Música e Cinema de Animação em destaque na Animar 12

13 Fevereiro 2017
Share on Facebook Share on Twitter

Entre fevereiro e junho, a ANIMAR regressa à Solar – Galeria de Arte Cinemática, em Vila do Conde, com uma exposição para toda a família onde a música e o cinema de animação são os principais atrativos. Com inauguração no próximo sábado, 18 de fevereiro, às 15:00, a exposição ANIMAR 12 destaca os videoclipes portugueses de animação – de Capicua e Pedro Geraldes a Samuel Úria, passando por Os Azeitonas e Quinta do Bill – e os seus autores, Alice Eça Guimarães, Pedro Serrazina, Bruno Caetano, Rui Telmo Romão e Jorge Ribeiro. Para além dos videoclipes, o novo filme de José Miguel Ribeiro, “Estilhaços”, complementará uma exposição plena de experiências interativas.

Em 2017, a 12ª edição do projeto educativo Animar propõe uma abordagem diferente ao cinema de animação partindo dos videoclipes, que se assumem não só como um veículo dos temas musicais mas também como um recurso criativo, para explicar o processo de produção de um filme. Nesta exposição, as animações passam do ecrã para as diferentes salas da galeria onde estarão instalados os cenários, adereços, personagens, materiais e diversos elementos utilizados na criação de seis videoclipes: “Erva-de-Cheiro”, “Quente e Frio” e “A Cor da Rosa” de Alice Guimarães para a música de Capicua e Pedro Geraldes; “É Preciso que eu Diminua” de Pedro Serrazina para o tema de Samuel Úria; “Cinegirasol” de Bruno Caetano e Rui Telmo Romão para Os Azeitonas; e “Faz Bem Falar de Amor” de Jorge Ribeiro para a música da banda Quinta do Bill.


No percurso pela Solar – Galeria de Arte Cinemática, os visitantes são convidados a entrar no universo destas histórias através de atividades e experiências interativas que vão permitir, por exemplo, entrar no cenário da vila alentejana de “Cinegirasol”; colocar em prática a mensagem ecológica de “Mão Verde” numa estufa de plantas instalada na galeria; criar novas versões do videoclipe dos Quinta do Bill; experimentar brinquedos óticos ou criar o próprio filme de animação.


À parte dos videoclipes, a curta-metragem “Estilhaços” de José Miguel Ribeiro será também objeto de exposição. A animação, que aborda o impacto da guerra nas relações humanas, sobretudo no seio familiar, venceu, no fim-de-semana passado, o Prémio de Melhor Documentário no Festival de Cinema de Clermont-Ferrand. O filme teve estreia em 2016 no prestigiado Festival de Locarno (Suíça) e foi distinguido com os principais prémios dos festivais Cinanima, Monstra e Caminhos do Cinema Português e o Prémio Nacional de Animação. Na sala dedicada à curta-metragem, os visitantes poderão ter uma experiência interativa com base nos sons da animação.


Criado pela equipa que organiza o Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, o projeto educativo Animar desenvolve anualmente diversas atividades em torno do cinema de animação dirigidas às famílias mas, sobretudo, à comunidade escolar da região norte. Até junho, para além da exposição na Solar - Galeria de Arte Cinemática – que pode ser visitada diariamente entre as 14:00 e as 18:00 – está programado um conjunto de atividades para escolas como sessões de cinema, visitas guiadas à exposição, workshops de iniciação ao cinema na sala de aula, apresentações e mostras “Antes do Filme” e ateliês com formadores convidados. Estes ateliês serão orientados pelos realizadores Jorge RibeiroBruno Caetano e Telmo RomãoPedro Serrazina e o animador Luís Grifu que, numa lógica de aproximação dos alunos ao próprio processo criativo, vão realizar um conjunto de filmes com recurso ao corpo humano como principal elemento animado e à música, apelando, também, a um sentido experimental, do pré-cinema às tecnologias digitais mais inovadoras, da investigação em torno da projeção da imagem em movimento. Os filmes serão apresentados na sessão de encerramento da Animar, a 4 de junho, no Teatro Municipal de Vila do Conde.


A 12ª edição da Animar conta com o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, da Direcção Geral das Artes, do Governo de Portugal (Cultura) e da Viarco.

“Mão Verde”, o concerto de Capicua e Pedro Geraldes para pais e filhos, na abertura da Animar 12

9 Janeiro 2017
Share on Facebook Share on Twitter

A 12ª edição do projeto educativo Animar arranca a 21 de janeiro com o espetáculo ao vivo “Mão Verde”, de Capicua e Pedro Geraldes, às 15:00, no Teatro Municipal de Vila do Conde. O concerto temático para toda a família oferece uma sessão repleta de música, poemas e lengalengas em torno de temas como a natureza, a ecologia, os alimentos e um estilo de vida saudável.

Pensado para crianças mas sem pretender ser infantil, “Mão Verde” assinala a estreia da rapper portuense Capicua – que se destacou no panorama musical português com temas como “Vayorken”, “Maria Capaz” e “Sereia Louca” – e de Pedro Geraldes – guitarrista dos Linda Martini – no universo dos mais novos.

Durante cerca de uma hora, com vários momentos de interação com o público, “Mão Verde” passa uma mensagem ecologista através de canções alegres e de uma abordagem divertida a diversos temas do quotidiano e do universo verde: as cores das flores, o cheiro das ervas aromáticas, a agricultura, entre outros. As histórias são contadas por Capicua, com rap, rimas e jogos de palavras, sobre as batidas coloridas dos instrumentos musicais tocados ao vivo por Pedro Geraldes.

 

“Mão Verde” resulta de uma encomenda do São Luiz Teatro Municipal a Capicua, que convidou Pedro Geraldes a juntar-se ao projeto. Do Teatro São Luiz, o espetáculo seguiu para outros palcos tendo, mais tarde, originado um disco-livro, com ilustrações de Maria Herreros e pequenas notas do agricultor Luís Alves. Os vídeoclipes dos singles “Quente & Frio” e “Erva-de-Cheiro” foram realizados por Alice Eça Guimarães, cineasta que participou na edição anterior da Animar em dois momentos: na exposição da Solar – Galeria de Arte com o filme “Amélia & Duarte”, corealizado por Mónica Santos, e na produção da curta-metragem “Nossa Senhora da Apresentação” com Abi Feijó, Daniela Duarte e Laura Gonçalves.


Os bilhetes para o espetáculo, à venda no Teatro Municipal de Vila do Conde e na rede da Bilheteira Online, custam 4 euros para crianças e jovens até aos 12 anos e 6 euros para adultos. Está ainda disponível, em exclusivo no Teatro Municipal, um pack família por 16 euros para 4 pessoas, num máximo de dois adultos.


Criado pela equipa que organiza o Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, o projeto educativo Animar desenvolve anualmente diversas atividades em torno do cinema de animação dirigidas às famílias mas, sobretudo, à comunidade escolar da região norte. Até junho, estão planeados ateliês de animação orientados por formadores convidados, ateliês de iniciação de cinema na sala de aula, visitas guiadas à Solar – Galeria de Arte Cinemática, sessões de cinema no Teatro Municipal de Vila do Conde e apresentações e mostras “Antes do Filme”.


À semelhança das edições anteriores, o centro destas atividades voltará a ser a exposição na Solar – Galeria de Arte Cinemática, em Vila do Conde, que, este ano, destaca os telediscos portugueses de animação, de Capicua e Pedro Geraldes a Samuel Úria, passando por Os Azeitonas e Quinta do Bill, e os seus autores, Alice Eça Guimaraes, Pedro Serrazina, Bruno Caetano e Jorge Ribeiro. A inauguração está marcada para o dia 18 de fevereiro, às 15:00.

Zepe selecionado para o Euro Connection 2017

2 Janeiro 2017
Share on Facebook Share on Twitter

A curta-metragem “O Ciclo”, do realizador Zepe (José Pedro Cavalheiro) e da produtora AIM Studios, foi um dos projetos selecionados para a edição de 2017 do Euro Connection, o fórum europeu de coprodução cinematográfica que decorre todos os anos durante o Clermont-Ferrand Short Film Festival. Esta plataforma, que culmina no pitching dos projetos selecionados nos dias 7 e 8 de fevereiro, tem como objetivo o desenvolvimento de parcerias entre produtores, investidores, patrocinadores e televisões.

 

Em anos anteriores, Portugal esteve representado no Euro Connection através de filmes como “Do Berço Para a Cova” (de João Vladimiro), “Rafa (de João Salaviza), "Abismo" (de Leonor Noivo) ou "Papel de Natal (de José Miguel Ribeiro). O Curtas Vila do Conde e o IndieLisboa são os festivais nacionais associados ao Euro Connection.  

O Dia Mais Curto arranca esta quinta-feira com sessão de cinema dentro da piscina

29 Novembro 2016
Share on Facebook Share on Twitter

A 4ª edição d’ O Dia Mais Curto, a festa da curta-metragem inspirada no Solstício de Inverno, arranca esta quinta-feira, 1 de dezembro, com uma sessão de cinema dentro da piscina do Santana Hotel & SPA, em Vila do Conde, às 10:00. Nesta sessão diferente das tradicionais, as famílias poderão assistir a uma seleção de curtas-metragens enquanto usufruem da piscina interior do hotel.

A pensar nos mais novos, o programa especial apresenta uma seleção de filmes de animação: “A Aula de Natação”, de Danny De Vent, que acompanha o pequeno Jonas na sua primeira aula na piscina; “A Gaiola”, de Loic Bruyere, a história do encontro e da amizade entre um urso enjaulado que não sabe cantar e um passarinho que não sabe voar mas canta esplendidamente; e “Papel de Natal”, de José Miguel Ribeiro, um filme que assinala a quadra natalícia alertando, em simultâneo, para o problema da poluição e do desperdício.


A experiência da sessão de cinema dentro de água repete-se a 4 de dezembro, às 15:30, com um programa de filmes de animação internacionais para maiores de 6 anos, e a 11 de dezembro, às 15:30, com uma sessão de curtas-metragens portuguesas que se têm destacado nos festivais de cinema internacionais – “Penúmbria” de Eduardo Brito, “Menina” de Simão Cayatte e “Uma Breve História da Princesa X”, de Gabriel Abrantes – juntamente com filmes cuja ação decorre em piscinas – “Ten Meter Tower” de Maximilien Van Aertryck e Axel Danielson e “Cabeça” de Miguel Tavares.


Os bilhetes custam 5 euros e garantem o acesso à piscina do hotel.


Durante todo o mês de dezembro, com incidência no dia 21, no Solstício de Inverno, O Dia Mais Curto será assinalado em 34 localidades portuguesas com uma seleção de curtas-metragens nacionais e internacionais, para adultos e crianças, nos mais variados locais de projeção. A iniciativa, celebrada em simultâneo em vários países, é organizada em Portugal pela Agência da Curta Metragem.


O programa completo da 4ª edição d’ O Dia Mais Curto será anunciado brevemente em www.odiamaiscurto.curtas.pt.

34 localidades assinalam em dezembro o Dia Mais Curto com sessões de curtas-metragens

28 Novembro 2016
Share on Facebook Share on Twitter

Inspirada no Solstício de Inverno, O Dia Mais Curto, a grande festa da curta-metragem, decorre durante todo o mês de dezembro, com incidência no dia 21, levando sessões de cinema a 34 localidades de norte a sul do país, passando também pelos arquipélagos.


Todos os anos, por volta do dia 21 de dezembro, o hemisfério norte entra na estação mais fria devido ao Solstício de Inverno, naquele que é o dia mais curto do ano. Este fenómeno astronómico inspirou a criação da festa que celebra o cinema no formato curto: O Dia Mais Curto. A ideia, que nasceu em França, rapidamente alcançou uma dimensão internacional sendo, atualmente, celebrada em simultâneo em dezenas de países. Em Portugal, o evento é organizado pelo quarto ano consecutivo pela Agência da Curta Metragem e vai percorrer novamente o país de norte a sul.


Abrantes, Albufeira, Almada, Amadora, Amarante, Barcelos, Braga, Cascais, Castro Verde, Coimbra, Constância, Elvas, Évora, Faro, Funchal, Guarda, Guimarães, Lajes do Pico, Leça da Palmeira, Leiria, Lisboa, Maia, Matosinhos, Oeiras, Ponta Delgada, Ponta do Sol, Porto, Sardoal, Setúbal, Vila do Conde, Vila Nova de Famalicão, Vila Nova de Gaia, Vila Real e Viseu vão receber uma seleção de curtas-metragens, nacionais e internacionais, para adultos e crianças, nos mais variados locais de projeção. Para além das salas de cinema, algumas sessões terão lugar em espaços inesperados como a piscina do Santana Hotel & SPA, em Vila do Conde, onde será possível assistir à sessão dentro de água, as carruagens e estações do Metro do Porto, as lojas Fnac, ou na Internet e televisão.

 

Os vários programadores associaram-se a esta iniciativa através de sessões próprias ou dos quatro programas propostos pela Agência da Curta Metragem. Elaborada em colaboração com a rede europeia Short Circuit, a sessão “Europa em Curtas” apresenta um conjunto de filmes europeus recentes que se destacaram nos principais festivais internacionais de cinema. É uma viagem pela Europa através de sete curtas-metragens com temas tão diversos como a poesia e a dependência, ou tão importantes quanto conceito de fronteira. O programa “Panorama Nacional” revela o melhor da produção portuguesa através das obras de jovens autores como Gabriel Abrantes, Simão Cayatte, Eduardo Brito e Ana Maria Gomes e das histórias que têm para contar. A pensar nas famílias, "Curtinhas em Dezembro" é uma proposta da Casa da Animação e inclui um conjunto de pequenas histórias repletas de aventura, peripécias e personagens únicas, mas também de reflexões sobre a solidão e o caminho certo a seguir. “Papel de Natal e Outras Histórias” celebra o espírito natalício através de pequenos contos para os mais novos sem esquecer a vertente pedagógica.


A Cinemateca Portuguesa e o Cineclube do Porto recebem sessões especiais do evento, no dia 21 e 22 de dezembro respetivamente, apresentando programas que destacam a produção nacional.


Este ano, O Dia Mais Curto também acontece na Internet. Entre os dias 14 e 21 de dezembro, a Agência da Curta Metragem disponibiliza cinco filmes portugueses, galardoados internacionalmente, para visualização gratuita online: “Abraço do Vento” de José Miguel Ribeiro, “Rapace” de João Nicolau, “Amélia & Duarte” de Alice Guimarães e Mónica Santos e “Vicky & Sam” de Nuno Rocha.


Na televisão, o Cinemax RTP e o Curtas Às Quartas dos Canais TVCine & Séries dedicam programas especiais ao evento.

O Dia Mais Curto será ainda assinalado nas escolas, por alunos de diferentes graus de ensino, e em instituições de solidariedade social como as Aldeias de Crianças SOS e a Santa Casa da Misericórdia.


O Dia Mais Curto é a festa do cinema, um momento de descoberta que vai iluminar as telas do país!


O programa completo da 4ª edição d’ O Dia Mais Curto será anunciado brevemente em www.odiamaiscurto.curtas.pt.

Lançamento do Livro "Laboratório Cinemático - Solar 10 anos" em Lisboa

31 Outubro 2016
Share on Facebook Share on Twitter

A Cinemateca Portuguesa recebe, na quinta-feira 10 de novembro, às 22:00, uma Sessão Comemorativa da Solar – Galeria de Arte Cinemática com a apresentação do livro “Laboratório Cinemático – Solar, 10 Anos” e a exibição de três filmes produzidos no âmbito da programação da galeria.

 

A Solar - Galeria de Arte Cinemática promove o lançamento, em Lisboa, do livro “Laboratório Cinemático – Solar, 10 Anos”, um obra que conjuga e adota o caráter puramente experimental da galeria Solar com a celebração de uma década de procura de novos territórios da arte cinemática. O livro reúne um conjunto de textos e entrevistas de e com alguns dos autores e artistas que contribuíram para história da Solar bem como um portefólio de exposições e intervenções que personificam o projeto Solar enquanto laboratório da arte cinemática.

 

A Sessão Comemorativa da Solar inclui a exibição de três curtas-metragens desenvolvidas no âmbito da programação da galeria Solar: “Exodus” de Nicolas Provost; “Vila do Conde Espraiada” de Miguel Clara Vasconcelos e “Dockworker’s Dream” de Bill Morrison.

 

←prev 1  I  2  I  3  I  4  I  5  I  6  I  7  I  8  I  9  I  10  I  11  I  12  I  13  I  14  I  15  I  16  I  17  I  18  I  19  I  20  I  21  I  22  I  23  I  24  I  25  I  26  I  27  I  28  I  29  I  30  I  31  I  32  I  33  I  34  I  35  I  36  I  37  I  38  I  39  I  40  I  41  I  42  I  43  I  44  I  45  I  46  I  47  I  48  I  49  I  50  I  51  I  52  I  53  I  54  I  55  I  56 next→
ETIQUETAS