• SEREIAS
9 JUL, 23:30, AUDITÓRIO MUNICIPAL
  • SEREIAS

SEREIAS
Descrevem-se a eles próprios como um "encontro do cinético com a paisagem morta numa selvajaria de jazz-punk-pós-aquático". Por estranho que pareça, a descrição até se ajusta a este coletivo do Porto e à sua anárquica e surreal amálgama sonora de punk, free-jazz e electrónica que serve na perfeição como veículo à poesia de António Pedro Ribeiro. Ao vivo, o resultado não deixa ninguém indiferente. O concerto no Curtas promete um ambiente imersivo "nas águas turvas do junk-zapping pré-pixelástico de Francisco Laranjeira", como o próprio descreve a sua manipulação de imagens de arquivo de filmes super 8, fitas VHS, ruído analógico, vídeo-feedback e glitch. Serão usadas imagens dos filmes "Porto Abril 1975", "O 11 de Março de 1975" e "O 25 de Novembro Depois..." de José Alves de Sousa, realizados nas ruas do Porto durante os conturbados anos do PREC (Processo Revolucionário Em Curso). (MD)