• CORPO E MEIO Sandro Aguilar
8 JUL, 21:45, TEATRO MUNICIPAL SALA 2
  • CORPO E MEIO

    Sandro Aguilar
  • BICICLETA

    Luís Vieira Campos
CORPO E MEIO CORPO E MEIO
Sandro Aguilar, 2001
Portugal, FIC, 00:25:00,
Um homem trabalha num prédio esventrado, em construção. O seu labor produz faíscas, imensas, numa multiplicação de raios amarelos, fascinantes. Ao longe, o dia cai, num lusco-fusco melancólico, marcado pelas luzes desfocadas dos carros que se encaminham para casa. O homem trabalha, mas a sua condição é de profunda solidão. Os passos matinais e o descanso noturno revelam um cansaço denso. Pressente-se, nos pequenos gestos, a falta. Alguém despareceu, não voltará. Uma fotografia queimada, roupas que aparecem, apenas nos deixam sentir essa tristeza da existência. Em fundo, vemos o Porto, talvez como nunca o tenhamos visto antes, envolto numa névoa cinzenta e em tabernas anacrónicas, onde o sol parece nunca ter entrado. Feito a partir de uma encomenda do Porto 2001 – Capital Europeia da Cultura, "Corpo e Meio" é a primeira obra-prima de Sandro Aguilar (antecedida de outras promissoras curtas), realizada num estilo austero, que tanto devia aos mestres russos, e de que depois o cineasta se afastaria. Seria também o natural vencedor da Competição Nacional do Curtas Vila do Conde em 2001, e um dos standards da Geração Curtas que então despontava. Como Aguilar explicou exemplarmente, em "Corpo e Meio" "não interessa contar a história, interessa adivinhá-la através do percurso, através dos objetos, através da forma fantasmática: quase como um fantasma que está visualmente ausente da história, que está presente em cada um dos planos. Como se fosse dele o olhar". (Daniel Ribas)
PRODUÇÃO O Som e a Fúria; Sociedade Porto 2001 CONTACTO DE CÓPIA Liliana Costa - AGENCIA - Portuguese Short Film Agency; +351252646683, liliana@curtas.pt, www.curtas.pt/agencia ARGUMENTO Sandro Aguilar FOTOGRAFIA Paulo Ares EDIÇÃO Sandro Aguilar SOM Luis Botelho ACTORES Américo Castanheira, Maria João Teixeira