• O OFÍCIO DA ILUSÃO Cláudia Varejão
5 OUT, 19:45, Teatro Municipal Sala Um
6 OUT, 22:00, Cinema Trindade (Porto)
7 OUT, 21:30, Auditório IPDJ (Faro)
8 OUT, 22:00, Cinema Ideal (Lisboa)
  • O OFÍCIO DA ILUSÃO

    Cláudia Varejão
  • UM FIO DE BABA ESCARLATE

    Carlos Conceição
  • ELO

    Alexandra Ramires
O OFÍCIO DA ILUSÃO O OFÍCIO DA ILUSÃO
Cláudia Varejão, 2020
Portugal, DOC, 00:06:03
A partir de imagens de um arquivo da família Resende (décadas de 70 e 80), de pequenos excertos sonoros de outros filmes, nomeadamente “Vale Abraão” (1993, de Manoel de Oliveira, por sua vez adaptado do romance homónimo de Agustina Bessa-Luís), “O ofício da ilusão” constrói uma narrativa sublime e cuidada, muito atenta aos gestos e pormenores, mas também muito irónica e subversiva. Madame Bovary, a heroína de Flaubert apropriada por Agustina, é o mote para uma reflexão sobre a identidade de género e valores sociais, exercício de desmontagem do papel tradicional da mulher na sociedade patriarcal dominante, questionando a moral conservadora que impõe uma norma social repressiva. Cláudia Varejão está de regresso ao Curtas, onde já apresentou, também nesta competição, a “trilogia da família” (“Fim-de-semana”, 2007; “Um Dia Frio”, 2009; “Luz da Manhã”, 2011). (PC)
PRODUÇÃO Câmara Municipal do Porto; Figura Nacional CONTACTO DE CÓPIA Cláudia Varejão, claudiavarejao@gmail.com ARGUMENTO Cláudia Varejão EDIÇÃO Cláudia Varejão SOM Cláudia Varejão, Hugo Leitão MÚSICA Pierre Etcheverry