[C] Competição Internacional Nacional Experimental Vídeos Musicais Curtinhas
  • Internacional
    No Curtas Vila do Conde, procuramos sempre o cinema do futuro, aquele que propõe olhares diferentes sobre o mundo. A competição internacional é a montra de luxo desse cinema, através de uma seleção das melhores curtas-metragens produzidas no último ano, de grande diversidade temática e geográfica. Estes 38 filmes, nos géneros de ficção, documentário e animação, discutem as grandes questões da humanidade: desde as mais pequenas crises familiares até às grandes questões do tempo contemporâneo. São também evidência dos diversos dispositivos formais que o cinema tem para oferecer. Entre os filmes selecionados, estão autores que regressam ao festival (e alguns deles premiados), como Jennifer Reeder, Theodore Ushev, Bertrand Mandico, Deborah Stratman, Salla Tykkä, Ben Rivers e Dustin Guy Defa. Destaque também para a presença de autores emergentes, como Nadav Lapid e Konstantina Kotzamani. A competição internacional é alma do festival, onde o sublime e o encanto se encontram.
  • Nacional
    A singularidade do cinema português tem sido afirmada em vários fóruns internacionais. A delicadeza artesanal dos filmes feitos em Portugal torna-os numa espécie de “objetos fílmicos não identificados”. Na seleção da competição nacional do Curtas, mostramos uma amostra dessa singularidade, através de filmes que continuamente desafiam as fronteiras entre géneros e temas. Este conjunto de curtas-metragens mostra como tanto privilegiamos autores consagrados como cineastas estreantes. E os 16 filmes que aqui exibimos são a prova que o cinema português se renova de forma constante. Entre os filmes selecionados, estão realizadores com historial em Vila do Conde, como João Canijo, Leonor Noivo, Gabriel Abrantes, André Santos e Marco Leão, ou Paulo D’Alva. Durante as cinco sessões da competição nacional, o cinema português projeta-se como um cinema de surpreendente diversidade e com uma assinalável renovação geracional.
  • Experimental
    Desde as vanguardas históricas da década de 20 do século passado, um conjunto de artistas utilizou o cinema como estratégia de experimentação (algumas das obras destes autores serão mesmo mostrados nesta edição no filme-concerto dos The Greg Foat Group). Desde então, a categoria cinema experimental apareceu como um lugar de liberdade, sobretudo quebrando as regras rígidas do cinema narrativo. A partir de material de arquivo ou manipulando a própria película, este género convoca uma certa pureza das imagens em movimento, um estado sensorial em que o cinema se embate com os seus próprios fantasmas (a degradação física da película; o carácter transitório da imagem fotográfica; etc.). Nos vinte filmes que compõe a seleção deste ano, encontram-se exemplos das diversas técnicas que o cinema experimental tem usado ao longo das décadas. Regressam, em 2016, ao festival, autores paradigmáticos do género como: Mike Hoolboom, Daïchi Saïto, Christoph Girardet, Matthias Müller, Siegfried A.Fruhauf ou Jay Rosenblatt. Como em edições anteriores, é aqui que o cinema se interroga a si mesmo.
  • Vídeos Musicais
    Depois de Bruce Conner e da MTV, um novo género se inventou: o vídeo musical. Baseado numa ideia de movimento e de emoção, o vídeo musical não é apenas um veículo para promover uma música ou um artista (pelo menos, nos melhores exemplos do género). É isso que procura esta competição, selecionando filmes que tenham uma assinalável densidade cinematográfica, quer seja pelas suas experimentações técnicas, quer seja pela construção de imagens sensoriais. Como nos últimos anos, a seleção inclui apenas vídeos musicais portugueses. Entre os 13 filmes escolhidos, encontram-se bandas e músicos como: The Legendary Tigerman, Sensible Soccers, Evols, peixe:avião, Carlão e Os Azeitonas; e realizadores que repetem a sua presença em Vila do Conde: Miguel De, Vhils e Vasco Mendes. Numa única sessão, o Curtas celebra a música e o cinema!
  • Curtinhas
    Procurando formar os públicos do futuro, o Curtinhas é um espaço inteiramente dedicado a crianças e jovens. É uma espécie de mini-festival dentro do Curtas Vila do Conde, composto por sessões de cinema, uma competição de filmes (em que o júri é também composto por crianças), um Espaço Infantil e oficinas práticas de cinema. A abertura do Curtinhas será feita com a projeção de “À Procura de Dory”, mais uma aventura subaquática dos peixes favoritos da Disney. Estão todos convidados: pais e crianças!