Tindersticks no Curtas Vila do Conde: Concerto Extra

6 Junho 2016
Share on Facebook Share on Twitter

Devido à elevada procura de bilhetes, os Tindersticks vão apresentar um concerto extra no Curtas Vila do Conde marcado para 13 de julho, às 20:00. Os bilhetes para ambos os concertos estão à venda na rede da Bilheteira Online e no Teatro Municipal de Vila do Conde a partir de 20 euros. Os portadores de free-pass do festival podem usufruir de um desconto de 50% na compra de um bilhete para este espetáculo. 

TINDERSTICKS, 13 julho, 22:30 
- Concerto extra: 13 julho, 20:00

A 13 de julho, os ingleses Tindersticks vão apresentar, ao vivo, no 24º Curtas Vila do Conde, o novo álbum “The Waiting Room”, num filme-concerto acompanhado por um leque de curtas-metragens que ilustram visualmente as 11 faixas do álbum. Na segunda parte do espetáculo, a banda vai, ainda, revisitar alguns dos temas que marcam os 25 anos de carreira dos Tindersticks.

 

Editado em janeiro de 2016, “The Waiting Room” é o décimo álbum de estúdio dos Tindersticks e conta com as participações especiais de Jehnny Beth, vocalista das Savages; um dueto virtual com Lhasa De Sela, cantora falecida em 2010; e arranjos de Julian Siegel.

 

"The Waiting Room” surge acompanhado de um ambicioso projeto audiovisual que explora a relação dos Tindersticks com o cinema: vários realizadores foram convidados a realizar curtas-metragens que ilustram visualmente cada uma das 11 faixas do álbum. Estas interpretações ficaram a cargo de cineastas de renome como Christoph Girardet , Joe King e Rosie Pedlow – que já passaram, inclusivamente, pelo Curtas Vila do Conde – Pierre Vinour, Claire Denis, Gregorio Graziosi, Richard Dumas e o brasileiro Gabriel Sanna, entre outros. Alguns dos vídeos são assinados pelo próprio Stuart A. Staples, vocalista da banda.

 

O projeto, produzido pela Blogotheque e pela editora discográfica Lucky Dog, é o resultado de uma parceria com o Festival Internacional de Curtas Metragens de Clermont-Ferrand, onde o espetáculo foi apresentado pela primeira vez.


Este filme-concerto está integrado na secção STEREO do Curtas Vila do Conde, com o apoio da FNAC, que contará também com espetáculos de Jay-Jay Johanson; The Legendary Tigerman e The Greg Foat Group, entre outros.

Tindersticks, Jay-Jay Johanson, The Legendary Tigerman e The Greg Foat Group no Curtas Vila do Conde

25 Maio 2016
Share on Facebook Share on Twitter

Os ingleses Tindersticks vão apresentar, ao vivo no Curtas Vila do Conde, o novo álbum visual “The Waiting Room”. A secção Stereo do festival vai contar também com filmes-concerto de Jay-Jay Johanson, The Legendary Tigerman e The Greg Foat Group.

Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema regressa para a sua 24ª edição entre 9 e 17 de julho. À imagem dos anos anteriores, a programação arrojada do festival volta a dar destaque à intersecção entre o cinema e a música através da secção Stereo, onde as imagens em movimento são reinterpretadas por músicos e bandas em espetáculos ao vivo.

 


A 13 de julho, os ingleses Tindersticks apresentam, ao vivo no festival, “The Waiting Room”, num filme-concerto acompanhado por várias curtas-metragens que ilustram as faixas do novo álbum. Na segunda parte do espetáculo, a banda vai ainda revisitar alguns dos temas que marcaram os 25 anos de carreira dos Tindersticks. É uma estreia absoluta em Portugal.


Editado no início do ano, “The Waiting Room” é o décimo álbum de estúdio dos Tindersticks e conta com as participações especiais de Jehnny Beth, vocalista das Savages; um dueto virtual com Lhasa De Sela, cantora falecida em 2010; e arranjos de Julian Siegel. Este novo trabalho surge acompanhado de um ambicioso projeto audiovisual que explora a relação dos Tindersticks com o cinema: vários realizadores foram convidados a criar curtas-metragens que ilustram visualmente cada uma das 11 faixas do álbum. Estas interpretações ficaram a cargo de cineastas como Christoph Girardet, Joe King e Rosie Pedlow – que já passaram, inclusivamente, pelo Curtas Vila do Conde – Pierre Vinour, Claire Denis, Gregorio Graziosi, Richard Dumas e o brasileiro Gabriel Sanna, entre outros. Alguns dos vídeos são assinados pelo próprio Stuart A. Staples, vocalista da banda.


O projeto, produzido pela Blogotheque e pela editora discográfica Lucky Dog, é o resultado de uma parceria com o Festival Internacional de Curtas Metragens de Clermont-Ferrand, onde o espetáculo foi apresentado pela primeira vez.


A 16 de julho, o cantor e compositor de voz melancólica, Jay-Jay Johanson apresenta em Vila do Conde o seu mais recente álbum “Opium”, num espetáculo audiovisual onde os temas são acompanhados por imagens em movimento.


Assumidamente mais pop e rock, o décimo álbum de originais de Jay-Jay Johanson mantém toda a essência da sua música: uma facilidade inata para as melodias e uma voz e ritmos que elevam as suas canções do subtil ao sublime, numa abordagem intimista às questões que o atormentam.


Presença habitual no Curtas Vila do Conde, The Legendary Tigerman regressa ao festival a 15 de julho com “How To Become Nothing”, o projeto que juntou o músico, a fotógrafa Rita Lino e o realizador Pedro Maia numa road trip pelo deserto da Califórnia. O resultado, em estreia absoluta no Curtas Vila do Conde, é um road movie, em formato de filme-concerto, com banda sonora ao vivo de The Legendary Tigerman e imagens manipuladas em tempo real por Pedro Maia. “How To Become Nothing” é um falso diário, com registos em fotografia, Super 8mm e textos de Paulo Furtado, fruto de três visões sobre a viagem de um homem que, mais do que desaparecer, procura chegar a nada, ser nada.


Pela primeira vez em Portugal, The Greg Foat Group, o quinteto de jazz liderado pelo talentoso músico Greg Foat, sobe ao palco do festival a 14 de julho para apresentar um projeto em estreia absoluta. “Visual Music” é uma banda sonora original para clássicos do cinema experimental dos anos 20 realizados por Hans Richter, Marcel Duchamp, Ralph Steiner e Walter Ruttmann.


Com vários trabalhos editados pela Jazzman Records, The Greg Foat Group são aclamados pela crítica internacional desde a sua estreia. A sonoridade incomparável do grupo caracteriza-se pela atmosfera de experimentação, recorrendo a instrumentos como o cravo, o sintetizador, sinos tubulares e um coro que acompanha os registos, numa mistura de estilos e correntes musicais que primam pelo ambiente cinematográfico e o jazz psicadélico.



Os bilhetes para os filmes-concerto do Curtas Vila do Conde estão à venda na Bilheteira do Teatro Municipal de Vila do Conde e na rede da Bilheteira Online. Para o filme-concerto dos Tindersticks, os bilhetes custam 22 euros, com desconto de 50% para titulares do Free-Pass do Festival. Para os restantes espetáculos, os bilhetes variam entre os 7 e os 15 euros, com entrada gratuita com Free-Pass.


O Free-Pass para o 24º Curtas Vila do Conde, à venda no site do festival, pode ser adquirido até 31 de maio ao preço promocional de 35 euros. Depois dessa data, passa a custar 40 euros, aumentando para 50 euros a partir de 1 de julho. Este passe geral garante o acesso a todas as sessões de cinema, filmes-concerto (à exceção de Tindersticks), festas, Mercado da Curta Metragem e a um catálogo do festival.


Na sua 24ª edição, o Curtas Vila do Conde continuará a apresentar, no Teatro Municipal, o melhor do cinema contemporâneo através de uma vasta seleção de filmes inovadores para um público cada vez mais interessado e que vive a semana do festival de forma intensa.


O Curtas Vila do Conde tem o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Ministério da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual e de vários parceiros imprescindíveis à realização do festival. A secção Stereo conta com o patrocínio exclusivo da FNAC.

Evols em concerto na Solar no sábado

21 Setembro 2015
Share on Facebook Share on Twitter

O ciclo de concertos do 10º aniversário da Solar - Galeria de Arte Cinemática, em Vila do Conde, continua com os Evols no sábado, 17 de outubro, às 18:30.


Influenciados pelas raízes do rock e do blues e pela cultura psicadélica que se reinventa há mais de 50 anos, os Evols caracterizam-se pela música intemporal, longe dos holofotes, mas perto das pessoas. Na Solar – Galeria de Arte Cinemática, a banda apresenta, ao vivo, o mais recente álbum “II”, que chega às lojas neste outono depois de dois anos e meio de gravações.

Gravado e misturado nos estúdios Sá da Bandeira entre 2013 e 2014, o segundo álbum dos Evols marca uma evolução no som da banda, ainda fortemente marcado pelo som das guitarras mas com o contributo de dois novos membros: Jorge Queijo (bateria) e João Santos (baixo) que se juntam, assim, ao trio inicial composto por França Gomes, Carlos Lobo e Vítor Santos.

“II” chega às lojas a 25 de setembro, numa edição Wasser Bassin em parceria com a cadeia de lojas Fnac. Deste novo trabalho já podem ser ouvidos os singles “Shelter” e “Kindness and Talk”.

Este é mais um espetáculo do ciclo de concertos dos 10 anos da Solar - Galeria de Arte Cinemática, apoiado pela Fnac, por onde já passaram também The Legendary Tigerman, Benjamim, Manuela Azevedo e Hélder Gonçalves (Clã), Plaza, entre outros.

Os bilhetes custam 2 euros para maiores de 14 anos e podem ser adquiridos na Loja das Curtas, situada na Solar. 

Filme-concerto de You Can't Win, Charlie Brown em Braga

16 Setembro 2015
Share on Facebook Share on Twitter

Depois de terem aceite o desafio do Curtas Vila do Conde para trabalharem sobre “Maudite Soit la Guerre”, o filme realizado por Alfred Machin para a Pathé nas vésperas do início da II Guerra Mundial, que conta a história de dois amigos em lados opostos do conflito, os You Can't Win Charlie Brown apresentam o mesmo espetáculo a 14 de novembro, no GNRation, em Braga, às 22:30.

Os bilhetes, à venda na bilheteira online, custam 7 euros.

Em 1914, sob a direção de Alfred Machin, foi produzido o filme Maudite Soit la Guerre, uma criação belga que refletia sobre os horrores da guerra, projetando no futuro muitas das tragédias que a história viria depois a confirmar. Para lá da mensagem distintiva do filme, existe o próprio objeto artístico, ambicioso para a época: filme colorido à mão e por isso com uma dimensão plástica invulgar que lhe confere uma estranha beleza pictórica. É esse o filme que os portugueses You Can’t Win, Charlie Brown irão “ilustrar” musicalmente num filme concerto de recorte muito especial.

A relação entre o som e as imagens é antiga e no caso do cinema poderá dizer-se mesmo primordial. Antes das palavras – das falas e dos diálogos -, já a música servia o propósito de sublinhar as histórias que se soltavam do grande ecrã. A música para cinema tornou-se entretanto uma entidade própria, gerando escolas e uma linguagem muito particular que muito tem influenciado as esferas mais aventureiras da pop. E os autores de Chromatic (2011) ou Diffraction / Refraction (2014) não são imunes a esse longo diálogo. Aliás, ambos os títulos das suas coleções de canções remetem para uma óbvia dimensão visual, pelo que este projeto de traduzir musicalmente um filme clássico como Maudite Soit la Guerre é absolutamente justificado.

Os You Can’t Win, Charlie Brown nasceram em Lisboa em 2009 e contam no seu seio com seis músicos: Luís Costa, Salvador Menezes, Afonso Cabral, David Santos, Tomás Sousa e João Gil. Pela sua música cruzam-se ecos de folk, estratégias da eletrónica, inspirações kraut e outras derivas que ao longo das décadas foram informando os rumos mais interessantes da pop. São um grupo inteligente, que conquista espaço não apenas em listas de Melhores do Ano, mas nas memórias de quem valoriza a música e se sente por ela desafiado. São o casting certo para este filme e prometem uma viagem que embrulhará sentidos e imaginação num novelo de novas e fortes emoções. Sem pipocas.
por Rui Miguel Abreu (Blitz, Antena 3, Rimas&Batidas) 

Informações:
http://www.gnration.pt/

1  I  2  I  3  I  4 next→
ETIQUETAS