pode ser adquirido por 33,75 euros até 31 de maio, passando a custar 40,50 euros depois dessa data. Durante o Festival o preço sobe para 45 euros. Este passe geral garante um desconto de 50% na compra de  bilhetes para o concerto dos Lambchop, permitindo o acesso livre a todas as restantes sessões e filmes-concerto do Curtas Vila do Conde.

O Curtas Vila do Conde tem o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Secretário de Estado da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual, do programa MEDIA/Europa Criativa e de vários parceiros imprescindíveis à realização do festival.

←prev 1  I  2  I  3  I  4  I  5  I  6  I  7  I  8  I  9  I  10  I  11  I  12  I  13  I  14  I  15  I  16  I  17  I  18  I  19  I  20  I  21  I  22  I  23  I  24  I  25  I  26  I  27  I  28  I  29  I  30  I  31  I  32  I  33  I  34  I  35  I  36  I  37  I  38  I  39  I  40  I  41  I  42  I  43  I  44  I  45  I  46  I  47  I  48  I  49  I  50  I  51  I  52  I  53  I  54 next→
ETIQUETAS