ERRATA: Jornal do 25º Curtas Vila do Conde

3 Julho 2017
Share on Facebook Share on Twitter

Na versão impressa do jornal do 25º Curtas Vila do Conde:

- na página 7, com o programa de domingo, 9 de julho, a sessão Da Curta À Longa com o filme "24 Frames" está indicada, por lapso, às 21:15 sendo que a hora correcta é 23:00. 

- na página 10, com o programa de quarta-feira, 12 de julho, o evento "Cinema Expandido" tem inicio às 16:00 e não às 14:00, como indicado. 

- Na contracapa, na grelha com o programa do festival, o horário da Solar - Galeria de Arte Cinemática é das 14:00 às 23:00 e não das 14:00 à 00:00 como indicado.

As versões disponíveis digitalmente foram atualizadas com as informações correctas.

Curtas assinala 25º aniversário com Festa no Forte S. João

3 Julho 2017
Share on Facebook Share on Twitter

FESTA CURTAS 25 ANOS
Curtas Vila do Conde
Festival Internacional de Cinema


SENSIBLE SOCCERS + 7 MAGNÍFICOS
Qui. 13 JUL
Forte S. João, Vila do Conde

Sensible Soccers (concerto)
Os Sensible Soccers são Filipe Azevedo, Hugo Gomes e Manuel Justo, e editaram o seu primeiro EP em 2011, ano em que também se estrearam nas atuações ao vivo. Desde então, a banda deu inúmeros concertos que os levaram a palcos de todos os tipos, desde clubes, auditórios a eventos de projeção internacional, como o Primavera Club, Festival Paredes de Coura, Boom Festival, Vodafone Mexefest ou a primeira edição portuguesa do Boiler Room. Em 2014 lançaram o primeiro LP, intitulado 8, que foi unanimemente considerado pela imprensa nacional como um dos melhores discos desse ano. Depois de convidada pelo Teatro Maria Matos, GNRation e Curtas de Vila do Conde, a banda apresentou um espetáculo composto por temas inéditos e por uma vertente visual, a cargo da artista Laetitia Morais. Em março de 2016 editaram o seu mais recente álbum, Villa Soledade. Sem esconderem o gosto pelas melodias pop, na construção dos seus temas fogem ao formato tradicional de canção, optando maioritariamente por estruturas e arranjos em progressão, e nos espetáculos ao vivo a sua música ganha uma energia extra. 

7 Magníficos (Dj Set)
Uma imagem de marca do festival… Os 7 Magníficos regressam uma vez mais munidos com as armas de sempre: os velhos 7” em vinil com um resumo da melhor música alguma vez feita.

Bilhetes: 6 euros

●●●●

FESTAS DO 25º CURTAS VILA DO CONDE

Sáb. 8 JUL
João Tenreiro 
Café do Parque
Entrada livre 

João Tenreiro cresceu no meio dos discos. Ainda teenager, fugia da norma mainstream e procurava expressões alternativas da eletrónica, de Kruder & Dorfmeister a Fila Brazilia, de Moodyman aos Idjut Boys. Estreou-se em 2012, no Passos Manuel e nunca mais parou. Desde ai tem sido presença regular nas cabines de clubes de referência como o Lux, a Indústria, o Brownie ou o Café au Lait, entre muitos outros. O seu interesse por coisas como o Boogie Brasileiro, o Disco Nigeriano, a mais obscura Modern Soul ou a Library Music, fazem com que não seja apenas mais um DJ de House ou Eletrónica, mas um amante de música de dança.

Dom. 9 JUL
TAM (Wasser Bassin Records)
Cacau Café-Bar
Entrada livre 

Produzindo música desde o início do século XXI, Tam decidiu começar a sua própria editora em 2010, sendo músico, gerente e cofundador da Wasser Bassin Records. Em termos musicais, Tam gosta de diversidade, versatilidade, melancolia, chuva fria de inverno e tardes de verão relaxadas. Será isto música? Talvez não, mas quem se importa com opiniões quando se pode ver, sentir ou ouvir por si mesmo?

Seg. 10 JUL
TAKE ONE! NIGHT
Jonathan Silva
Cacau Café-Bar
Entrada livre 

Da tropicália, à música negra do disco e à eletrónica, propõe-se assim uma viagem ao cosmos baleárico.

Ter. 11 JUL
MUSIC VÍDEOS PARTY
André Tentugal
Entrada livre 

André Tentugal é realizador, fotógrafo, compositor, guitarrista, vocalista e a personagem central que deu vida ao projeto We Trust. Em 2013, estreou no Curtas a sua curta-metragem “De Onde os Pássaros Vêem a Cidade”, uma ficção encomendada pelo próprio festival. Uma presença recorrente no festival como DJ, realizou vários trabalhos que foram exibidos na Competição de Vídeos Musicais do Curtas, tendo vencido em 2015 o prémio desta competição com a obra “Movin Up”, com música dos X-Wife.

Qua. 12 JUL
Karlon Crioulo (do filme Altas Cidades de Ossadas, de João Salaviza) + Nitronious (Monster Jinx)
Barcearia 1º Piso
Entrada livre 

Karlon Krioulo
Descendente de cabo-verdianos, este músico e compositor é um dos pioneiros do Hip Hop crioulo em Portugal, tendo fundado em 1994 o grupo Nigga Poison (duo com Praga). O grupo lançou em 2001 o EP Podia Ser Mi, mas foi em 2006 que conquistou o seu espaço no panorama do rap nacional com o lançamento do álbum Resistentes. Com a sua editora independente Kreduson Produson, Karlon lançou em 2012 o seu primeiro trabalho a solo intitulado Nha Momentu. Em 2017, Karlon aventurou-se no mundo do cinema ao protagonizar o filme “Altas Cidades de Ossadas”, cujo argumento escreveu em conjunto com o realizador, João Salaviza, numa história inspirada em si próprio.

nitronious
Nitronious não tem limites. Seja na procura da batida perfeita, da luz perfeita, do sabor perfeito - prima pela multidisciplinaridade - corre atrás da novidade, mas traz ao mesmo tempo todo o passado bem estudado. No comando da mesa de mistura aposta na fusão de várias linguagens, desde o mais sujo left field, aos hits do pop mais pop, e ele vai lançar aquela faixa no momento em que ninguém está à espera e, provavelmente, vai funcionar.

Qui. 13 JUL
Sensible Soccers + Os 7 Magníficos 
Forte Sº João
Bilhetes: 6 euros

Sex. 14 JUL
Sergio Gomes (BREAKS lda.)
Barcearia 1º Piso
Entrada livre 

Sérgio Gomes é DJ desde 1998. Sempre mostrou um interesse por música eletrónica contemporânea e avant-garde. Através da sua editora BREAKS, lda, é também um promotor de eventos de música eletrónica em Portugal, e apresenta semanalmente um programa de rádio na RUM - Rádio Universitária do Minho.

Sáb. 15 JUL
The Legendary Tigerman (Dj set)
Café do Parque
Entrada livre 

The Legendary Tigerman é o alter-ego de Paulo Furtado. Inspirado no velho formato de one-man-band nascido nas margens do Delta do Mississipi, é um conceito adaptado e vivido no Século XXI, com uma estética muito particular - ao formato analógico tradicional juntam-se, sem pudor, soluções eletrónicas. Mas, The Legendary Tigerman não é só um projeto musical - aqui, a imagem, através (sobretudo) do cinema e da fotografia são tão importantes como a música. Uma presença habitual no Curtas, com várias atuações ao vivo, apresentou em 2016 “How To Become Nothing”, o projeto que juntou o músico, a fotógrafa Rita Lino e o realizador Pedro Maia numa road trip pelo deserto da Califórnia. O resultante road movie foi apresentado em formato de filme-concerto, com banda sonora ao vivo de The Legendary Tigerman e imagens manipuladas em tempo real.

Dom. 16 JUL
STAFF NIGHT
Cacau Café-Bar
Entrada livre 
Alguns elementos da equipa do Curtas Vila do Conde, que também se movimentam no mundo da música, mostrarão as suas habilidades, escolhendo uma banda sonora perfeita para esta noite.

Infos:
www.curtas.pt

Programa do 25º Curtas Vila do Conde:
http://www.curtas.pt/25CVC/jornal_2017.pdf

Curtas Vila do Conde apresenta filmes sobre Vila do Conde e Póvoa de Varzim

3 Julho 2017
Share on Facebook Share on Twitter

À semelhança das edições anteriores, o Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema abre espaço de visibilidade a filmes que exploram os territórios locais de Vila do Conde e Póvoa do Varzim.

No dia 9 de julho, às 17:00, o festival vai apresentar dois filmes recentes que se ocupam dessas realidades. Vaza de José Manuel Sá e Paulo Pinto é a história de uma adolescente caxineira, como toda a sua família, desde sempre ligada ao mar. Um Conto de Duas Cidades, de Morag Brennan e Steve Harrison, é um filme sobre a  a Póvoa de Varzim nas décadas de 1950 e 1960, visto a partir da sua comunidade piscatória e como estância turística. Um conto feito a partir entrevistas de testemunhas oculares, às vezes hilariantes e outras vezes dolorosas, mas sempre inspiradoras e reveladoras.

Os bilhetes para esta sessão de cinema custam 4 euros (com 20% de desconto para portador de Cartão de Estudante, Cartão Jovem, Clientes BPI e Sócios ACP) e estarão à venda, brevemente, na Bilheteira do Teatro Municipal de Vila do Conde e na rede da Bilheteira Online. O Curtas Vila do Conde aceita reservas através do e-mail info@curtas.pt.

Cinema para toda a família no 25º Curtas Vila do Conde

29 Junho 2017
Share on Facebook Share on Twitter

O Curtinhas, a secção do Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema dedicada a crianças e jovens, arranca com o filme Gru – O Maldisposto 3, no sábado, 8 de julho, às 15:30, no Teatro Municipal de Vila do Conde. Este mini-festival dentro do festival vai contar, também, com uma competição de curtas-metragens, vários ateliers e o Espaço Infantil Brincar ao Cinema, onde os pais poderão deixar as crianças enquanto assistem às sessões.


Gru – O Maldisposto 3
 é o regresso ao grande ecrã do anti-herói mais maldisposto do cinema e dos seus companheiros Minions. Nesta nova aventura, Gru, deprimido e humilhado por ter sido despedido da Liga Antivilões, conhece o seu irmão gémeo, cuja existência desconhecia. Gru, que também possui sangue de vilão a correr-lhe nas veias, propõe-lhe continuar a tradição familiar e formar uma parceria. Conseguirá Gru, agora um dedicado pai de família, resistir a tal proposta? Ou será que, lá no fundo, ainda tem a sua alma contaminada pelo desejo de cometer malfeitorias? O filme, produzido pela Illumination Entertainment e com realização de Pierre Coffin e Kyle Balda, vai ser apresentado no primeiro dia do Curtas Vila do Conde na versão dobrada em português, com as vozes de Manuel Marques, Rita Blanco, Pedro Miguel Ribeiro, Rui Unas, Inês Castel-Branco, Aurélio Gomes, Sara Mestre e Nuno Eiró.


Para além do habitual filme de abertura, o Curtinhas voltará a apresentar a competição de curtas-metragens. Em várias sessões de cinema, divididas em três escalões etários (para maiores de 3, 6 e 9 anos), será exibida uma seleção de filmes provenientes de todo o mundo que abordam, de forma lúdica mas educativa, temas tão importantes como a amizade, as etnias, o amor e a guerra. Nesta competição, o próprio júri é composto por um grupo de crianças que, em conjunto, decide qual o filme vencedor e entrega o Prémio Curtinhas MAR Shopping na Cerimónia de Encerramento.


Os bilhetes para as sessões de cinema do Curtinhas custam entre 2,00 e 3,50 euros.

Durante os nove dias do festival, o Curtinhas disponibiliza o Espaço Infantil Brincar ao Cinema, onde os pais poderão deixar as crianças em tarefas educativas relacionadas com a imagem em movimento enquanto assistem às sessões de cinema. Este espaço receberá, também, três ateliers: uma Kids Jam Session, onde os participantes poderão encarnar uma estrela de rock enquanto exploram diferentes instrumentos musicais; um Workshop de Teatro de Papel, em que os mais novos serão convidados a construir réplicas de cenários e marionetas de teatro; e um Atelier de Marionetas, no qual duas cineastas darão a descobrir o cinema de animação através da criação e animação de personagens para um pequeno filme. Estes ateliers requerem inscrição prévia através do e-mail animar@curtas.pt.


Fora da secção Curtinhas, mas a pensar igualmente na formação de públicos e na partilha do gosto pelo cinema entre pais e filhos, o Curtas Vila do Conde apresenta, também no dia 8 de julho, um filme-concerto para toda a família. A Atlantic Coast Orchestra, conduzida pelo maestro Luis Miguel Clemente, vai interpretar uma banda sonora original, para o clássico mudo de Buster KeatonThe General (Pamplinas Maquinista), projetado em simultâneo. A comédia de 1926, realizada e protagonizada por Keaton, é um dos clássicos mais divertidos do cinema mudo.


Em antecipação à 25ª edição do Curtas Vila do Conde, o MAR Shopping recebe, no próximo sábado, 1 de julho, o Workshop “O meu primeiro Caleidoscópio”, das 11h00 às 12h30 e das 14h30 às 16h00, no Piso 0 (corredor de moda infantil). A participação é gratuita e assegurada por ordem de chegada.


O 25º Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, que decorre entre 8 e 16 de julho, tem o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Ministério da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual, do programa MEDIA/Europa Criativa e de vários parceiros imprescindíveis à realização do festival, incluindo o MAR Shopping, patrocinador exclusivo da secção Curtinhas.

Exposição "Terra" inaugura a 8 de julho

26 Junho 2017
Share on Facebook Share on Twitter

Entre 8 de julho e 17 de setembro, a Solar – Galeria de Arte Cinemática, em Vila do Conde, apresenta “Terra”, uma exposição coletiva da nova geração de autores portugueses: Gabriel Abrantes (em colaboração com Ben Rivers), Priscila Fernandes, Pedro Neves Marques, Joana Pimenta, Lúcia Prancha, Francisco Queimadela e Mariana Caló.


A decorrer em simultâneo à 25ª edição do Curtas Vila do Conde, a exposição inaugura no primeiro dia do festival, a 8 de julho, às 17:00, com a presença de alguns dos artistas.


“Terra” integra seis instalações site-specific, desenvolvidas a partir de filmes, mas que não passam obrigatoriamente pela sua projeção. Cada obra reflete sobre o lugar: primeiro o da sua terra de origem, onde foi imaginada, filmada e construída, e, depois, a terra para onde viaja e onde para, pelo menos por breves meses, habitando um espaço com marcas, ora de uma história passada, ora da ocupação recente do historial de exposições. Neste sentido, as instalações partem de pontos específicos do planeta, muitas vezes longínquos, que trazem a um local específico onde se consumam num todo que forma a TERRA, contribuindo para uma ideia complexa formada a partir de elementos simples, por vezes dispersos, mas que se agregam para formar um novo espaço de significação.


O tema sob o qual se agrega o conjunto de instalações, para além da óbvia conotação com questões ambientais, refere-se sobretudo à imersão local, na “nossa terra”, das imagens do mundo sobre as quais estes artistas e realizadores se debruçam. Transparece, conceptualmente, uma transposição de escala, de lugar e de tempo, tal como a vontade de trabalhar, quer o espaço da sala de cinema, quer o da galeria de arte.


Esta será uma oportunidade para evidenciar a qualidade da obra de uma nova geração que, para além do reconhecimento nacional, alcança já alguma notoriedade internacional, tanto no panorama do cinema como no das artes plásticas. São autores que, de alguma forma, já estabeleceram uma relação com a Curtas Metragens CRL, quer seja de forma direta, pelo apoio dado à produção de obras originais, quer pela participação no Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema ou, até, em exposições anteriores da Solar – Galeria de Arte Cinemática.

A partir do conto O Corcunda das Mil e Uma NoitesGabriel Abrantes e Ben Rivers criaram uma distopia futurista, um filme que nesta exposição é apresentado em formato de instalação vídeo, onde uma empresa omnipotente força os seus empregados a participar em programas de reintegração emocional, simulando outras épocas e géneros cinematográficos.


Por sua vez, Priscila Fernandes apresenta uma peça sonora inédita, produzida para a Solar, baseada na utopia medieval do País da Cocanha, um lugar de comida abundante, tempo ameno e onde o trabalho é desnecessário. A artista transporta esse imaginário para a atualidade, num parque numa cidade, de noite, e uma multidão de gente que circula em seu redor sem nunca encontrar a entrada.


Pedro Neves Marques
 expõe uma instalação vídeo produzida muito recentemente a partir de imagens rodadas na paisagem transformada pela agricultura de monocultura do Rio Grande do Sul, no Brasil, e de questões retiradas de um diário do realizador: que espécie de vida são estas sementes transgénicas? E o que significa aprender a viver com o inimigo?


Joana Pimenta
 parte do seu filme Um Campo de Aviação para uma instalação vídeo: “Um campo de aviação num subúrbio desconhecido. O lago debaixo da cidade queima as ruas. As montanhas atiram rocha para os jardins. Na cratera de um vulcão, uma cidade modelo é levantada e se dissolve. Duas pessoas encontram-se neste lugar, separadas por cinquenta anos”.


Lúcia Prancha 
participa nesta exposição com uma instalação dividida três partes: cartazes para o filme The True Sentimental Bitch, uma série de esculturas e um vídeo, intitulado de SleepWorkers.


Por último, Mariana Caló e Francisco Queimadela, atraídos pelo imaginário coletivo em torno da figura do lince ibérico, viajaram pelas imediações da Serra da Malcata, por terras que assistiram ao seu desaparecimento nas últimas décadas. O resultado é Efeito Orla, uma instalação composta por duas projeções síncronas e justapostas, que procuraram estabelecer uma relação constante entre a verticalidade e a gravidade, o céu e a terra, entre micro e macro escalas, induzindo estados que oscilam entre a vontade de contemplação e um estado de alerta - um sentimento de emergência que associaram ao desaparecimento do lince.


A Solar – Galeria de Arte Cinemática é uma estrutura financiada pela Câmara Municipal de Vila do Conde, pelo Ministério da Cultura e pela DGArtes – Direção-Geral das Artes.



TERRA


08/07 - 17/09/2017 
Solar - Galeria de Arte Cinemática


Gabriel Abrantes e Ben Rivers 
Priscila Fernandes
Pedro Neves Marques
Joana Pimenta
Lúcia Prancha
Mariana Caló e Francisco Queimadela


Horário:
 Seg. – Dom. 14:00 – 18:00
Durante o 25º Curtas Vila do Conde (9-16 JUL): 14:00 – 23:00
Entrada livre


Inauguração:
 Sábado, 8 de julho, 17:00

25º Curtas Vila do Conde: Programa Completo

22 Junho 2017
Share on Facebook Share on Twitter

O Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, que decorre entre 8 e 16 de julho, anunciou esta manhã, em conferência de imprensa, o programa completo da 25ª edição, incluindo a aguardada Competição Nacional que vai apresentar, no festival, os últimos trabalhos de cineastas como João Salaviza, Gabriel Abrantes, Salomé Lamas, Carlos Conceição e João Pedro Rodrigues. 

Em 2017, a Competição Nacional do Curtas Vila do Conde volta a ser o barómetro da produção portuguesa, destacando a singularidade e a diversidade do cinema que se faz em Portugal com a estreia nacional dos últimos trabalhos de cineastas já habituais no festival, e de autores internacionalmente premiados, mas também de um conjunto de nomes promissores que se vão afirmando no campo da curta-metragem. Esta seleção inclui 16 filmes: Água Mole, de Laura Gonçalves e Xá; Altas Cidades de Ossadas, de João Salaviza; Cedrim, de Diogo Vale; Coelho Mau, de Carlos Conceição; Coup de Grâce, de Salomé Lamas; Das Gavetas Nascem Sons, de Vítor Hugo; Farpões Baldios, de Marta Mateus; Longe da Amazónia, de Francisco Carvalho; O Homem Eterno, de Luís Costa; Os Humores Artificiais, de Gabriel Abrantes; Où En Êtes-Vous João Pedro Rodrigues?, de João Pedro Rodrigues; Soltar de Jenna Hasse; A Sonolenta, de Marta Monteiro; Surpresa, de Paulo Patrício; Thursday Night de Gonçalo Almeida; e Verão Saturno de Mónica Lima.

 

Por sua vez, a Competição Internacional procura dar a conhecer o que de mais importante e cativante tem surgido no cinema contemporâneo, permitindo acompanhar as mais recentes obras de realizadores já consagrados, como Jia Zhangke, Ben Rivers, Yann Gonzalez, Hu Wei, Laura Poitras ou a dupla Caroline Poggi e Jonathan Vinel, e também descobrir novos talentos emergentes como Laura Ferrés, Jonathas de Andrade ou Toru Takano. Dedicada a desafiar as convenções cinematográficas, a Competição Experimental apresenta uma seleção de 24 curtas-metragens, em que se destacam autores como Lois Patiño, Rosa Barba (vencedora da última edição desta competição), Ken Jacobs, Christoph Girardet, Siegfried A. Fruhauf, Bill Morrison, Vivian Ostrovsky ou Jay Rosenblatt. Assinala-se também a presença dos portugueses Tânia Dinis e Miguel Ildefonso. A Competição de Vídeos Musicais continua a celebrar o formato, numa sessão com trabalhos surpreendentes de artistas e bandas portuguesas. Já a competição Take One!, voltará a dar a conhecer os talentos saídos das escolas de cinema. Esta competição premiou, em anos anteriores, os primeiros trabalhos de cineastas como João Salaviza e Leonor Teles.

 

Por último, a Competição Curtinhas prova que o cinema para crianças pode ter um modelo diferente e surpreendente. O festival dedica, inclusive, toda uma secção ao público mais jovem. Além da competição, onde o júri é composto por crianças, o Curtinhas oferece um Espaço Infantil (onde os pais podem deixar os filhos enquanto assistem às sessões de cinema) e oficinas práticas. O Curtinhas arranca no primeiro dia do festival, a 8 de julho, com a exibição de Gru - O Mal Disposto 3, um divertido regresso ao universo dos Minions


A 25ª edição do Curtas Vila do Conde abre com a antestreia nacional da mais recente obra do finlandês Aki Kaurismäki, O Outro Lado da Esperança. Estreado no último Festival de Berlim, o filme acompanha as desventuras de um jogador de póquer finlandês com um refugiado. Esta exibição está integrada na secção Da Curta À Longa, que acompanha o percurso de cineastas que passaram pelo festival, e que apresentará mais três aguardados filmes: Certain Women, o mais recente filme de Kelly Reichardt - autora In Focus em 2014 – protagonizado por Michelle Williams e Kristen Stewart; o regresso à longa-metragem de Sandro Aguilar, com Mariphasa, em estreia mundial no Curtas Vila do Conde; e um filme póstumo de Abbas Kiarostami, 24 Frames, uma coleção de 24 pequenos filmes inspirados em imagens estáticas, em antestreia nacional.


Como não podia deixar de ser, esta edição celebra o 25º aniversário e a história do festival a partir de múltiplos olhares, com uma carta branca e um livro partilhados por vinte e cinco individualidades que atuam em diversas áreas artísticas e culturais (serão nove sessões com filmes “clássicos” do festival). O Curtas regressa também ao Auditório Municipal de Vila do Conde, a casa do festival entre 1993 e 2008, com concertos, sessões de cinema abertas ao público e uma exposição fotográfica retrospetiva de realizadores portugueses: A Glória de Fazer Cinema em Portugal. Para assinalar esta data especial, o Curtas Vila do Conde promove, na noite de 13 de julho, uma festa de aniversário no Forte Sº João com um concerto dos Sensible Soccers seguido de um Dj set do coletivo Os 7 Magníficos.


A secção Stereo, onde a música se funde com o cinema, recebe espetáculos de Mão Morta, Capitão Fausto, Pega Monstro, Evols, Chassol e Atlantic Coast Orchestra.


Para celebrar o cinema e o seu futuro, o Curtas Vila do Conde apresenta também uma retrospetiva integral do realizador francês F.J. Ossang. Músico, escritor, editor e poeta, o cineasta é um radical livre, praticando, com o seu cinema, um estilo particular, partindo do mundo pós-apocalíptico de ficção científica para se aproximar do punk e do film noir. É o regresso de Ossang a Vila do Conde, por onde já passaram várias das suas curtas e onde foi premiado com Vladivostok, em 2009. O realizador estará presente no festival para apresentar a sua filmografia completa juntamente com Elvire, atriz de muitas das suas obras.


Paralelamente ao festival, a Solar - Galeria de Arte Cinemática inaugura, a 8 de julho, uma exposição que representa uma nova geração de artistas que procuram estabelecer, a partir de diversas perspetivas, uma reflexão sobre a Terra, em seis instalações site-specific. Estarão representados nesta exposição Gabriel Abrantes e Ben Rivers, Priscila Fernandes, Pedro Neves Marques, Joana Pimenta, Lúcia Prancha, Mariana Caló e Francisco Queimadela.


O Curtas Vila do Conde continuará também a promover encontros e debates com realizadores, workshops e até “ciné-conversas” - uma ideia de cinema expandido, que vai para além da sala e se mistura com o conceito de conferência -, mostrando que é possível pensar e refletir sobre o cinema.


O 25º Curtas Vila do Conde tem o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Ministério da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual, do programa MEDIA/Europa Criativa e de vários parceiros imprescindíveis à realização do festival.


Jornal do Festival:


http://www.curtas.pt/25CVC/jornal_2017.pdf

←prev 1  I  2  I  3  I  4  I  5  I  6  I  7  I  8  I  9  I  10  I  11  I  12  I  13  I  14  I  15  I  16  I  17  I  18  I  19  I  20  I  21  I  22  I  23  I  24  I  25  I  26  I  27  I  28  I  29  I  30  I  31  I  32  I  33  I  34  I  35  I  36  I  37  I  38  I  39  I  40  I  41  I  42  I  43  I  44  I  45  I  46  I  47  I  48  I  49  I  50  I  51  I  52  I  53  I  54  I  55  I  56  I  57  I  58  I  59  I  60  I  61  I  62  I  63 next→
ETIQUETAS