"Dia de Festa" em competição no New York Film Festival

23 Agosto 2019
Share on Facebook Share on Twitter

“Dia de Festa” curta-metragem da realizadora Sofia Bost, integrará a competição internacional dedicada às curtas-metragens do 57th New York Film Festival (NYFF), a realizar-se de 27 de setembro a 13 de outubro, revelou hoje o evento.

Produzida pela Uma Pedra no Sapato e com promoção internacional da Agência da Curta Metragem, "Dia de Festa" teve estreia internacional do festival Semana da Crítica do Festival de Cannes e estreia nacional no Curtas Vila do Conde. O filme acompanha o dia de Mena no aniversário da sua filha Clara, e conta com a participação das actrizes Rita Martins, Melissa Matos, Teresa Madruga, Sandra Celas, Mariana Silva, Sara Gonçalves e Fernanda Neves.

 

Os programadores da secção Shorts do NYFF descrevem o filme: "Uma mãe solteira, sem dinheiro, é colocada numa situação de conflito familiar não resolvido enquanto tenta organizar a festa do sétimo aniversário da filha. O drama de Sofia Bost, filmado em 16mm, apresenta-se repleto de performances luminosas e aborda o tema complexo da maternidade, bem como os lamentos inconsoláveis ​​herdados por cada geração".

“Sol Negro” no Festival de Cinema de Toronto

19 Agosto 2019
Share on Facebook Share on Twitter

Sol Negro” curta-metragem da realizadora franco-portuguesa Maureen Fazendeiro, terá a sua estreia internacional no Festival Internacional de Cinema de Toronto, que se realiza de 5 a 15 de setembro.

 

Produzido pela O Som e a Fúria (Portugal) e Norte Productions (França) e com promoção internacional da Agência da Curta Metragem, o filme põe em confronto um dia de eclipse solar em Lisboa e excertos de um poema de Henri Michaux, lido pela atriz francesa Delphine Seyrig.

“Sol Negro” integra a secção Wavelengths do Festival de Toronto, uma secção exclusiva para filmes de vanguarda que coloca em evidência a inovação formal e expressões originais cinematográficas, no contexto de um dos maiores e mais movimentados festivais de cinema do mundo. Os programadores definem o filme na página do festival: "Enfatizado pela recitação evocativa de um poema de Henri Michaux pela lenda do cinema francês Delphine Seyrig, o filme de Maureen Fazendeiro é um retrato misterioso e multi-texturizado de espectadores de um eclipse em Portugal". 

 

Maureen Fazendeiro releva: “Sol Negro é o meu primeiro filme feito por inteiro em Portugal, país para onde vim viver em 2014. Em março de 2015, reuni uma pequena equipa, pedi emprestada uma câmara e, utilizando sobras de película 16mm a preto e branco, filmei o eclipse total do sol, visível a 67% do observatório astronómico de Lisboa. Nesse dia recolhi uma série de retratos de espectadores maravilhados. Quando em 2019, graças a um apoio à pós-produção, pude retomar a montagem interrompida quase quatro anos antes, tratava-se de fazer a arqueologia de um filme a partir de fragmentos de imagens e sons colecionados ao longo do tempo. Lembrei-me de um poema de Henri Michaux que fala de um país imaginado onde só há um sol por mês, evento que desperta uma certa agitação nos seus habitantes.”
 
Depois de “Motu Maeva”, documentário galardoado no DocLisboa, “Sol Negro” é o segundo filme de Maureen Fazendeiro, que teve estreia mundial, em Julho último, na competição do Curtas Vila do Conde.

"Cães que Ladram aos Pássaros" em Veneza

25 Julho 2019
Share on Facebook Share on Twitter

"Cães que Ladram aos Pássaros" de Leonor Teles terá estreia mundial no Festival Internacional de Cinema de Veneza

 

"Cães que Ladram aos Pássaros" é a nova curta-metragem da realizadora portuguesa Leonor Teles, cuja estreia mundial vai acontecer no Festival Internacional de Cinema de Veneza, que se realiza de 28 de agosto a 7 de setembro.

O filme, que integra a secção competitiva Orizzonti Short Films Competition, acompanha os dias de verão de Vicente e da sua família, obrigados a sair da sua casa no centro do Porto, por força da especulação imobiliária.

Produzido pela Uma Pedra no Sapato e com promoção internacional da Agência da Curta Metragem, CÃES QUE LADRAM AOS PÁSSAROS, foi inteiramente rodado na cidade do Porto. "Toma uma cidade que não é a minha, um lugar que me é desconhecido e não me pertence. No entanto, não deixou de ser, por isso, menos pessoal que os filmes anteriores. A ligação que criei com a família que filmei mantém-se e parece ser essa a constante no meu trabalho: as pessoas e a minha relação com elas", afirma a realizadora.

Depois de “Balada de um Batráquio” (Urso de Ouro de Melhor Curta-Metragem na Berlinale 2016), esta é a segunda curta de Leonor Teles, realizadora que estreou no início deste ano, em circuito comercial, a longa Terra Franca (Prix International de la SCAM no Cinéma du Réel, Prix de La Ville d’Amiens at Festival d’Amiens e Mejor Opera Prima Internacional no Festival Mar del Plata).

Programa completo do 27º Curtas

19 Junho 2019
Share on Facebook Share on Twitter

Está fechada a programação para 27ª edição do Curtas. O festival regressará a Vila do Conde com uma selecção de mais de 250 filmes de produção recente que pretendem ser um espaço de descoberta, reencontro e divulgação para novos e consagrados autores.

 Em 2019, o cinema português volta a ocupar a sala e horário nobre do festival. Dezasseis filmes em estreia na competição nacional, cinco filmes que marcaram o panorama do último ano e dezasseis filmes de escola darão um olhar transversal e transgeracional para o cinema que se faz, actualmente, no país. Nas sessões não competitivas haverá ainda espaço para a antestreia dos primeiros episódios da série de Marco Leão e André Santos, Luz Vermelha; a estreia de Mutantes S. 21- 25 anos depois, documentário sobre os históricos Mão Morta, assim como sessões especiais com cinema de Manoel de Oliveira e João César Monteiro. 

Secção maior do festival, a Competição Nacional do Curtas resume a singularidade de uma nova geração de realizadores portugueses, dos nomes que têm sido reconhecidos nos festivais internacionais, Gabriel Abrantes, Diogo Costa Amarante, Diogo Baldaia ou Sofia Bost, até aos novos valores cujos filmes antecipam um futuro que queremos acompanhar, Maureen Fazendeiro, Alex SiqueiraLaura Carreira. E porque o festival se faz também de continuidade, regressam a Vila do Conde este ano: Mariana Gaivão, André Marques, Paulo Furtado e Pedro Neves. A selecção para a Competição Nacional completa-se com os mais recentes trabalhos de Rui Esperança, Vasco Saltão, Miguel Afonso, Francisco Valente e Márcio Laranjeira & Sérgio Brás d'Almeida. Estas sessões vão ser seguidas de uma conversa com os realizadores.

E porque olhar o agora do cinema nacional é também perceber em retrospectiva, passam pelo Curtas uma selecção de filmes que, pela história, prémios ou percurso internacional se destacaram na produção recente do país. Em Julho, vai ser possível ver, em Vila do Conde, as obras mais recentes de Susana de Sousa Dias (Fordlândia Malaise, estreado na Berlinale), Jorge Jácome (Past Perfect, estreado na Berlinale e premiado no IndieLisboa e no Festival de Curtas Metragens de Hamburgo), Catarina Mourão (O mar Enrola na Areia, selecionado para o Visions du Réel, É tudo verdade e Oberhausen), Sílvia das Fadas (A Casa, a Verdadeira e a Seguinte, Ainda Está por Fazer, premiado no IndieLisboa) e Helena Estrela (Bela Mandil, selecionado para a Viennale).

O cinema português vai marcar ainda as sessões especiais e diferentes segmentos programáticos do festival. Já anunciados estavam o foco na obra de Carlos Conceição, as sessões especiais dedicadas ao 50º aniversário da morte de José Régio e o centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen. A marcar o primeiro fim-de-semana do Curtas, a estreia do documentário que assinala o quarto de século de Mutantes S. 21- 25 anos depois, um dos mais emblemáticos discos dos Mão Morta. A sessão será acompanhada por uma conversa com a banda moderada por Valter Hugo Mãe. Na secção Da Curta à Longa, antestreia dos dois primeiros episódios da primeira série da dupla Marco Leão e André SantosLuz Vermelha, inspirada na história das Mães de Bragança e com interpretações, entre outros, de Margarida Vila-Nova, Afonso Pimentel, Joaquim Monchique e Sara Norte. 

A selecção nacional do Curtas inclui ainda um espaço dedicado ao cinema de escola, Take One!, com uma selecção heterogénea de obras produzidas por alunos portugueses em escolas nacionais e estrangeiras; uma carta branca a João Nicolau inserida nas celebração do seu 20º aniversário da Agência da Curta Metragem; e um espaço dedicado a vídeos de música que demonstram particular relação com a linguagem cinematográfica. Nesta edição, entre outros, concorrem os vídeos musicais de Bruno Ferreira (para Everybody, de Sinkane), de Pedro Maia (para Paplu (Love That Moves The Sun), de Vessel), do trio André Carrilho + Rui Clara Gomes + Mantraste (para Balança, de Throes + The Shine), de Diogo Tudela (para Swisid Mekanize Rejiman, de HHY & The Macumbas) e de Leonor Teles (para Chavitas, dos Sensible Soccers).

O 27º Curtas, que regressa entre 6 e 14 de Julho, integrará ainda uma competição internacional com obras vindas de diferentes hemisférios, uma competição experimental e uma secção infanto-juvenil com cinema e oficinas pensadas para crianças, jovens e famílias. Em foco estarão também as obras de Todd Solondz e Carlos Conceição, assim como o cinema restaurado, naquela que é a nova secção de Cinema Revisitado. Em Vila do Conde será ainda possível ver os filmes-concerto de Thurston Moore, The Heliocentrics e Montanhas Azuis.
A programação completa de sessões, festas e actividades paralelas pode ser consultada no site do evento.

SELECÇÃO COMPETIÇÃO NACIONAL

18, Rui Esperança, Portugal, 2019, DOC, 25'
A Fábrica, Pedro Neves, Portugal, 2019, DOC, 29'
Amor Quântico, Paulo Furtado, Portugal, 2019, FIC, 11'
Ave Rara,Vasco Saltão, Portugal, 2019, FIC, 34'
Cenas de Uma Vida Amorosa, Miguel Afonso, Portugal, 2019, FIC, 13'
Colmeal, Márcio Laranjeira & Sérgio Brás d'Almeida, Portugal, 2019, FIC, 15'
Destiny Deluxe, Diogo Baldaia, Portugal, 2019, FIC, 30'
Dia de Festa, Sofia Bost, Portugal, 2019, FIC, 17'
Les Extraordinaires Mésaventures De La Jeune Fille De Pierre, Gabriel Abrantes, Portugal, 2019, FIC, 20'
Lisboa, 2018, Francisco Valente, Portugal, 2019, FIC, 20'
Não Procures Mais Além, André Marques, Portugal, France, Haiti, 2019, FIC, 25'
O Verde do Jardim, Diogo Costa Amarante, Portugal, 2019, FIC, 27'
Purpleboy, Alex Siqueira, Portugal, França, 2019, ANI, 14'
Red Hill, Laura Carreira, Reino Unido, 2018, FIC, 13'
Ruby, Mariana Gaivão, Portugal, 2019, FIC, 25'
Sol Negro, Maureen Fazendeiro, Portugal, 2019, EXP, 6'

SELECÇÃO PANORAMA PORTUGUÊS

A Casa, a Verdadeira e a Seguinte, Ainda Está por Fazer, Sílvia das Fadas, Portugal/EUA/Áustria, 2018, DOC/EXP, 35'
Bela Mandil, Helena Estrela, Portugal, 2018, FIC, 18'
Fordlândia Malaise, Susana de Sousa Dias, Portugal, 2019, DOC, 40'
O Mar Enrola na Areia, Catarina Mourão, Portugal, 2019, DOC/FIC, 16'
Past Perfect, Jorge Jácome, Portugal, 2019, DOC/FIC/EXP, 23'
SELECÇÃO TAKE ONE! 
A Morte De Léaud, Ricardo Pinto de Magalhães, Portugal, 2019, DOC, 6'
Auspício, Vasco Trabulo Bauerle, Portugal, FIC, 10'
Berço, Inês Luís, Portugal, 2019, FIC, 22'
Corporealitis, Beatriz Bagulho, Reino Unido/Portugal, 2018, ANI, 4'
Direito à Memória, Rúben Sevivas, Portugal, 2019, DOC, 9'
Em Caso de Fogo, Tomás Paula Marques, Portugal, 2019, FIC, 23'
Em Junho, Henrique Brazão, Portugal, 2019 , FIC, 16'
Estas Mãos São Minhas, André Miguel Ferreira, Portugal, 2019, DOC, 9'
Há Alguém na Terra, Francisca Magalhães, Joana Tato Borges & Maria Canela, Portugal, 2019, FIC, 17'
Inside Me, Maria Trigo Teixeira, Alemanha, 2019, ANI/DOC, 5' 
Irene, João Martinho, Portugal, 2018, FIC, 15'
José, João Monteiro, Portugal, 2019, FIC, 14'
Notes on Living, Inês Pedrosa e Melo, USA, 2018, DOC, 5'
Os Monstros só Saem à Noite, João Pedro Ferreira, Portugal, FIC, 14'
The Hood, Patricia Vidal Delgado, EUA/Portugal, 2018, FIC, 10'
Verniz Glaze, Clara Jost, Portugal, 2018, FIC, 14'

 

Consulte o nosso jornal:
Download

←prev 1  I  2  I  3  I  4  I  5  I  6  I  7  I  8  I  9  I  10  I  11  I  12  I  13  I  14  I  15  I  16  I  17  I  18 next→
ETIQUETAS