Carlos Conceição vence o Prémio Revelação do Doclisboa

28 Outubro 2019
Share on Facebook Share on Twitter

“Serpentário”, primeira longa metragem de Carlos Conceição, foi a vencedora do Prémio Revelação do Doclisboa, que teve lugar de 17 a 27 de outubro, em Lisboa. O realizador esteve em destaque na programação do 27º Curtas Vila do Conde, onde foram exibidos todos os seus filmes, entre eles a estreia nacional do galardoado “Serpentário”.

O filme foi apresentado no passado dia 25 no contexto da secção “Riscos” do festival, cujo programa se propõe discutir fronteiras e limites com filmes de diferentes épocas que interrogam a contemporaneidade do cinema.

O “Prémio Canais Tvcine Para Melhor Primeira Longa-metragem” é concedido ao realizador da melhor primeira longa-metragem de uma selecção transversal a todas as secções, excepto retrospectivas e cinema de urgência, e foi atribuído pelo júri composto por Aya Koretzky (realizadora, Portugal), Sofia Bohdanowicz (realizadora, Canadá) e Veton Nurkollari (director artístico do Festival Dokufest, Kosovo).


“Serpentário”, uma co-produção luso-angolana, representada pela Agência da Curta Metragem, segue um rapaz que vagueia por uma paisagem africana pós-catástrofe em busca do fantasma da sua mãe e é protagonizado por João Arrais, contando ainda com a participação de Isabel Abreu (voz). O filme teve a sua estreia mundial na secção Fórum do festival de Berlim e, entretanto, obteve o prémio Nuove Visione no Sicilia Queer, em Itália, o Prémio do Público do Burgas Film Festival, na Bulgária, uma Menção Especial para o Melhor filme e o Prémio de Melhor Montagem no festival Filmadrid, e ainda a menção especial do júri Nouveaux Alquimistes do Festival du Nouveau Cinéma.

Leonor Teles e Gabriel Abrantes finalistas dos European Film Awards

23 Outubro 2019
Share on Facebook Share on Twitter

“Cães Que Ladram aos Pássaros”, de Leonor Teles e “Les Extraordinaires Mésaventures De La Jeune Fille De Pierre”, de Gabriel Abrantes estão entre os cinco finalistas da categoria de “Melhor Curta-Metragem” dos European Film Awards (Prémios Europeus de Cinema). Os vencedores são conhecidos no dia 7 de dezembro.

“Cães Que Ladram aos Pássaros”, comissariado pela Câmara Municipal do Porto, produzido por Leonor Teles e Uma Pedra no Sapato e com promoção internacional da Agência da Curta-Metragem, foi inteiramente rodado na cidade do Porto. O filme acompanha os dias de verão de Vicente e da sua família, obrigados a sair da sua casa no centro do Porto, por força da especulação imobiliária e teve a sua estreia mundial no Festival Internacional de Cinema de Veneza, no passado mês de setembro.
 
Para chegar a esta lista reduzida, os juris de um conjunto de 19 festivais de toda a Europa, do qual o Curtas Vila do Conde é o único festival português, escolheu um nomeado que agora resultou em 5 finalistas. O filme “Les Extraordinaires Mésaventures De La Jeune Fille De Pierre”, de Gabriel Abrantes, foi o noemado da 27ª edição do Curtas Vila do Conde, e foi tambem galardoado com o "Prémio Ficção" da Competição Internacional e o "Prémio do Público" da Competição Nacional.  


Estes prémios reconhecem a excelência dos filmes produzidos na Europa e são entregues anualmente pela Academia Europeia de Cinema, composta por cerca de 3500 profissionais do meio. A 32ª cerimónia do European Film Awards vai realizar-se em Berlim, Alemanha, no dia 7 de dezembro.

Serpentário seleccionado para a Viennale

28 Agosto 2019
Share on Facebook Share on Twitter

“Serpentário” primeira longa-metragem do realizador Carlos Conceição, integrará a programação da Viennale, a realizar-se de 24 de outubro a 6 de novembro, em Viena, Áustria.

 

Serpentário” de Carlos Conceição, uma coprodução luso-angolana, representada pela Agência da Curta Metragem, teve a sua estreia mundial na secção Fórum do festival de Berlim e foi exibido pela primeira vez em território português no Curtas Vila do Conde onde o autor foi Realizador em Foco. Entretanto, obteve o prémio Nuove Visione no Sicilia Queer, em Itália, o Prémio do Público do Burgas Film Festival, na Bulgária, e é agora seleccionado para a Viennale, o mais importante evento internacional dedicado ao cinema na Áustria, bem como um dos mais antigos e mais conhecidos festivais do mundo de língua alemã.

 

"Serpentário" será apresentado na secção Features da Viennale, acompanhado dos filmes de Pedro Costa, Agnés Varda, Nadav Lapid ou irmãos Dardenne. A propósito desta estreia austríaca, o programador da Viennale, Nico Marzano, comenta o filme na página do evento que lhe é dedicada:

 

A primeira longa-metragem de Carlos Conceição, "Serpentário", desdobra-se diante de nossos olhos como uma jornada hipnótica entre lembranças e visões premonitórias, e a ideia de viagem como ponto de partida para uma busca pessoal e coletiva. O filme e o olhar de Carlos Conceição, um colaborador de longa data de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, está intrinsecamente enraizado na sua jornada pessoal, e na da sua família, de Angola (de onde é originário) para Portugal. Através de paisagens indefiníveis, assombrando mitologia e ruínas de ficção científica, a busca pela mãe do realizador e pelas suas origens começa. "Serpentário" configura-se progressivamente como um alter-ego cinematográfico que fala do acto de partir, sair, explorar. Preocupações como o colonialismo, a escravidão e a relação entre o território e as pessoas que pertencem a esse território são intrínsecas à ideia de uma busca espiritual. "Serpentário" desenrola-se como uma odisseia, um road movie ancestral, suspenso entre múltiplas dimensões que nos levam pelo deserto, pelas ruínas, pela história, pelo futuro e por todos aqueles lugares de vida e de morte. No entanto, o serpentário é também o lugar onde as cobras são criadas, é o trabalho daqueles que as transportam, a constelação a partir da qual é possível observar o mundo. Como num longo fluxo de consciência, "Serpentário" é uma reflexão pessoal e existencial baseada em associações de ideias e espaços que brinca com Proust, a nossa alma, através de uma digressão contínua, cortada por senhoras usando rufos do século XVIII em volta de seus pescoços; passageiros numa carrinha ou nas Três Caravelas; pistoleiros nos bares do Velho Oeste ou astronautas em busca de outra dimensão além do espaço e do tempo. O que procuramos nós? Identidade, pertencimento, tradição, raízes representadas por uma mãe deixada para trás e cuja ausência continua retornando em sonhos e lembranças ainda como uma presença física, palpável e assombrosa.

"Cães que Ladram aos Pássaros" em Veneza

25 Julho 2019
Share on Facebook Share on Twitter

"Cães que Ladram aos Pássaros" de Leonor Teles terá estreia mundial no Festival Internacional de Cinema de Veneza

 

"Cães que Ladram aos Pássaros" é a nova curta-metragem da realizadora portuguesa Leonor Teles, cuja estreia mundial vai acontecer no Festival Internacional de Cinema de Veneza, que se realiza de 28 de agosto a 7 de setembro.

O filme, que integra a secção competitiva Orizzonti Short Films Competition, acompanha os dias de verão de Vicente e da sua família, obrigados a sair da sua casa no centro do Porto, por força da especulação imobiliária.

Produzido pela Uma Pedra no Sapato e com promoção internacional da Agência da Curta Metragem, CÃES QUE LADRAM AOS PÁSSAROS, foi inteiramente rodado na cidade do Porto. "Toma uma cidade que não é a minha, um lugar que me é desconhecido e não me pertence. No entanto, não deixou de ser, por isso, menos pessoal que os filmes anteriores. A ligação que criei com a família que filmei mantém-se e parece ser essa a constante no meu trabalho: as pessoas e a minha relação com elas", afirma a realizadora.

Depois de “Balada de um Batráquio” (Urso de Ouro de Melhor Curta-Metragem na Berlinale 2016), esta é a segunda curta de Leonor Teles, realizadora que estreou no início deste ano, em circuito comercial, a longa Terra Franca (Prix International de la SCAM no Cinéma du Réel, Prix de La Ville d’Amiens at Festival d’Amiens e Mejor Opera Prima Internacional no Festival Mar del Plata).

1  I  2  I  3  I  4  I  5  I  6  I  7  I  8  I  9  I  10  I  11  I  12 next→
ETIQUETAS