Ver Filmes Online

Solar inaugura nova exposição

24 Setembro 2015
Share on Facebook Share on Twitter

A Solar - Galeria de Arte Cinemática inaugura no sábado, 3 de outubro, às 18:30, a exposição coletiva "Everything Seems Fine From Up Here" em parceria com a produtora Bando À Parte. A abertura da exposição contará com performances de Tânia Dinis (19:00) e Jorge Quintela (19:15).


"Everything Seems Fine From Up Here" explora o cruzamento entre o som e a imagem em movimento  partindo de registos feitos em super8 e 16mm  para apresentar uma parafernália de elementos que invadem o espaço da Solar - Galeria de Arte Cinemática.

A exposição reúne um conjunto de artistas, realizadores e músicos cuja atividade possibilita o desenvolvimento de projetos que articulam o cinema e outras áreas da criação artistica  como a música e a performance  que os autores envolvidos se propõem também apresentar  em diferentes momentos  no período da exposição: Paulo Abreu, Susana Abreu, Rodrigo Areias, Marcos Barbosa, Pedro Bastos, Daniel Blaufuks, Tânia Dinis, Paulo Furtado, Edgar Pêra e Jorge Quintela.

Partindo de elementos provenientes de algumas das suas obras anteriores  como instalações  filmes ou peças sonoras  estas obras serão recriadas  resultando em alguns trabalhos originais. A exposição reflete o trabalho em parceria que alguns destes artistas têm desenvolvido ao longo dos últimos anos na área do cinema e da música. A sua apresentação na Solar permite a criação de novos diálogos entre estas obras  e novas leituras resultantes de uma articulação com o espaço da galeria.

"Everything Seems Fine From Up Here" ficará patente na Solar até 29 de novembro, onde poderá ser visitada, gratuitamente, de segunda a domingo entre as 14:00 e as 18:00. 

 

Exposição dedicada a Manoel de Oliveira

23 Julho 2015
Share on Facebook Share on Twitter

Em homenagem a Manoel de Oliveira, o 23º Curtas Vila do Conde promove uma exposição fotográfica que documenta o importante papel que o cineasta manteve para o festival. Presença assídua ao longos dos anos, Oliveira era o padrinho do Curtas desde a sua primeira edição. Desde então, o mestre esteve connosco muitas vezes para apresentar os seus filmes ou para participar em debates.

Devido à sua curiosidade cinéfila, Manoel de Oliveira veio ao festival em 1997, quando se realizou uma retrospetiva dedicada a Alexander Sokurov, com uma vontade voraz de conhecer a obra do autor russo. Nesse ano, os dois cineastas tiveram uma longa conversa, sobre cinema, arte e religião, que ficou registada em vídeo e cuja síntese será também exibida em contínuo. Esta exposição é também dedicada ao Padre João Marques, recentemente falecido, e que foi um companheiro fiel de Oliveira nas suas visitas a Vila do Conde.

Esta exposição, de entrada livre, ficará patente no Teatro Municipal de Vila do Conde até dezembro. 

 

Abertura da Exposição RUINS / RITES / RUNES de Ben Rivers e Ben Russell

16 Junho 2015
Share on Facebook Share on Twitter

A Solar – Galeria de Arte Cinemática apresenta a exposição “Ruins / Rites / Runes”, de Ben Rivers e Ben Russell, que contará com um programa paralelo e a presença dos cineastas no 23º Curtas Vila do Conde. A exposição inaugura no próximo sábado, 20 de junho, às 18:30, com uma performance de Jonathan Saldanha às 19:00. 

A Solar – Galeria de Arte Cinemática, em Vila do Conde, volta a colocar o cinema em contexto de galeria através da exposição “Ruins / Rites / Runes”, dos cineastas Ben Rivers e Ben Russell. Esta exposição explora a relação criativa entre os dois artistas, que têm alcançado um lugar de destaque no cinema experimental. 

 Em “Ruins / Rites / Runes”, Ben Rivers e Ben Russell apresentam dois projetos individuais, “Ah, Liberty” (Ben Rivers) e “River Rites” (Ben Russell), e dois trabalhos colaborativos, que documentam as preocupações que ambos têm revelado nos seus filmes: “A Spell to Ward Off The Darkness” e “Call no Man Happy Until He is Dead”. 
 
Após a abertura da exposição, a 20 de junho, às 18:30, será apresentada, no pátio da Solar – Galeria de Arte Cinemática, às 19:00, uma performance do artista Jonathan Saldanha em parceria com o Circular – Festival de Artes Performativas. 

Jonathan Uliel Saldanha é construtor sonoro e cénico, que aborda no seu trabalho a pré-linguagem, os ritmos circulares, o animismo e as relações do som com os seus espectros. Tem vindo a desenvolver um trabalho sonoro que parte de reminiscências da música cerimonial, da dimensão bruta do som e da voz organizados por sistemas auto-generativos e da vibração das cavidades do corpo e seu gesto intuitivo.

Esta performance está integrada no ciclo de concertos do 10º aniversário da galeria, apoiado pela FNAC. 

“Ruins / Rites / Runes” será complementada com duas sessões no 23º Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, onde os artistas mostrarão o seu trabalho e discutirão as suas mútuas influências. Russell e Rivers têm realizado diversas curtas e longas, tanto individualmente como em conjunto. O seu foco de investigação, dentro do cinema experimental, atravessa a linha divisória entre documentário e ficção.

Inauguração de Exposição e Performance no Centro de Memória de Vila do Conde

8 Maio 2015
Share on Facebook Share on Twitter

Sábado, 16 de maio

21:30 – Inauguração da Exposição UNDERSTATEMENT(CAVE)

22:00 – Performance de Julio D’Escriván (CAMPUS)

 

Entrada livre
 

No próximo sábado, 16 de maio, às 21:30, inaugura no Centro de Memória de Vila do Conde a exposição UNDERSTATEMENT, com trabalhos de 14 alunos finalistas da Licenciatura em Artes Plásticas/Multimédia da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP).

 

Esta exposição, patente até 12 de julho, é apresentada pela Solar – Galeria de Arte Cinemática no âmbito do projeto CAVE, dedicado a artistas emergentes, e propõe, através das 15 obras apresentadas, uma reflexão sobre a percepção. 

 

“Há alturas em que nos fazem crer que aquilo que dizemos parece pouco, ou menos do que seria esperado. No entanto, dizemo-lo porque tem de ser dito de qualquer modo, porque temos uma urgência em dizê-lo. Podemos fazê-lo baixinho mas não deixamos de o dizer. E então, aquilo que dizemos transforma- se numa espécie de subtexto, transforma-se em qualquer coisa que ganha uma força imparável. Quer isto dizer que uma coisa que se diz como se não se pudesse dizê-lo se transforma, em potência, numa outra coisa. Se o que eu disse não é o que eu disse, é outra coisa portanto. E, nas nossas mãos, as coisas que não são o que são, ou que não são o que parecem, podem ter a força de se transformar e de transformar o mundo. Nunca devemos subestimar uma coisa que não parece ser  o que devia, nunca devemos subestimar uma coisa dita em surdina, no escuro…” reflete o professor Miguel Leal numa introdução a UNDERSTATEMENT.

 

Depois da abertura da exposição, será apresentada no jardim do Centro de Memória, às 22:00, uma performance preparada durante um workshop CAMPUS orientado por Julio D’Escriván, professor de música para a imagem em movimento na Universidade de Huddersfield (Inglaterra) e compositor, performer e vídeo-artista.

 

Durante os cinco dias de workshop, D’Escriván trabalhou com grupos de alunos na produção de imagens em movimento e sons que serão apresentados nesta performance recorrendo a diferentes técnicas de codificação ao vivo. Esta performance de cinema expandido do projeto CAMPUS será apresentado um dia antes, a 15 de maio, às 23:30, no Passos Manuel no Porto.

 

A performance de Julio D’Escriván integra o ciclo de concertos, apoiado pela FNAC, a decorrer no âmbito do 10º aniversário da Solar – Galeria de Arte Cinemática, que arrancou com um showcase de The Legendary Tigerman. 

←prev 1  I  2  I  3  I  4  I  5  I  6  I  7  I  8  I  9 next→
ETIQUETAS