Três novas curtas portuguesas nos cinemas

12 Setembro 2017
Share on Facebook Share on Twitter

No dia 14 de setembro a Midas Filmes estreia nos cinemas portugueses três curtas-metragens que já passaram pelo Curtas Vila do Conde - Festival Internacional de Cinema: "Farpões Baldios" de Marta Mateus (Grande Prémio Competição Internacional 2017), "Coelho Mau" de Carlos Conceição e "Cidade Pequena" de Diogo Costa Amarante.

“Cidade Pequena”, de Diogo Costa Amarante, co-produzido pela Curtas Metragens CRL, venceu este ano o prémio de melhor curta-metragem do Festival de Berlim, com o júri a elogiar-lhe os enquadramentos que “lembram a atenção ao detalhe presente nos quadros do Renascimento italiano”. Diogo Costa Amarante, que prepara atualmente a primeira longa-metragem, foi realizador, coprodutor, argumentista, diretor de fotografia, de montagem e corresponsável pelo som de “Cidade Pequena”. O filme é protagonizado por Frederico Costa Amarante Barreto e Mara Costa Amarante.


O programa de curtas-metragens a estrear-se em setembro integra também dois filmes que tiveram este ano estreia mundial em Cannes: “Coelho Mau”, ficção de Carlos Conceição sobre a relação entre dois irmãos, e “Farpões baldios”, primeira obra de Marta Mateus, que reflete sobre ruralidade e trabalho.


Ambos foram ainda exibidos em julho no Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, onde Marta Mateus recebeu o Grande Prémio da Competição Internacional.

Apoio a curtas-metragens: prazo para candidaturas ao Euro Connection estendido até 27 de outubro

1 Setembro 2017
Share on Facebook Share on Twitter

Todos os anos, o Festival de Cinema de Clermont Ferrand (França) – que acolhe o maior mercado mundial de curta-metragem – é o anfitrião do Euro Connection, um fórum de coprodução de curtas-metragens que culmina no pitching dos projetos selecionados. Esta plataforma tem como objetivo o desenvolvimento de parcerias entre produtores europeus, investidores, patrocinadores e televisões. O prazo para candidaturas à próxima edição, que terá lugar nos dias 6 e 7 de fevereiro de 2018, foi estendido até 27 de outubro.


Os projetos a concurso deverão cumprir os seguintes requisitos:

- curta-metragem de animação, ficção ou documentário;

- duração até 40 minutos;

- o projeto tem de ter assegurado um apoio ou parceria (embora não haja montante mínimo monetário ou em serviços);

- o produtor/realizador tem de querer estabelecer uma coprodução com um parceiro europeu;

- a produção/rodagem terá de começar a partir de maio de 2018.

 

Apenas podem concorrer os projetos de países associados ao Euro Connection: Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslovénia, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Malta, Polónia, Portugal, Reino Unido, República Checa, Roménia e Suécia.

 

Um júri europeu – que inclui, pelo menos, três profissionais de diferentes nacionalidades – elegerá 15 projetos entre os finalistas de cada país. Todos os finalistas serão informados acerca da lista dos projetos selecionados até 28 de novembro.

 

Os produtores deverão candidatar os seus projetos de curta-metragem até ao dia 27 de outubro, junto dos representantes do país a que pertencem. Em Portugal, os festivais associados ao Euro Connection são o Curtas Vila do Conde e o IndieLisboa. As candidaturas deverão ser enviadas para os seguintes e-mails: mdias@curtas.pt (Miguel Dias) e miguel.valverde@indielisboa.com (Miguel Valverde).

 

O regulamento completo e o formulário de candidatura estão disponíveis aqui.

Cada projeto selecionado deverá ser apresentado pelo seu produtor/realizador, que terá 10 minutos para fazer uma apresentação concisa, em inglês ou francês, numa das sessões de pitching que terão lugar nos dias 6 e 7 de fevereiro de 2018. Cada produtor poderá apresentar apenas um projeto.

 

Em 2017, o filme selecionado para representar Portugal no Euro Connection foi “O Ciclo”, do realizador Zepe (José Pedro Cavalheiro) e da produtora AIM Studios (na foto). 

Nova produção da Curtas Metragens CRL estreia no 14º IndieLisboa

5 Abril 2017
Share on Facebook Share on Twitter

A curta-metragem “Semente Exterminadora”, de Pedro Neves Marques, a mais recente produção da Curtas Metragens CRL, vai ser apresentada em estreia mundial na 14ª edição do IndieLisboa – Festival de Cinema Independente, que decorre entre 3 e 14 de maio.


A ficção de 26 minutos acompanha um trabalhador de uma plataforma petrolífera evacuado para o Rio de Janeiro após um derrame que contamina a costa brasileira.


Um derrame de petróleo contamina a costa brasileira. Capivara, trabalhador numa plataforma petrolífera, é evacuado para o Rio de Janeiro, onde a população permanece ignorante do desastre que se aproxima. Apesar do perigo, Capivara deseja apenas retornar aos campos de extração em alto mar. Na cidade, é ajudado por Ywy, uma mulher que o convence a viajar para a sua terra do Mato Grosso do Sul, na procura de emprego nas plantações de monocultura de soja e milho. Nas plantações, Ywy expressa a Capivara a sua intimidade com as plantações transgénicas. Ela fala-lhe da infertilidade daquelas sementes geneticamente manipuladas e de uma androide como ela. Capivara, humano, é incapaz de compreender.”

Artista, realizador e escritor, Pedro Neves Marques vive e trabalha entre Lisboa e Nova Iorque. É o editor da antologia "The Forest and the School: Where to Sit at the Dinner Table?" (Archive Books, 2014) sobre antropologia e Antropofagia no Brasil, e o autor dos livros de ficção "Morrer na América" (Abysmo Editora e Kunsthalle Lissabon, 2017) e "O Processo de Integração" (Atlas Projectos, 2012). Entre outros, expôs e apresentou os seus filmes e vídeos em instituições como Contour8 Biennial of Moving Image (Mechelen), Fundación Botín (Santander), Sursock Art Museum (Beirut), Kadist Art Foundation (Paris), e-flux (Nova Iorque), Sculpture Center (Nova Iorque), 12ª Bienal de Cuenca (Equador), Fundação EDP (Lisboa) ou Museu de Serralves (Porto), bem como DocLisboa Festival de Cinema e Indie Lisboa Festival Internacional de Cinema. Juntamente com a artista Mariana Silva é um dos fundadores de inhabitants, um canal de vídeo online para reportagens em formatos experimentais. 

 

“Laboratório Cinemático – Solar, 10 Anos” disponível em versão inglesa

20 Março 2017
Share on Facebook Share on Twitter

A versão, traduzida em inglês, do livro “Laboratório Cinemático – Solar, 10 Anos” já está à venda na Loja das Curtas (online e na Solar - Galeria de Arte Cinemática).

A obra, editada em 2015, conjuga e adota o caráter puramente experimental da galeria com a celebração de uma década de procura de novos territórios da arte cinemática. O livro reúne um conjunto de textos e entrevistas de e com alguns dos autores e artistas que contribuíram para história da Solar bem como um portefólio de exposições e intervenções que personificam o projeto enquanto laboratório da arte cinemática. Preço: 15,00 euros.

←prev 1  I  2  I  3  I  4  I  5  I  6  I  7  I  8  I  9  I  10  I  11  I  12  I  13  I  14  I  15  I  16 next→
ETIQUETAS