Curtas-metragens de Miguel Gomes em DVD

16 Julho 2015
Share on Facebook Share on Twitter

Depois de "Reconversão", de Thom Andersen, o Curtas Vila do Conde, em parceria com a FNAC, editou um segundo DVD que inclui todas as curtas-metragens de Miguel Gomes: "Entretanto"; "Inventário de Natal"; "31"; "Kalkitos"; "Cântico das Criaturas" e "Redemption". Esta edição pode ser adquirida por 4 euros na Loja das Curtas, situada na Solar - Galeria de Arte Cinemática, e nas lojas FNAC.


Miguel Gomes é um dos nomes centrais na história do Curtas Vila do Conde, que exibiu grande parte da filmografia do cineasta. A sua primeira curta-metragem, “Entretanto”, foi apresentada na edição de 1999 do Festival, onde foi distinguida com os Prémios de Melhor Realizador e de Melhor Fotografia. Mais tarde, em 2002, Miguel Gomes recebeu uma menção honrosa em Vila do Conde com a curta “31”, tendo vencido, em 2006, a competição nacional com “Cântico das Criaturas”. Pelo Curtas Vila do Conde passaram ainda os filmes o “O Inventário de Natal”, “Kalkitos”(resultado de uma encomenda do Festival ao realizador), “Aquele Querido Mês de Agosto” e, em 2014, “Pre-Evolution Soccer’s One Minute Dance After a Golden Goal in The Master League”.


Nascido em Lisboa, em 1972, Miguel Gomes estudou Cinema e trabalhou como crítico para a imprensa portuguesa até ao ano 2000. O cineasta faz parte, juntamente com outros realizadores portugueses, da denominada “Geração Curtas”, um momento central da história do cinema português contemporâneo, na transição de século, que abriu as portas a uma nova geração de cineastas muito jovens e que são a cara do cinema português de hoje. O realizador desde cedo mostrou a sua iconoclastia, reinventando-se a si mesmo em cada filme novo e forjando um método de trabalho coletivo, atento às imprevisibilidades da rodagem. Esse método foi apurado e é uma das mais visíveis características de “As Mil e Uma Noites”, o seu mais recente filme cuja anestreia nacional teve lugar no 23º Curtas Vila do Conde.



Entretanto
Portugal, 1999, FIC, 35mm, Cor, 25'

Pais e professores ausentaram-se.
Entretanto, dois rapazes e uma rapariga formam um trio amoroso. Rui, Nuno e Rita atravessam três espaços e tempos para poderem ficar a sós: jogo de futebol, festa com piscina, praia. Equilíbrio instável, o trio está demasiado próximo do triângulo.
Entretanto é o tempo da suspensão. Dos gestos, da comunicação, da linguagem. A impotência resulta da falta de consciência para estruturar os sentimentos e de uma linguagem que permita comunicá-los. Só se pode conjecturar: Rui ama Rita, Nuno ou o jogo? Nuno ama Rita e está dependente de Rui? Rita, passiva dona do jogo, amará alguém? Dela, figura axial do trio, só sabemos que fecha os olhos para se refugiar numa interioridade etérea – as nuvens são a realidade, Entretanto é o intervalo que as suspende.


Inventário de Natal
Portugal, 2000, FIC, 35mm, Cor, 23' 
É dia 25 de Dezembro, em meados dos anos 80. A família reune-se em casa dos avós por entre reposteiros vermelhos na janela que dá para a marquise, relógios de pêndulo, cadeiras com assentos em vime e um presépio enorme. Não há um destaque individual, interessa apenas o retrato de grupo constituído por quatro gerações e dois cães.

 
31
Portugal, 2001, FIC, 35mm, Cor, 27'
«Esta é a pega da pancada da direita. Para a executarmos, sabendo que a bola vem para a direita, vamos naturalmente levar a raquete atràs. Com o ombro esquerdo virado para mim, que é donde vem a bola… Naturalmente, avançam o vosso pé esquerdo e vão executar a pancada».

 
Kalkitos
Portugal, 2002, FIC, Betacam SP, P&B, 19'
Um rapaz que aparenta uns 20 anos pede para jogar à bola com miúdos pequenos. Os miúdos acham estranho e perguntam-lhe a idade. Quando responde, «tenho dez», é alvo de troça da pequenada. Afasta-se, só e condoído. Mas irá encontrar outros meninos diferentes, como ele…

 
Cântico das Criaturas
Portugal, 2006, FIC, 35mm, Cor, 24'
Assis, 2005:
Um trovador percorre as ruas da cidade natal de S. Francisco cantando e tocando o Cântico do Irmão Sol ou Cântico das Criaturas, texto que S. Francisco redigiu no Inverno de 1224.
Bosques de Umbria, ano de Mil Duzentos e Doze:
Durante uma pregação aos pássaros, S. Francisco desfalece subitamente. Reanimado por St. Clara, o santo parece estranhamente ausente e sem memória.
Quando a noite cai, os animais da floresta cantam em glória a Francisco. Mas esse amor cantado começa a gerar um sentimento de posse, um desejo de exclusividade, ao qual habitualmente chamamos de ciúme.

 
Redemption
 
No dia 21 de Janeiro de 1975, numa aldeia no norte de Portugal, uma criança escreve aos pais em Angola para lhes dizer como Portugal é triste. No dia 13 de Julho de 2011, em Milão, um velho recorda o seu primeiro amor. No dia 6 de Maio de 2012, em Paris, um homem diz à filha bebé que nunca será um pai de verdade. Durante um casamento no dia 3 de Setembro de 1977, em Leipzig, a noiva luta contra uma ópera de Wagner que não lhe sai da cabeça.
Mas onde e quando estes quatro pobre diabos começaram à procura da redenção? 

Produções do Curtas Vila do Conde selecionadas para Locarno

15 Julho 2015
Share on Facebook Share on Twitter

Três das produções da Curtas Metragens CRL, apresentadas em estreia mundial no último Curtas Vila do Conde, foram selecionadas para o prestigiado Festival de Cinema de Locarno, que decorre entre 5 e 15 de agosto.

"Noite Sem Distância" de Lois Patiño, "A Glória de Fazer Cinema em Portugal" de Manuel Mozos, "Undisclosed Recipients" de Sandro Aguilar, serão apresentadas na secção não competitiva Fuori Concorso.

Esta secção apresenta curtas-metragens de relevo de cineastas proeminentes. Trata-se de um prestigiado programa, com uma importância crescente, pois o Festival de Locarno não inclui uma competição de filmes de cineastas que já tenham realizado longas-metragens.


Noite Sem Distância”, de Lois Patiño, acontece na fronteira entre Portugal e a Galiza, desenvolvendo as histórias que habitam esses espaços, nomeadamente o papel do contrabando no desenvolvimento dos dois países. “Decidi representar uma cena de contrabando na Serra do Gerês em estradas que os contrabandistas realmente usaram. E as pessoas da região participariam enquanto atores (muitos deles foram, inclusivamente, contrabandistas na juventude)”, explica o galego Lois Patiño.


Para “Undisclosed Recipients”, Sandro Aguilar escolheu como ponto de partida a energia do festival de Paredes de Coura. “Interessou-me observar por uma vez os jovens, aqui num certo estado físico e mental, misto muito sugestivo de alheamento e alerta”, refere o realizador.


Já Manuel Mozos, inspirou-se numa carta que José Régio escreveu, em 1929, a Alberto Serpa onde manifestou a vontade de fundar uma produtora para começar a fazer cinema. Durante quase noventa anos, nada se soube sobre o desfecho deste pedido: nunca se encontrou qualquer resposta de Serpa à carta e Régio não terá voltado a mencionar o assunto. “A Glória de Fazer Cinema em Portugal” tenta desvendar o desfecho desta história.

Também o vencedor da Competição Nacional do 23º Curtas Vila do Conde foi selecionado para Locarno: a curta-metragem "Maria do Mar", de João Rosas, estará na Competição Pardo di Domani (Leopards of Tomorrow). Esta secção competitiva é reservada a filmes de curta e média duração realizados por jovens cineastas que ainda não realizaram longas-metragens.

Extensões 23º Curtas Vila do Conde

13 Julho 2015
Share on Facebook Share on Twitter

Depois do anuncio dos premiados e do fim de mais uma edição, o Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema apresenta, em várias cidades do país, uma seleção dos melhores filmes exibidos no Festival.


As extensões da 23ª edição do Festival arrancam esta terça-feira e vão decorrer, até 15 de agosto, em Castelo Branco, Leiria, Braga, Porto, Ponta Delgada, Coimbra, Sardoal, Ponte de Lima e Vila do Conde.


A sessão “Curtinhas” inclui, para além do vencedor “The Present”, de Jacob Frey, uma seleção de filmes desta competição do Festival dedicada aos mais novos. Por sua vez, o programa “Best Of Curtas Vila do Conde” apresenta alguns dos premiados: “Maria do Mar”, de João Rosas, o vencedor da Competição Nacional, “Amélia & Duarte”, de Alice Guimarães e Mónica Cantos, “Kung Fury”, de David Sandberg, ambos vencedores dos prémios do Público, e “Mynarski Death Plummet”, vencedor do Prémio Animação da Competição Internacional.


A 23ª edição do Curtas Vila do Conde decorreu entre 4 e 12 de julho com o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Secretário de Estado da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual, do programa MEDIA/Europa Criativa e de vários parceiros imprescindíveis à realização do Festival.  

CASTELO BRANCO

Cine-Teatro Avenida

14 JUL Best of  Curtas Vila do Conde

 

 

LEIRIA

Teatro José Lúcio da Silva

14 JUL Best of Curtas Vila do Conde

29 JUL Curtinhas

 

 

BRAGA

GNRation

15 e 16 JUL Curtinhas

15 AGO Best of Curtas Vila do Conde

 

 

PORTO

Museu Soares dos Reis – Casa da Animação

16 JUL Seleção de Filmes de Animação

 

Cinema Passos Manuel – Porto/Post/Doc

17 JUL Best of Curtas Vila do Conde

 

 

PONTA DELGADA

9500 Cineclube

17 JUL Best of Curtas Vila do Conde

 

 

COIMBRA

Museu Ciência-Universidade de Coimbra

17 e 18 JUL Best of Curtas Vila do Conde

19 JUL Curtinhas

 

 

SARDOAL

Centro Cultural Gil Vicente

18 JUL Best of Curtas Vila do Conde

 

 

PONTE DE LIMA

Associação Cultural de Ponte de Lima

19 JUL Curtinhas + Best of Curtas Vila do Conde

 

 

VILA DO CONDE
Teatro Municipal de Vila do Conde

19 JUL Curtinhas + Best of Curtas Vila do Conde

 

 

 

Loja do 23º Curtas

6 Julho 2015
Share on Facebook Share on Twitter

Durante os nove dias do Festival, pode deslocar-se à Loja do Curtas, no átrio do Teatro Municipal de Vila do Conde. Aí, poderá comprar o merchandising do 23º Curtas (t-shirts, pins, catálogos), assim como uma diversificada quantidade de livros e DVDs.

"A Ovelha Choné" no Curtas Vila do Conde

23 Junho 2015
Share on Facebook Share on Twitter

O Curtinhas, a secção para os mais novos do Curtas Vila do Conde, arranca a 4 de julho, às 15:00, com a exibição do filme de animação mais aguardado do ano: “A Ovelha Choné”, da Aardman Animations.

Depois do sucesso da série, as aventuras da Ovelha Choné, uma ovelha esperta e matreira que vive com o seu rebanho na quinta Vale Verdejante, passam agora para o grande ecrã. Neste filme, Choné cansa-se da rotina da vida na quinta e tira um dia de folga que acaba por não correr como previsto: o plano descontrola-se rapidamente e faz com que o indefeso Agricultor acabe longe da quinta. Com a ajuda do rebanho, a Ovelha Choné terá de deixar a quinta pela primeira vez e viajar até à Grande Cidade para salvar o Agricultor, sem ser apanhada pelo malvado funcionário do controlo animal.


A longa-metragem, de Mark Burton e Richard Starzak, realizada em stop motion, será apresentada no Curtas Vila do Conde em pré-estreia nacional. O filme estreia nas salas de cinema em setembro deste ano.


Este será o regresso da Ovelha mais acarinhada dos miúdos a Vila do Conde, depois de ter sido um dos destaques da exposição “Mundo Aardman”, em 2011, na Solar – Galeria de Arte Cinemática.  


Curtinhas, que tem sido um sucesso nos últimos anos, é um mini-festival dentro do Curtas Vila do Conde. Para além do habitual filme de abertura, esta secção conta com uma competição de curtas-metragens, dividia em três escalões etários, com um júri próprio constituído também por crianças. Na cerimónia da entrega de prémios, que este ano terá lugar no último dia do Festival, serão estes jurados de palmo e meio a entregar o troféu ao vencedor da competição.  


O Curtinhas promove também o espaço infantil “Brincar ao Cinema” onde decorre um conjunto de atividades lúdicas, ligadas à imagem em movimento, com monitores, permitindo que os pais deixem as crianças em segurança enquanto assistem às sessões de cinema. No dia 11 de julho, este espaço recebe a Oficina “Ciência – Ciência – Ação”, das 10:30 às 12:30 e das 15:00 às 17:00, na qual os participantes irão realizar um pequeno filme. As inscrições, limitadas a 20 crianças, têm o custo de 5 euros.


Pelo quarto ano consecutivo, o Mar Shopping associa-se ao Curtinhas como patrocinador exclusivo desta secção. No âmbito desta parceria, o centro comercial recebe, a 27 de junho, um atelier gratuito de Chroma Key, a técnica utilizada em filmes e em televisão para eliminar o fundo de uma imagem.


O Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, que decorre entre 4 e 12 de julho, conta com o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Secretário de Estado da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual, do programa MEDIA/Europa Criativa e de vários parceiros imprescindíveis à realização do Festival.

Festa de Apresentação 23º Curtas Vila do Conde

22 Junho 2015
Share on Facebook Share on Twitter

O Curtas Vila do Conde regressa entre 4 e 12 de julho para uma edição surpreendente. Até lá, convidamos todos os amigos do festival a juntarem-se na próxima sexta-feira, 26 de junho, entre as 22:00 e as 6:00, à festa de apresentação do Festival no Maus Hábitos com Sensible Soccers, 3 is a Magic Number, Favela Discos Sound System, Tundra Fault, Miguel Dias + Vicente Abreu (7 Magníficos), Joaquim Mota (Rádio Nova), Meira e uma performance de Live-Coding (CAMPUS). A entrada custa 3 euros.


SENSIBLE SOCCERS


Os Sensible Soccers apresentam-se como uma banda eclética nos seus registos discográficos e ao vivo, e buscam essa pluralidade também quando se apresentam em formato DJ set. Trazem habitualmente para as suas noites música que reflecte essa diversidade de gostos, aliada à vontade de dançar e fazer a festa, seja com disco-funk nigeriano ou com techno minimal berlinense. Pelo meio arriscam descomprometidamente incursões por outros géneros que podem ir do hip-hop à pop mainstream. Apresentam-se nas Curtas para uma noite de festa desbragada, com muita dança, suor, e camisas desapertadas.


3 IS A MAGIC NUMBER

Santíssima trindade, a conta que Deus fez. Contudo, estes três tigres não são tristes - André Carvalho (Circus), Sérgio Gomes (BREAKS lda.) e Tiago Lessa (Nitronious, Monster Jinx) - três DJs, três gerações, o mesmo amor pela música, agora partilhado todas as quintas no Café au Lait. Da última promo ao clássico que já ninguém se recorda e que instantaneamente nos faz viajar até aos "good old days”, a intenção é antecipar a alegria do fim de semana. 3 is a Magic Number, indeed.


FAVELA RISCOS SOUND SYSTEM (FAVELA DISCOS)


Favela Riscos Sound System é o departamento da Favela Discos dedicado à música electrónica improvisada em "pistodance". Nascido em 2013, este projecto colectivo e anónimo tem partilhado a estrada com vários artistas da Favela Discos, da Cafetra e da Gentle Records, e feito dançar suor e alegria além mar. Cada set é uma performance e em cada há uma dose de esquizofrenia troiana em que o público se inclui e se torna parte do delírio de quem comanda os pratos. Regressa aos Maus Hábitos com um espetáculo único e exclusivo para a Festa de Apresentação do 23º Curtas de Vila do Conde.


TUNDRA FAULT (LIVE AV)

Tundra Fault é um projecto de música electrónica techno experimental de Miguel De, 22 anos, a trabalhar em Braga. Com influências em vários artistas da música electrónica a criação de “Whole”, o seu mais recente trabalho, nasceu de uma vontade de falar sobre a sexualidade e a forma como os corpos se relacionam pelo toque. “Whole” acaba assim por se tornar numa exploração das relações interpessoais em que a pessoa não existe, mas apenas o corpo, um corpo sem cabeça, sem identidade; e finalmente, da procura por essa mesma identidade. Assim, também a capa (da autoria do próprio) reflecte essa linha condutora do álbum. Com uma sonoridade agressiva e negra, procurou-se atingir a ténue linha que separa o agradável do nefasto neste tipo de relações.


"CINEMA EXPANDIDO, DO LIVE-CODING AO LIVE-CINEMA" PERFORMANCE

Uma performance preparada durante um workshop Campus orientado por Julio D’Escriván, professor de música para a imagem em movimento na Universidade de Huddersfield (Inglaterra) e compositor, performer e vídeo-artista. Durante os cinco dias de workshop na FBAUP, D’Escriván trabalhou com grupos de alunos na produção de imagens em movimento e sons que serão apresentados nesta performance recorrendo a diferentes técnicas de codificação ao vivo.


MIGUEL DIAS + VICENTE ABREU

Miguel Dias e Vicente Pinto Abreu, dois dos 7 Magníficos, trazem a sua colecção de funk, soul e disco. Uma história da música negra em formato vinil.


JOAQUIM MOTA (RÁDIO NOVA)


Joaquim Mota, “Kikas” para os amigos, é um radialista com um trabalho singular na Rádio Nova. Autor de vários programas de autor as suas escolhas vagueiam pelos pólos da Música Brasileira, Jazz, Swing assim como as novas correntes do hip hop e da música electrónica.


MEIRA

Meira não tem jeito para apresentações e isso nota-se… Residente no saudoso 555 e mais recentemente no Juno, Braga. Nas cabines do Porto faz raras aparições, apesar de já ter tocado em locais como o Passos Manuel, Plano B, Café au Lait, Picadilly, Maus Hábitos… e uns outros quantos eventos obscuros! Dele, podem esperar um set bastante eclético…

←prev 1  I  2  I  3  I  4  I  5  I  6  I  7  I  8  I  9  I  10  I  11  I  12  I  13  I  14  I  15  I  16  I  17  I  18  I  19  I  20  I  21  I  22  I  23  I  24  I  25  I  26  I  27  I  28  I  29  I  30  I  31  I  32  I  33  I  34  I  35  I  36  I  37  I  38  I  39  I  40  I  41  I  42  I  43  I  44  I  45  I  46  I  47  I  48  I  49  I  50  I  51  I  52  I  53  I  54  I  55  I  56  I  57  I  58  I  59  I  60  I  61  I  62 next→
ETIQUETAS